Wordpress Themes

A Sedução das Drogas - Ev. Luiz Henrique

Complementos e questionário: Ev. Luiz Henrique

TEXTO ÁUREO

“E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito” (Ef 5.18).

VERDADE PRÁTICA

Somente através da graça redentora de Cristo é que se pode viver sem os vícios que destroem o corpo, o templo do Espírito Santo.

LEITURA DIÁRIA

Segunda 1 Co 6.19 Nosso corpo, templo do ESPÍRITO SANTO
Terça Ef 5.18 A embriaguez traz contenda
Quarta 1 Tm 3.3 O vício desabilita o crente ao ministério
Quinta Pv 23. 29-35 Os perigos e as tentações das drogas lícitas
Sexta Jo 8.36 JESUS liberta das maldições dos vícios
Sábado Pv 20.1 Não há sabedoria naqueles que buscam as drogas

 

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: Provérbios 23.29-35.

29 Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as pelejas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem causa? E para quem, os olhos vermelhos? 30 Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturada. 31 Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente.32No seu fim, morderá como a cobra e, como o basilisco, picará. 33 Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. 34 E serás como o que dorme no meio do mar e como o que dorme no topo do mastro35e dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando virei a despertar? Ainda tornarei a buscá-la outra vez.

23.29-35 VINHO… BEBIDA MISTURADA. Nestes versículos, temos o primeiro mandamento claro e preciso, na revelação progressiva de DEUS, que proíbe o seu povo de beber vinho fermentado. DEUS nos instrui aqui concernente a bebidas alcoólicas e da sua influência degradante.
23.31 NÃO OLHES PARA O VINHO, QUANDO SE MOSTRA VERMELHO. Este versículo adverte sobre o perigo do vinho (hb. yayin) uma vez fermentado. Portanto, o yayin a que se refere esta passagem deve ser distinguido do yayin não fermentado (ver Is 16.10). Fermentação é o processo pelo qual o açúcar do suco de uva converte-se em -álcool e em dióxido de carbono. 

(1) O verbo “olhar” (hb. ra?ah) é uma palavra comum que significa “ver, olhar, examinar” (cf. Gn 27.1); ra?ah é também empregado no sentido de “escolher”, o que sugere que não devemos olhar com desejo para o vinho fermentado. DEUS instrui seu povo a nem sequer pensar em beber vinho fermentado; nada se diz nesta passagem sobre beber vinho com moderação. 
(2) O adjetivo “vermelho” (hb. ?adem) significa “vermelho, avermelhado, rosado”. Segundo o Lexicon de Gesenius, isso refere-se à “efervescência” do vinho no copo, i.e., seu borbulhar cintilante. 

(3) A frase seguinte: “quando resplandece no copo”, diz literalmente “quando [o vinho] dá olho no copo”.Trata-se das bolhas de dióxido de carbono produzidas pela fermentação, ou à aparência borbulhante do vinho fermentado.
23.32 NO SEU FIM, MORDERÁ COMO A COBRA. DEUS proíbe seu povo de contemplar o vinho quando vermelho, pois o vinho fermentado destrói a pessoa, qual serpente e, como víbora, ele a envenena. Os efeitos do álcool são demoníacos e destruidores; incluem olhos avermelhados, visão turva, mente confusa e palavras perversas e enganosas (vv. 29,33). Tomar bebidas leva o indivíduo à embriaguez (v. 34), aos ais, à tristeza, à violência, às brigas, aos danos físicos (vv. 29,35) e ao vício crônico (v. 35; ver Rm 14.21).
23.35 AINDA TORNAREI A BUSCÁ-LA OUTRA VEZ. Este trecho descreve os efeitos da dependência do vinho fermentado. Freqüentemente, aquele que bebe, quer beber sempre mais, até perder seu autocontrole. É por isso que a Palavra de DEUS diz: “Não olhes para o vinho”. O crente não deve beber nenhuma bebida embriagante. Esta ordem é atual e válida para o povo de DEUS hoje.

