Wordpress Themes

TV EBD - Davi e o Preço da Negligência na Família - Ev. Luiz Henrique

Assista os vídeos da TV EBD com a aula da Lição 10 - Davi e o Preço da Negligência na Família. Para facilitar o download, o vídeo é dividido em 6 partes. Você pode assistir aqui mesmo, clicando nos vídeos, ou clicar nos links, acima dos vídeos para salvar; ao abrir a nova página, clique no botão Download. Os vídeos são produzidos pelo Ev. Luiz Henrique e também publicados no site Estudos Bíblicos EBD, ou no blog EBDnaTV.

1ª Parte - Lição 10 - 4T/2009

2ª Parte - Lição 10 - 4T/2009

3ª Parte - Lição 10 - 4T/2009

4ª Parte - Lição 10 - 4T/2009

5ª Parte - Lição 10 - 4T/2009

6ª Parte - Lição 10 - 4T/2009

converter em pdf.


  1. Warning: file_get_contents(http://...@ig.com.br) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    Hiran R.ALencar
    Escreveu:

    Lição 10
    A proposição é:
    1. A negligência em relação à família tem conseqüências graves e irreparáveis!
    2. O papel dos pais na disciplina e na educação dos filhos
    3. A importância da presença dos pais na vida dos filhos
    1- Negligência, do lat. “negligentia” é o mesmo que descuido, desleixo, desatenção e displicência. Antôn: aplicação, cuidado.
    2- 2a - A Disciplina é uma questão comportamental na relação de subordinação - Obediência à autoridade
    2b – Educação do latim “educatione” significa Ensino, civilidade, delicadeza e cortesia.
    3- Importância - Consideração, crédito, influência, grande valor relativo das coisas, afeição e amizade.

    Baseado no texto áureo escolhido me parece que o autor da lição quis focar os obreiros, porém o desenvolvimento chama uma reflexão sobre o comportamento sexual e suas conseqüências.

    Vamos nos aprofundar nas questões debatidas

    4- Quanto aos obreiros:

    (I Timóteo 3:4) - Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia.
    Parece que esse é um problema grave dos nossos dias na escolha de obreiros. A pergunta séria: Qual o peso que essa passagem tem nos crivos? A julgar pelos resultados, parece ser desconsiderada!
    Na família, como na Igreja, não pode ser diferente. Se você é marido, o casamento é uma relação de escolha, ou seja, a mulher deve está submissa ao marido não por imposição deste, mas porque foi ela mesma quem escolheu o seu governante, na busca de construir uma família.
    O marido deve ter a clara noção dos seus deveres de governante (cabeça), os quais se constituem em obrigações de respeitar os direitos da MULHER e ter a responsabilidade e a capacidade de fazer com que a estrutura familiar seja sustentada através do suprimento de todas às necessidades (materiais e psicológicas).
    A nomeação do bispo, com relação à igreja, ocorre da mesma forma que no casamento, com os mesmos parâmetros.
    Os PARAMETROS que servem para o Estado, servem também para a família e servem para a Igreja.
    -Os governantes da igreja têm o dever de encontrar as melhores fórmulas, prover os recursos e de dar diretrizes que funcionem para o melhor desempenho das atividades.

    -O governante de uma igreja deve ter o mando e a direção.