Habacuque 2.15 Ai de você, pois dá ao seu companheiro vinho misturado com drogas! Ele fica bêbado, tira a roupa, e todos o vêem nu. 16 É você que vai perder a sua honra e ficar coberto de vergonha. Pois o Senhor vai fazer você beber do copo da sua ira, e você também ficará bêbado. Em vez de receber homenagens, você será humilhado. 

1 Pe 4.3 Porque é bastante que, no tempo passado da vida, fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borracheiras, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias; 

A POSIÇÃO DO ANTIGO TESTAMENTO SOBRE O VINHO FERMENTADO. 

Em vários lugares o AT condena o uso de yayin e shekar como bebidas fermentadas.

(1) A Bíblia descreve os maus efeitos do vinho embriagante na história de Noé (Gn 9.20-27). Ele plantou uma vinha, fez a vindima, fez vinho embriagante de uva e bebeu. Isso o levou à embriaguez, à imodéstia, à indiscrição e à tragédia familiar em forma de uma maldição imposta sobre Canaã. Nos tempos de Abraão, o vinho embriagante contribuiu para o incesto que resultou em gravidez nas filhas de Ló (Gn 19.31-38).

(2) Devido ao potencial das bebidas alcoólicas para corromper, DEUS ordenou que todos os sacerdotes de Israel se abstivessem de vinho e doutras bebidas fermentadas, durante sua vida ministerial. DEUS considerava a violação desse mandamento suficientemente grave para motivar a pena de morte para o sacerdote que a cometesse (Lv 10.9-11).

(3) DEUS também revelou a sua vontade a respeito do vinho e das bebidas fermentadas ao fazer da abstinência uma exigência para todos que fizessem voto de nazireado (ver a próxima seção).

(4) Salomão, na sabedoria que DEUS lhe deu, escreveu: “O vinho é escarnecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; e todo aquele que neles errar nunca será sábio” (Pv 20.1). As bebidas alcoólicas podem levar o usuário a zombar do padrão de justiça estabelecido por DEUS e a perder o autocontrole no tocante ao pecado e à imoralidade.

(5) Finalmente, a Bíblia declara de modo inequívoco que para evitar ais e pesares e, em lugar disso, fazer a vontade de DEUS, os justos não devem admirar, nem desejar qualquer vinho fermentado que possa embriagar e viciar (ver Pv 23.29-35 notas). 

OS NAZIREUS E O VINHO. O elevado nível de vida separada e dedicada a DEUS, dos nazireus, devia servir como exemplo a todo israelita que quisesse assim fazer (ver Nm 6.2). DEUS deu aos nazireus instruções claras a respeito do uso do vinho.

(1) Eles deviam abster-se “de vinho e de bebida forte” (6.3; ver Dt 14.26); nem sequer lhes era permitido comer ou beber qualquer produto feito de uvas, quer em forma líquida, quer em forma sólida. O mais provável é que DEUS tenha dado esse mandamento como salvaguarda ante a tentação de tomar bebidas inebriantes e ante a possibilidade de um nazireu beber vinho alcoólico por engano (6.3-4). DEUS não queria que uma pessoa totalmente dedicada a Ele se deparasse com a possibilidade de embriaguez ou de viciar-se (cf. Lv 10.8-11; Pv 31.4,5). Daí, o padrão mais alto posto diante do povo de DEUS, no tocante às bebidas alcoólicas, era a abstinência total  (6.3-4).

(2) Beber álcool leva, freqüentemente, a vários outros pecados (tais como a imoralidade sexual ou a criminalidade). Os nazireus não deviam comer nem beber nada que tivesse origem na videira, a fim de ensinar-lhes que deviam evitar o pecado e tudo que se assemelhasse ao pecado, que leva a ele, ou que tenta a pessoa a cometê-lo.

(3) O padrão divino para os narizeus, da total abstinência de vinho e de bebidas fermentadas, era rejeitado por muitos em Israel nos tempos de Amós. Esse profeta declarou que os ímpios “aos nazireus destes vinho a beber” (ver Am 2.12). O profeta Isaías declara por sua vez: “o sacerdote e o profeta erram por causa da bebida forte; são absorvidos do vinho, desencaminham-se por causa da bebida forte, andam errados na visão e tropeçam no juízo. Porque todas as suas mesas estão cheias de vômitos e de imundícia; não há nenhum lugar limpo” (Is 28.7,8). Assim ocorreu, porque esses dirigentes recusaram o padrão da total abstinência estabelecido por DEUS (ver Pv 31.4,5).

(4) A marca essencial do nazireado - i.e., sua total consagração a DEUS e aos seus padrões mais elevados - é um dever do crente em CRISTO (cf. Rm 12.1; 2Co 6.17; 7.1). A abstinência de tudo quanto possa levar a pessoa ao pecado, estimular o desejo por coisas prejudiciais, abrir caminho à dependência de drogas ou do álcool, ou levar um irmão ou irmã a tropeçar, é tão necessário para o crente hoje quanto o era para o nazireu dos tempos do AT (ver 1Ts 5.6; Tt 2.2

ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA

Prezado professor, Jim Burns afirma que um dos métodos mais eficazes de se ajudar o jovem na questão das drogas e alcoolismo é dar-lhe a chance de ser educado e conversar sobre o tema nesta importante fase da vida. Ele ainda recomenda que o professor, enquanto ministra o tema para os alunos, conserve e reforce sempre o texto de 1 Co 6.19,20. Esta é uma oportunidade, segundo o autor, de você educar, desafiar e encorajar os jovens a enxergar o que estão fazendo ao templo do ESPÍRITO SANTO, quando introduzem em seus corpos substâncias nocivas. Ajude-os, diz Burns, a perceber como as drogas afetam física e espiritualmente a vida das pessoas.

Uso de drogas: pais demoram até dois anos para descobrirem

Cena que se repete nos consultórios e clínicas em São Paulo: pais revelam ter demorado até dois anos para descobrirem que os filhos usam drogas. E apontam três motivos:

Motivos para que os pais demorem muito para descobrirem que os filhos usam drogas:

- Desconhecem que drogas causam doença chamada dependência química;

- Sentem vergonha e culpa pelo filho usar drogas;

- Confundem sinais de uso de drogas com comportamentos da adolescência.

Na maioria dos casos, a descoberta somente acontece quando a mãe encontra maconha no quarto do filho. Mesmo assim ainda acredita, quando ele diz que está “guardando para o amigo”. Ou quando começa a encontrar na casa cachimbinhos (usados para fumar crack). Ou mais grave ainda: quando descobre no quarto do filho, vasos com plantação de maconha.

Após a descoberta, vem a crise pela insegurança de como agir. Para quem contar? Onde pedir ajuda? Como falar com o filho? E na busca pela orientação, pais começam a trilhar o difícil caminho para as respostas. Descobrem que, em São Paulo, não há um telefone de utilidade pública, um 0800, onde possam, sem se identificar, receber orientações de como agir. Descobrem também que nos postos de saúde e nos hospitais públicos não há psiquiatras de plantão para o atendimento no momento em que mais necessita de ajuda. Muito menos vaga para internar o filho.

A campanha da Jovem Pan tem sido procurada por muitos pais que buscam ajuda. Informação é arma poderosa para evitar o uso de drogas e também para enfrentar a crise no momento da descoberta, sabendo como agir e que especialista procurar.

Sinais de que seu(a) filho(a) está metido com drogas:

(A) O primeiro sinal, ensinam os especialistas desta campanha, vem da escola, quando o professor avisa que a criança ou o adolescente está mudando o comportamento na aula: deixou de tirar boas notas, trocou os amigos, dorme na aula, está mais agressivo ou está com muitas faltas. Já pode ser indício de bebida ou maconha.

(B) Outro sinal que os pais devem observar é a mudança de amigos. Quando filhos querem esconder os novos colegas fiquem atentos, porque pode indicar que algum deles usa droga. E lembre-se: é sempre o colega que oferece a droga.

(C) Outro sinal importante: se o seu filho está com dificuldade para aceitar limites, lembre-se sempre: se ele não aprender em casa, com carinho, que o não faz parte da convivência, ficará mais difícil para ele dizer não quando alguém oferecer droga. A maioria dos usuários de drogas nunca aceitaram o não, os limites.