    Uma coisa é certa! Se, em qualquer dos elos, o que tem o título nominal não tem o mando e a direção, todos os outros parâmetros tornam-se nulos. Sabendo que na igreja o mando e a direção é uma relação de confiança, e não de força!
    Quanto ao comportamento sexual
    Sexualidade: Relações sexuais são permitidas de forma heterossexual, após o casamento e restrita ao matrimônio, entre esposa e esposo - 1 Ts 4.4, 1 Co 6.12-20. O sexo não é sujo e nem mundano – Ec 9.9 e Gênesis 1.27,28. Os crentes em Jesus Cristo, aliás, devemos ser os mais inteligentes, melhores e mais criativos amantes porque contamos com a unção de Deus para a prática do sexo também. O ato sexual é a soma do biológico e do espiritual – 1Co 6.13-20, 7.2-5, Pv 5.15-19; Ec 9.7,9; Ct 2.3-17; 4.1-7, 6.6-12. A responsabilidade de marido e mulher é satisfazerem as necessidades emocionais, sexuais e espirituais um do outro.
    A Bíblia condena, no entanto, o abuso ou perversão sexual, chamando-o de “fornicação” (sexo entre solteiros), “adultério” (sexo entre casados, mas fora do casamento) e “prostituição” (sexo mediante troca de favores ou pagamento de qualquer natureza).
    O Davi cometeu Chamado de estelionato sexual. Na doutrina jurídica comum é crime de posse sexual mediante fraude é definido no artigo 215 do CP: “Ter conjunção carnal com mulher honesta, mediante fraude
    Cometeu ainda crime de atentado ao pudor mediante fraude no artigo 216 - “Induzir mulher honesta, mediante fraude, a praticar ou permitir que com ela se pratique ato libidinoso diverso da conjunção carnal: Pena - reclusão, de um a dois anos.” E, por fim, o assédio sexual pois usou da sua posição para “constranger alguém com o intuito de obter vantagem ou favorecimento sexual, prevalecendo-se da sua …”.
    Para a justiça humana são crimes contra os costumes, trata da sedução e da corrupção como conjunção carnal, aproveitando-se da justificável confiança.
    Para “A Justiça de Deus” é pecado, não pelo simples ato sexual, mas pelas conseqüências das práticas sexuais irresponsáveis. Em outras palavras, em qualquer sociedade e em qualquer tempo do zelo pela prática sexual segura depende a subsistência da espécie humana.
    Quanto a Davi ou quanto a estar ou não na presença do Senhor, só é possível mediante a Integridade de caráter; probidade e a honestidade. Levar a vida com seriedade, lealdade e retidão. Ser reto é ser Justo, verdadeiro, Íntegro e imparcial. Se você agir assim duvido muito que a sua casa não prospere e que seus filhos não sejam exemplo. A questão é que muita gente troca o que é certo pelo duvidoso. Abana os filhos e lar para ir à busca de aventuras e falsas premissas. São irresponsáveis e se dizem missionários, obreiros,” servos de deus”, quando na verdade são servos de si mesmos! Lembrem-se sempre que ”a palavra convence, porém o exemplo arrasta” não adianta nada você ser um pregador se você não consegue conduzir sua própria casa.
    Tem muita gente deixando de lado o que lhe é mais caro (a família) por cobiça de iguarias e valores enganosos. Provérbios diz: “Não te fatigues para enriqueceres; e não apliques nisso a tua sabedoria. Porventura fixarás os teus olhos naquilo que não é nada? porque certamente criará asas e voará ao céu como a águia. Não comas o pão daquele que tem o olhar maligno, nem cobices as suas iguarias gostosas. Porque, como imaginou no seu coração, assim é ele. Come e bebe, te disse ele; porém o seu coração não está contigo. Vomitarás o bocado que comeste, e perderás as tuas suaves palavras”. Pensas tu que isto é uma brincadeira? Tem muita gente que já pode olhar para sua casa e lamentar a inobservância dessas palavras pelos resultados dentro da sua própria casa.