Se descobrir que o (a) filho (a) usa drogas:

- Primeiro, não entre em pânico, espere ele ficar sóbrio para uma conversa se medo, colocando claramente que drogas não fazem parte dos valores da família;

- Explique que o uso de drogas é sempre risco para uma doença que não tem cura e, na maioria das vezes, exige internação;

- Explique que o uso de drogas vai significar perder a confiança da família, os estudos e colocar em risco a vida dos pais, a maioria acaba se separando;

- Deixe muito claro que na família se cumprem as leis e usar drogas é proibido no Brasil;

- Lembre também do risco de ser preso caso seja flagrado em alguma blitz, ou por denúncia, ou na escola com maconha, cocaína, ecstasy ou outro tipo de droga;

- Deixe muito claro que traficante não perdoa dívida e mata quando não é pago;

- Deixe muito claro que ele, filho, é a pessoa mais querida na família, por isso como pai, como mãe não vão pensar duas vezes para salvar a sua vida, buscando tratamento ou até impondo uma internação;

- E busque ajuda com profissionais especializados.

Como evitar que nossos filhos caiam no caminho das drogas?

As melhores campanhas para impedir o uso das drogas partem do caráter pessoal, formado principalmente com a ajuda da família.

Numa pesquisa entre mães e pais com filhos de quatro a 20 anos de idade perguntou-se qual a preocupação “número um”, com relação ao futuro dos filhos. 100% dos entrevistados deram como resposta a possibilidade de que seus filhos se envolvam com drogas.

O que nem todos sabem é que o caminho que leva às drogas não é uma surpresa, nem um imprevisto. É algo que se pode prevenir na maioria dos casos. Todos nascem com talentos e habilidades para enriquecer o mundo em que vivem. Para ser cada vez melhor e viver de forma livre e positiva é preciso desenvolver ao máximo todas as suas potencialidades, criando metas para desenvolver com excelência os talentos pessoais.

E a família é a instituição que melhor promove o desenvolvimento sadio de todas as potencialidades. Entramos, agora, numa saudável discussão: quais seriam essas potencialidades? Intelectuais, da vontade, da dimensão afetiva?

Os especialistas já chegaram à conclusão de que o velho conceito de Q.I. (Quociente de Inteligência) abarca apenas uma estreita faixa de habilidades lingüísticas e matemáticas. Ou seja, ter um elevado Q.I. pode predizer, talvez, quem terá êxito escolar, mas não mais que isso. Fonte:Maracaju News

Como manter seu filho(a) longe do Alcoolismo?

Pouca gente lembra, mas o fato é que uma lei simplesmente proíbe o consumo de álcool a menores de 18 anos. E, sendo lei, deveria ser aplicada até dentro de casa. O problema é que muitos pais toleram uma bebidinha dos filhos.

Pior: às vezes até oferecem.

Especialistas contam que às vezes o pai chega ao consultório aflito porque o filho fuma um cigarro de maconha, sem se importar com que ele tome um porre todo fim de semana. Um dado alarmante é que, para piorar, os jovens estão começando a beber cada vez mais cedo, por volta dos 12 anos na década passada, isso acontecia aos 14.

O excesso entre os jovens tem várias causas, desde um mau exemplo de casa, até a curiosidade, a tendência a repetir modelos dos adultos, dos amigos, entre outras. Por isso é tão importante retardar ou impedir o consumo de álcool entre os mais novos, alertando para as conseqüências do consumo.

A regulamentação rígida não existe à toa: o organismo adolescente responde de maneira bem diferente ao do adulto. Em excesso, o álcool pode levar a danos no cérebro que acabam comprometendo a memória, o aprendizado. Nessa fase o cérebro passa por uma reorganização, lembra a psiquiatra e especialista no assunto Maria Cecília Marques, de São Paulo.

Como o álcool age em praticamente todos os neurotransmissores cerebrais, ele atrapalha todo esse processo. O jovem fica mais suscetível a problemas de discernimento, por isso não consegue diferenciar situações de risco, tem problemas no trabalho, nos estudos, e por aí vai. Os danos podem se tornar irreversíveis, atingindo a memória, a capacidade de aprendizagem, a motivação, além é claro, de deixá-los mais propensos a serem adultos alcoólatras.

Se tudo isso não bastasse, o abuso do álcool em qualquer idade - tem outras conseqüências diretas: a pessoa fica mais exposta a acidentes de trânsito e práticas inseguras, como sexo sem proteção. Para se ter uma idéia, no Brasil metade dos acidentes fatais de carro está ligada ao consumo de álcool entre jovens de 18 a 25 anos.

Como manter seu filho longe do alcoolismo

Em primeiro lugar, dê o exemplo. Beba com muita moderação. O limite do saudável, para adultos de peso e de estatura médias e sem doenças crônicas, é de três copos de vinho, ou três latas de cerveja ou 250 ml de destilados. Para mulheres, dois copos de vinho ou duas latas de cerveja.

Não permita que menores bebam, nem na festa de casamento de um parente. Explique que isso é bebida de adultos e que deve ser ingerida com muito controle.

Ensine-o a criticar as propagandas que passam um falso modelo de saúde em gente que consome álcool. Imponha limite e controle o acesso à bebida. Para isso é necessário saber com quem andam, aonde vão, os locais que freqüentam. Agora, se você notar que ele anda consumindo álcool demais, não perca tempo e procure ajuda médica.

Existem vários tipos de tratamentos, e apenas alguns tipos incluem medicamentos. Saiba mais sobre eles:

Tratamento

O tratamento dependerá da extensão do problema. Algumas pessoas são capazes de tirar a bebida de suas vidas ou beber em níveis moderados com a ajuda de um psicólogo ou de conselhos de amigos e familiares. Quem está em um estágio mais avançado de dependência do álcool, no entanto, precisa de ajuda especializada.

Na maioria das vezes, os viciados e dependentes precisam de tratamento médico que os ajude a parar de beber. Podem ficar em hospitais ou em clínicas especializadas, como as que tratam viciados em drogas. Além de realizarem a desintoxicação do paciente, nessas clínicas o cuidado é constante para evitar que a pessoa tente se machucar ou se matar, e para que ela consiga lidar melhor com as crises de abstinência pelas quais passará.

Uma vez que os sintomas de abstinência forem superados, o próximo passo é fazer com que o paciente se mantenha sóbrio. Muitas pessoas precisam de suporte contínuo para se manter sóbrias. Essa ajuda pode vir dos grupos de apoio, como os Alcoólatras Anônimos, ou de sessão com psicoterapeutas.

O sucesso no tratamento está intimamente relacionado ao tamanho da força de vontade que pessoa tem para deixar de beber e também se ela realmente admite que tem problemas de dependência do álcool.

Força de vontade pode não ser suficiente para largar o álcool, se seu corpo estiver extremamente dependente dele. Por isso, medicações específicas são muito úteis durante o processo de desintoxicação.

Medicamentos

Se você passar por graves crises de abstinência, com tremores incontroláveis, ataques e alucinações, é possível que você precise ir para um hospital ou clínica especializada para se desintoxicar. Os medicamentos utilizados para reduzir os sintomas da falta de álcool são: ansiolíticos (remédios antidepressivos) e anticonvulsivos.

Os remédios que ajudam a pessoa a se manter sóbria durante o período de recuperação agem reduzindo os efeitos prazerosos do álcool, provocando náuseas ao beber e tratando as crises convulsivas.

O uso em excesso do álcool pode fazer com que seu corpo sofra de deficiência de uma série de vitaminas e minerais, especialmente a vitamina B. Se for este o caso, você precisará recompor a perda destas substâncias por meio de suplementos. Tratamento permanente depois do período de desintoxicação, você deve discutir com seu médico tratamentos para se manter sóbrios e evitar recaídas.

Tratamentos para se manter sóbrios e evitar recaídas

Educação sobre o álcool e outras substâncias viciantes, seus efeitos sobre o corpo, sobre sua vida e sobre a vida de seus familiares.

Orientação psicológica em grupo e individual

Grupos de apoio, como os alcoólatras anônimos.

Dependência Química 

A dependência de drogas pode ser chamada dependência química e, até o presente, adotamos este termo pelo fato de abarcar todos os tipos de dependência de substâncias psicoativas. A dependência das drogas legais (álcool e medicamentos) e das ilegais (maconha, cocaína e outras) podem estar sob esta designação.