    Quanto ao sexo, CS Lewis diz que “a pureza sexual é a virtude cristão mais impopular e não há como fugir dela”: a lei cristã é: ou casamento com total fidelidade ao companheiro ou então completa abstinência. Isso para muitos é difícil uma vez que é totalmente contrário aos nossos instintos. Mas a tese de que o cristianismo está errado ou o instinto sexual humano se transformou pode ser explicada: A posição, como cristão, é que o instinto se transformou e se desequilibrou pelo pecado.
    Desequilíbrio
    A questão sexual é muito complexa quando tratamos do ponto de vista qualitativo e quantitativo.
    O desequilíbrio sexual poder ser considerado patológico (doença): Em linhas gerais o comportamento sexual compulsivo é tomado como algo patológico. Para muitos autores que estudam o tema, a luz da psicologia médica e segundo as diretrizes da psicologia geral, o comportamento sexual compulsivo é considerado patológico e causa sofrimento emocional com conseqüências interpessoais, ocupacionais, familiares e financeiras.
    Seja esse comportamento qual for ele é doença. Mas o critério para avaliação é polêmico, uma vez que se há um apetite sexual patológico cujas fantasias aumentam a ponto de ocuparem os pensamentos e os sentimentos em quase todos os mentos, certamente trata-se de uma obsessão compulsiva sexual.
    Outra questão, bem comum, são as pessoas envolvidas em atividades sexuais que exige remuneração. Não ética, nem a moral e nem legalidade em nenhuma cultura. A própria consciência mostra isto. Ninguém se gaba por ser prostituta ou nem uma família ou nação aprova tal condição, muito mais são vitimas dos impulsos e da busca de satisfação dos desejos incontidos. Muitas vezes o envolvimento ocorre numa sucessão impulsiva e insaciável de prazeres, na busca de vantagens outras, considerando os prazeres sexuais ou não, fica configurado um caso de “transtorno sociopático ou borderline da personalidade” , mas sempre é tido como desvio moral.
    Os efeitos pecado no relacionamento entre as pessoas são os sentimentos de medo, de angústia, de insegurança, de vergonha, de dor, de culpa, de remorso, de falta de paz e de ódio. Observe se esses sentimentos estão ou não presentes nos relacionamentos ilegítimos e nos relacionamentos em atrito ou desmanchados pela falta de humildade e pela ausência de amor.
    Quando falamos de homem e mulher, trata-se de uma só carne. Todos os seres humanos têm a sua cara metade é só esperar a hora certa. O maior empecilho para a felicidade, no aspecto conjugal, é a precipitação: vontade exacerbada de praticar sexo sem a segurança e sem a responsabilidade atribuída por Deus para a formação da família com fator de criação da base da sociedade, da segurança e de conforto individual das pessoas; o segundo maior empecilho e o nosso egoísmo, a vontade de levar vantagem sobre o outro; o terceiro é a vaidade, cujo efeito afasta as pessoas umas das outras mesmo antes que elas conheçam as adequadamente para fazer juízo, se são ou não compatíveis com os seus anseios verdadeiros.

    Considerações finais
    A maior infelicidade de um homem é ser nomeado para um cargo para o qual o tal não possua as qualidades requeridas ou não possua a qualificação que atenda aos critérios requisitados práticos pela Bíblia. Esse tal estará sendo vítima de quem o nomeou como também da sua própria estupidez e leviandade.
    Quem aceita executar uma tarefa para a qual não está preparado é semelhante a quem se arriscar levar um peso maior que sua força, é negligente e irresponsável. Na prática os resultados são desastrosos e previsíveis, mas os efeitos, a logo prazo, são piores ainda.
    Muitos cargos e muitos títulos são distribuídos para acomodar situações e para possibilitar o atual “status” de alguns lideres, porém, ser comandante de um barco naufragando é muito temerário.
    Se fosse eu a escolher, apostaria na verdade, e buscaria respostas seguras para os problemas, assim estaria tranqüilo. Que goste de construir só para ver a obra de pé, não importa quem vai usufruir dela, mas que seja útil às pessoas, isto é, para glória de Deus!
    O talento, a dedicação e a coragem são atributos para identificar pessoas e o papel representativo de cada elemento. Isto só poder ser identificado pelas ações de cada um. Quem não possui dom para música nunca irá executar uma peça clássica, pode até pôr a mão em musicas popular e pobre, mas vai fazer feio. Quem não possui dom para cantar sempre irá pagar vexame ao tentar fazê-lo. Da mesma, é o obreiro que não tem o dom requisitado para o que busca fazer.
    Se você quiser refletir mais, veja:
    O Obreiro dever ter:
    SUBMISSÃO
    Todos, ou pelo menos, a maioria dos obreiros e auxiliares devem estar submissa ao dirigente da igreja.
    A submissão não é, e não pode ser uma imposição de força, pelo contrário, é uma condição cômoda para o submisso [10]. Portanto um bom obreiro deve ser submisso à todos os elos da organização eclesiástica a que está ligado. Veja que compete ao que manda toda a responsabilidade, toda a carga do efeito das ações do executor – por conseguinte, o mandatário deve dispor de meios para auditar as tarefas constantemente. Se o resultado da ação for positivo, ao que governa compete receber a honra, se o resultado for negativo, a este é devido o castigo. Trata-se da lei fixa dos direitos e deveres.