Quando falamos de dependência química, o primeiro aspecto que deve ser ventilado é que se trata de uma doença.

A dependência é uma doença reconhecida pela OMS (Organização Mundial de Saúde). Em todo o mundo, atualmente, os profissionais de saúde reconhecem a dependência química como doença. O valor de conceituarmos a dependência como doença é que retira o problema da esfera moral. Com freqüência, as pessoas olham para os dependentes como pessoas fracas, de pouca força de vontade, sem bom senso e sem caráter. Ao passo que, quando a consideramos como doença, podemos olhar sob outra perspectiva: de que se trata de um transtorno, em que o portador desse distúrbio perde o controle no uso da substância, e sua vida psíquica, emocional e física vão deteriorando gravemente. Nessa situação, a pessoa precisa de tratamento e de ajuda competente e adequada. A ótica moral é limitada e geralmente descamba para o moralismo, que é bastante reducionista.
É uma doença humana, um flagelo dos nossos dias. Estudos científicos apontam um percentual entre 10% e 15% de dependentes entre aqueles que usam os derivados alcoólicos. Já no caso do uso da cocaína, o percentual sobe para uma faixa de 40% a 60%, ou seja: em cada duas pessoas que usam essa substância, uma desenvolverá a dependência.

Na antropologia bíblica, vemos o ser humano como uma tricotomia.

Criado à semelhança de DEUS, tal qual seu Criador, o homem é uma tricotomia, formado por três distintas partes. DEUS é um só, mas revela-se na pessoa do Pai, Filho e ESPÍRITO SANTO. Já o homem é corpo, alma e espírito. O corpo é a dimensão biológica, o nível concreto e físico, fácil de identificar porque é palpável. A alma é o nível psicológico, sede das emoções, pensamentos, características, talentos e potencialidades de cada um. É a própria pessoa, a personalidade com todas as suas peculiaridades, com todos os traços adquiridos ao longo da vida e também com os caracteres herdados. O espírito é aquela dimensão mais profunda, o nível da intuição, a esfera da fé, o fôlego de vida dado pelo Senhor.

Todo sofrimento humano pode ter origem num desses três níveis da sua estrutura; o biológico (corpo), o psicológico (alma) ou o espiritual (espírito).

Há muitas doenças que têm vetores de dois desses níveis, mas, no caso da dependência química, podemos dizer que é uma doença que atinge o ser humano nas suas três dimensões. Se isso é verdadeiro, devemos oferecer tratamento que atenda essas diferentes instâncias da estrutura humana. Quando tratamos um dependente apenas com enfoque médico, estamos atendendo somente a um dos níveis e suprindo a necessidade de ajuda só na esfera física. Porque é corpo, alma e espírito, o homem necessita de ajuda na sua inteireza. Por outro lado, quando a abordagem é estritamente religiosa, também corremos o risco de enfocar exclusivamente o lado espiritual e deixar de lado importantes questões de ordem física ou psicológica. Por exemplo: a maioria dos alcoólatras, quando pára de beber, apresenta carência de vitaminas do complexo B, cuja administração pode minimizar as seqüelas psíquicas do alcoolismo. Portanto, o uso desses medicamentos pode fazer diferença numa boa recuperação. Há também os problemas de ordem psicológica, tipo traumas emocionais, desconfiança exagerada, defeitos de caráter (prepotência, dificuldade de ouvir, mentira), dificuldade de reconhecer e expressar sentimentos. A pessoa precisa também ser ajudada nesse nível por meio do aconselhamento, da ministração de cura interior.

Os problemas de ordem espiritual de um dependente químico, em geral, podem ser de três tipos:

1o) Ausência de DEUS, vazio espiritual. A pessoa, como todo pecador, carece da presença do Senhor, necessita de perdão e salvação. E para isso, sabemos que é necessário receber a CRISTO como seu Senhor e Salvador pessoal.

2o) A imensa maioria está sob opressão ou possessão espiritual. É muito freqüente a associação de dependência com operação demoníaca, pois o efeito das drogas deixa a mente numa condição que facilita a ação do inimigo na vida da pessoa. Portanto, em geral, é preciso ministrar libertação.

3o) Falta de fé. O dependente químico é alguém que já tentou várias vezes dar conta sozinho do seu problema. Já prometeu dezenas de vezes que iria controlar o uso ou que iria parar e não conseguiu cumprir suas promessas. Assim, tornou-se uma pessoa desacreditada por todos, sobretudo por si mesma, ficando com sua fé natural comprometida. Lá no fundo, acha que não tem mais jeito; às vezes ele mesmo duvida que possa mudar.

Os dependentes freqüentemente têm uma casca de arrogância ou de teimosia que pode parecer autoconfiança, mas isso é só casca, pois, lá dentro, sentem-se diminuídos, têm profunda menos valia e forte sentimento de culpa. Por tudo isso, carecem de uma grande dose de fé, precisam ser estimulados a conhecer, confiar e crer na graça inclusiva e incondicional de CRISTO, por meio da qual somos salvos e resgatados da nossa vã maneira de viver.

É muito precioso poder pregar o evangelho integral para o homem integral. É valioso quando os cristãos reconhecem o homem na sua inteireza e, por mais que confiem no poder de DEUS, por maior que seja sua fé no sobrenatural, não “desumanizam” as pessoas, espiritualizando tudo. É maravilhoso dar pão a quem tem fome (corpo), dar afeto àquele que está carente (alma) e ministrar o evangelho e a libertação espiritual (espírito) para quem está com sede de DEUS.

Bendito seja o nome do Senhor que nos permite não só ter uma visão do homem integral, como também desenvolver recursos para ajudá-lo.

Dr. Fábio Damasceno Barreto, casado, três filhos, psiquiatra, terapeuta de família e de casal, pastor da Comunidade Cristã S-8, membro do CPPC (Corpo de Psicólogos e Psiquiatras Cristãos), é autor dos livros Oficina de cura interior e Psicologia do perdão.

Fonte:Alcoolismo.com.br

 

 

RESUMO DA LIÇÃO 9

A SEDUÇÃO DAS DROGAS

3ºTRIMESTRE DE 2008 - CPAD

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO

O termo “drogas” vem do grego pharmakeia,

e significa farmácia, ou drogaria.

Drogas - Medicamento ou substância entorpecente e alucinógena.

I - PRINCÍPIOS BÍBLICOS CONTRA O USO DAS DROGAS

1. Bebidas alcoólicas em geral.

2. A abrangência do princípio.

II - POR QUE AS PESSOAS SE DROGAM?

1. Razões alegadas pelos viciados.

2. Os ardis de Satanás.

III - PORQUE A BÍBLIA

CONDENA AS DROGAS?

1. Porque é um pecado contra o corpo.

2. Porque causam sofrimento ao usuário e ao próximo.

3. Porque sustentam o mundo do crime.

4. Porque afastam o homem de Deus.

IV - VIVENDO SEM DROGAS

1. A prevenção.

2. O tratamento.

CONCLUSÃO

O Todo-Poderoso pode libertá-lo agora mesmo! (Jo 8.32; 16.24; Sl 37.5).

 SINOPSE DO TÓPICO (1) Efésios 5.18 refere-se a um princípio bíblico geral contra as bebidas entorpecentes, estendendo-se também ao uso de qualquer substância nociva ao organismo.

SINOPSE DO TÓPICO (2) Satanás é o agente da tentação. O trabalho que mais o agrada é desviar o crente das disciplinas da vida cristã.SINOPSE DO TÓPICO (3) A Bíblia condena o uso de drogas porque além de ser um pecado contra o corpo, as drogas afastam o homem de Deus.

SINOPSE DO TÓPICO (4) Para alertar as pessoas sobre o perigo do vício, é necessário: mostrar os exemplos negativos, ensinar os princípios e as advertências da Palavra de Deus.

REFLEXÃO “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres.” (Jo 8.36)

REFLEXÃO “O caráter e a santidade do cristão são preservados mediante a comunhão do crente com o Espírito Santo, pelo conhecimento da Palavra e através de uma vida cristã disciplinada.”