    DEVER
    Todos os que governam devem ter a clara noção dos seus deveres
    Os que governam:
    Políticos, maridos e bispos, geralmente enxergam com mais facilidade os direitos da sua posição, porém abandonam a parte que realmente valida essa posição - que são os deveres.
    Na relação “direitos e deveres” existe uma ordem fixada pela justiça de Deus: primeiro vêm os deveres e depois é que vêm os direitos. É o que Cristo tão bem demonstra nas suas parábolas, principalmente na das sementes: primeiro você planta as sementes, Deus rega e você colhe os frutos. Mas Deus só entra neste negócio se você fizer sua parte primeira. Deus nunca irá responder às suas imposições e nem aceitar um governo esteja fora destes parâmetros! Quando a Bíblia diz “que governe bem”, ela está dizendo: que busque tudo o que é bom, de benefício, de favor, de amor, de proveito, de utilidade. Que se aja de modo bom e conveniente para a consciência, para a saúde e para o bem estar da Família, da Igreja e do Estado (da sociedade como um todo). Falhou numa destas obrigações, falhou com Deus.
    Hierarquia e cadeia de comando – sem que ambos funcionem em harmonia a chefia; a liderança e a autoridade tornam-se refugos.
    Para que o governo dê bons resultado e necessário que haja hierarquia e cadeia de comando. Em outras palavras, que delega competência a alguém deve cobrar os resultados deste. Quebrar este elo significa desautorizar toda a cadeia de comando, de forma que a hierarquia torna-se anarquia. O general cobrar do soldado significa que do coronel ao cabo se tornaram inúteis.
    Questões da escolha
    Quanto ao primeiro item - “escolha de objeto” - haveria três modelos:
    Escolha objetiva (dever, responsabilidade e capacidade) Capacidade administrativa; e
    capacidade doutrinária.
    A igreja local e o cogitado buscam uma parceria com alguém que tenha a clara noção de dever, que seja responsável por tudo que lhe é confiado e que tenha capacidade para responder pelos atos praticados. Em outras palavras, a igreja que alguém que lhes forneça proteção[11] e apoio (o serviço e o obreiro). É uma escolha alimentada pela necessidade de conservação e que visa, antes de tudo, dominar a estreiteza da estrutura administrativa e da doutrina. Devendo haver uma identificação mútua do que cada um idealiza o outro.
    Escolha egoísta:
    Neste caso, a pessoa se liga a uma igreja que se assemelha às necessidades do que ele gostaria de ser. O vínculo se estabelece a partir de uma idéia de poder, orgulho, onipotência e ambição. Para tal, entra em ação uma das duas faces do desonesto: a força; e/ou
    a capacidade manipulador.
    O escolhedor que trata só de interesses de quem escolhe, enxerga um candidato que contemple o seu perfil pessoal e garanta a sua posição.

    Escolha por necessidade – por aperto, apuro, pobreza ou miséria.

    Este tipo de escolha é o mais problemático porque envolve os interesses pessoais. Alguns enxergam num cargo da igreja uma maneira de sanear a sua vida, porém a sua primeira visão são às suas necessidades básicas. Esse tipo de escolha gera dissensões, pois muitos, desde auxiliares de trabalho, sabendo da sua baixa capacidade de conquistar um espaço na sociedade, enxergam na carreira eclesiástica um desvio mais rapto para sua realização financeira e social. Um motorista que ganha cerca de R$800,00 mensais, pode, involuntariamente enxergar na retirada de R$2.000,00 do dirigente de uma pequena congregação, um horizonte para sua realização.

    Exemplos

    Escolhas com Significa místico - Significado de suas relações psicológicas com o que julga ser a saída para os problemas pessoais
    UM CANDIDATO PROCURA SE APRESENTA PARA OBREIRO porque, de alguma forma, a igreja representa uma solução para os problemas dele; b) ambos procuram o significado de suas relações psicológicas de interação homem-igreja, baseados nas vivências satisfatórias de origem emocional.

    Escolhas com significado de “Status quor “- necessidade de se destacar na sociedade
    UM CANDIDATO PROCURA SE APRESENTA PARA OBREIRO por que acha a posição conveniente à sua necessidade de se destacar na sociedade ou em prol dela. Como os papéis, as funções estão igualmente implícitas igreja, como agregações sociais ao longo dos tempos, as pessoas assumem ou renunciam à funções de proteção e de socialização dos seus membros, como resposta às necessidades da sociedade a que pertence. Nesta perspectiva, as funções da igreja são regidas por dois objetivos, sendo um de nível interno, como a proteção psicossocial dos membros, e o outro de nível externo, como a acomodação a uma cultura e sua transmissão.

    Processo de Escolha

    A escolha deve priorizar a resposta às necessidades
    A escolha deve priorizar a adequação do perfil do cogitado ao trabalho a ser desenvolvido. Não se trata de técnicas, mas de ousadia e determinação e pontualidade nos compromissos – isto significa que a instituição deve prover treinamento acompanhado de avaliação de desempenho e de plano de desenvolvimento do cogitado.
    A igreja deve então, responder ao processo pelo qual escolhe seus dirigentes de modo a atender às novas circunstâncias. No entanto, sem perder a continuidade (sem abandonar de vez os antigos critérios), proporcionando sempre um esquema de referência para os seus membros, de forma que eles possam entender o que esta ocorrendo e absorver a evolução. Não se podem entregar os trabalhos a pessoas sem qualquer habilidade, mesmo que ela seja talentosa. Cabe observar que fenômeno da escolha de obreiros ocorre em uma reação interna de cada igreja local, portanto os membros devem participar ativamente, pois são muito e atentos olhares.
    Ferramentas de preparação de obreiros (ensino e exercícios)
    Num processo de escolha existem, conseqüentemente, duas responsabilidades:
    -A de dar resposta às necessidades, quer dos seus membros quer da sociedade; e
    -a de adequar o trabalho ao perfil do candidato.

    ENSINAR

    O ensino e os exercícios constantes ainda são as únicas ferramentas de preparação.
    Os talentos mal dimensionados são muito perigosos. Ou seja, deve haver uma seleção objetiva, num ato que privilegie a relação estabelecida entre pessoas dependentes entre si, em obediência à lei, aos superiores e à disciplina, num processo que se caracterize pelo corpo onde ninguém é superior, porém as pessoas dependem umas das outras, e, principalmente de Cristo, em relação ao qual exercem uma função complementar (os membros do corpo).
    A primeira condição imposta para o bispo, pela Bíblia, torna as outras conseqüentes.
    Que governe bem.
    Veja que a segunda determinação é que a pessoa a ser colocada numa posição assim é:

    que “seja estimada por digna de duplicada honra, principalmente para os que trabalham na palavra e na doutrina”.
    QUE SEJA HAPTO A ENSINAR
    Ora, quem ensina deve, antes de tudo, saber do que está falando e depois ser exemplo, e ainda, ter competência para expor os valores que cultiva. Isto por si já o apresenta como honrado.
    Condição moral - aptidão e idoneidade
    A escolha deve priorizar a adequação do perfil do cogitado à competência, reconhecendo a sua capacidade legal (dar honra a quem tem honra[12]), verificando e desenvolvendo as suas habilidades e avaliando o seu saber, sua aptidão e sua idoneidade.
    Competência (aptidão mais treinamento)