  

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO

Subsídio Pastoral

“Por que os adolescentes abusam das drogas e do álcool?

Drogas e álcool proporcionam uma falsa sensação de alívio. Na maioria das vezes são usados para sufocar mágoas. Segundo, drogas e álcool são tão atraentes aos jovens (e adultos) porque estes trabalham o tempo todo. Drogas e álcool são dignos de confiança enquanto famílias e amigos, infelizmente, nem sempre são fidedignos. Se um jovem está em conflito, preocupado com a família, com uma classificação, com o rompimento de um namoro ou outro problema qualquer, pode usar, temporariamente, drogas ou álcool. É simplesmente isto: drogas os fazem sentir-se bem, e elas agitam. Estes dois fatos são absolutamente indispensáveis para se entender a inacreditável atração por algo tão nocivo e o grande número de viciados e dependentes.

O que acontece quando adolescentes usam drogas ou álcool? Perdem o domínio sobre o stress. A partir do momento em que passam a ingerir substâncias químicas, interrompem o aprendizado de como combater o stress. Facilmente se tornam alcoólatras ou usuários de drogas. A parte mais difícil é ajudá-los a readquirir o controle sobre os stress e ensiná-los a lidar com seus problemas de um modo que não seja bebendo ou se drogando.” (BURNS, J. Uma palavra sobre sexo, drogas & rock’n’ roll. RJ: CPAD, 1997, p. 75.)

 BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

BURNS, J. Uma palavra sobre sexo, drogas & rock’n’ roll. RJ: CPAD, 1997.

SAIBA MAIS EM Revista Ensinador Cristão, CPAD, no 35, p.40.

 

APLICAÇÃO PESSOAL

A Bíblia é muito clara quanto aos tóxicos. Ela expressa claramente à vontade de Deus em relação a nossa vida, ao mesmo tempo em que trata do problema das drogas: “Não se embriaguem, pois a bebida levará vocês à desgraça; mas encham-se do Espírito de Deus” (Ef 5.18 - NTLH). A porta de entrada para o consumo dos tóxicos mais fortes é a utilização daquelas drogas consideradas mais leves, como o fumo e o álcool. Evitando as mais leves, você, com certeza, manter-se-á longe das mais fortes. A orientação das Escrituras é que você, em vez de se embriagar com as bebidas que trazem desgraças, seja cheio do Espírito Santo, que traz alegria. Você é batizado com o Espírito Santo? Se você não é, busque agora mesmo essa gloriosa dose de poder e alegria espiritual. Se você for controlado por Deus, jamais satisfará os desejos pecaminosos: “Vocês, porém, não vivem como manda a natureza humana, mas como o Espírito de Deus quer, se é que o Espírito de Deus vive realmente em vocês” (Rm 8.9 - NTLH).

     

Ajuda:

CPAD - http://www.cpad.com.br/ - Bíblias, CD’S, DVD’S, Livros e Revistas. BEP - Bíblia de Estudos Pentecostal.

http://www.escoladominical.com.br/  -  http://www.ebdweb.com.br/

http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/videosebdnatv.htm   (VÍDEOS da EBD na TV, DESTA LIÇÃO INCLUSIVE)

BÍBLIA ILUMINA EM CD - Bíblia de Estudo NVI EM CD - Bíblia Thompson EM CD.

Nosso novo endereço: http://universobiblico.com.br/assembleia/estudosbiblicos/

http://www.drogasnuncamais.com.br/pais.html 

http://www.maracaju.news.com.br/geral/view.htm?id=105830&ca_id=15

Alcoolismo.com.br

converter em pdf.


  1. Warning: file_get_contents(http://...@hotmail.com) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    Luiz Henrique de Almeida Silva
    Escreveu:

    Quero esclarecer que algumas propagandas que aparecem junto às nossas lições vêem do Google e não de minha pessoa. No site existem comerciais implantados em meio à lição e os leitores devem tomar cuidado com isso.


  2. Warning: file_get_contents(http://...@ig.com.br) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    guilherme
    Escreveu:

    Muito bom!!! Esclarecedor!!! Valeu os auxílios!!!!!

Comente.