    Para os que ensinam - antes de tudo, a igreja deve verificar se o cogitado tem competência para a compreensão do que está sendo estudado, com ênfase no contexto, na dimensão de liberdade e individualidade do ser humano, na multiplicidade de fenômenos psicossociais e na contextualização histórica, o que exige a aplicação do método de pesquisa qualitativa. Isso porque o estudo de tema propostos na Bíblia constituem um fenômenos complexos e com as características ou qualidades, e a pesquisa qualitativa preserva a realidade acima do método que é o que buscamos.
    A interpretação dos dados apresentados pode multiplicar os pontos de vista diferentes ou distorcidos. Assim, não basta um único olhar para ler um texto e expor o seu conteúdo, o resultado depende da perspectiva em que se enxerga e da intensidade em que o ponto de vista é estudado. Dai a necessidade de humildade para discutir os temas e para buscar complemento da informação em comentários bíblicos.
    Nota: A honra é uma questão de conduta, ou seja: é resultante de condutas boas e produtivas. O ser humano merece e mantém a consideração pública se ele apresentar uma conduta aprovável, só daí surge o sentimento que leva dignidade própria. Os títulos honoríficos de um cargo são apenas títulos, os quais, muitas vezes, são forjados. Mas ninguém, em Sá consciência, conferiria vencimentos a quem o não exerce sua função de forma produtiva, a não ser por engano (existem muitos enganadores!). Por outro lado, ninguém repreenderia alguém que buscasse a prática das duas virtudes anteriores (que governa bem e que seja estimado).
    Repreender é censurar ou chamar a atenção de alguém com a intenção de advertir ou corrigir. É aplicar a lei[13]. Assim, quando alguém é repreendido com razão, é passivo de pena, ao passo que uma pessoa irrepreensível cultiva algumas qualidades que a torna digna de honra.
    O que avalia e escolhe e cogita um pretenso obreiro deve recorrer à Bíblia como fundamentação para a sua escolha. Assim, subordinado às instruções da Bíblia, ele só estará sujeito a Deus. Lembre-se do caso de Josué em “AI”. Moisés o havia advertido para tudo quanto deveria fazer antes de tomar uma decisão de Guerra.
    Muitos obreiros mau escolhidos são depois aconselhados em reuniões longas e improdutivas[14]. Porém, recorrer a I Tm. 4 não significa aconselhar, mas avaliar, com cuidado, antes de qualquer cogitação, todos os que se propõem estarem a frente dos trabalhos da Igreja, de forma que a avaliação proposta por Paulo é um processo demorado e que exigem certas regras bem definidas.
    Como o é em qualquer outro tipo de avaliação e mais, o processo de avaliação da igreja a igreja deve exceder a justiça do homem [15]. Se assim não for feito, está havendo negligência ou irresponsabilidade.
    Comportamento adequado (note que há diferença entre comportamento adequado e a ser adequado!)
    Quanto Paulo volta a advertir[16] para que “coloquem em boa ordem as coisas que ainda restavam e presbíteros”, ele é enfático em afirmar o que já tinha determinado antes. Portanto não se trata de dar conselhos ou de advertir obreiros velhos que já não são capazes de absorver todas aquelas regras, uma vez que elas já não lhes são mais de domínio por terem caminhado muito tempo numa perspectiva errada. Isto seria tolice e Paulo não era tolo. Além do mais, Paulo estava imbuído do Espírito Santo. O que ele estava falando para Tito é que tivesse o cuidado de fazer tudo segundo o que já havia sido determinado: -“Observe bem e escolha o melhor”, é esta a mensagem. Ademais, Paulo acrescenta algumas qualidades a serem observadas, as quais reforçam aquelas passadas a Timóteo: “Aquele que for irrepreensível, marido de uma mulher, que tenha filhos fiéis, que não possam ser acusados de dissolução nem são desobedientes”[17].
    Paulo, enxergando estas questões fundamentais, recorreu ao recurso mais eficaz de toda a história da humanidade para concluir o seu raciocínio: A utilização da única qualidade que diferencia o ser humano de um animal irracional: a capacidade de conservar na memória “a firme a fiel palavra” que é contraria aos impulsos e ao emocional ismo, a qual ensina como se deve o homem comportar para que tenha poder para exercer o mando. Se comportar com lucidez.[18]
    Lucidez (Discernimento, entendimento, critério e apreciação clara dos fatos - o entendimento e a consciência) neste quesito o indivíduo não aparece na condição coletiva de quantidade, mas na condição qualitativa de singularidade.
    A seleção de um obreiro pela sua lucidez tem por objetivo identificar a capacidade de apreensão da totalidade de uma situação e de descrevê-la considerando a complexidade de um caso concreto. “Através de um mergulho profundo e exaustivo no objeto delimitado. Em outra ponta este deve ser capaz de conduzir um estudo de caso, pois o estudo de caso possibilita a facilidade de compreensão de uma realidade não conseguida pelos métodos de análise estatística.
    Para que o obreiro tenha poder físico e moral para exercer a autoridade inerente ao cargo funcional e para que possa influenciar, de forma positiva, “tanto para admoestar como para ensinar a sã doutrina e convencer os contradizentes” às regras são fixas e estão bem claras na Bíblia, portanto é necessária a lucidez. Paulo demonstra, de forma cabal, os motivos de tanta severidade na escolha e aponta para a situação em que já se encontrava a igreja naquela época. Ele diz:
    -“Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores”. Bem como, demonstra que existe uma necessidade premente “tapar a boca” dos que enveredam pelas práticas e pelo ensino do que não convém a igreja.
    Na época de Paulo a necessidade era eliminar as tendências dos cultos gregos e dos cultos judaizantes, cujos temas clássicos são: a justiça divina como conceito de retribuição de Deus vingando os justos (isto é próprio dos fariseus) e punindo os pecadores; os escrúpulos alimentares; a validade da aplicação da lei da purificação, a validade dos dízimos com preceito afeto a salvação e o problema do sábado, entre outros. Outro ponto é a fanfarrice daqueles que alardeia de sua própria posição (eu sou) e exageram apenas seu valor próprio por torpe ganância ou por vaidade. Os ventos de doutrinas, os modismos, os cultos judaizantes tem prevalecido, pois são os solinho de guitarra, os gritinhos desafinados e mulheres andando “feito bichos” nos palcos das salas de reuniões que enchem os templos e os congressos, mas isso está longe do reino de Deus [19].
    Por fim, manda a Bíblia que esses tais sejam repreendidos severamente, porém dentro das finalidades da Palavra de Deus: “para que sejam sãos na fé”. E ainda assevera que às fábulas judaicas e Mandamentos de homens, os quais não produzem resultados positivos, sejam banidos do alcance dos ouvidos dos fiéis.
    O que está em discussão na igreja é o entendimento e consciência do que Deus quer para o ente humano (o evangelho de Cristo é a lei na prática). Mas, ao invés disto os fiéis estão sendo contaminados com as tolices religiosas dos gregos, dos romanos e dos rituais judaizantes da lei da purificação e das falácias dos que negam a eficácia das boas obras (Tito 1:16).[20]


  2. Warning: file_get_contents(http://...@hotmail.com) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    Nilton Junior
    Escreveu:

    ADOREI ESTE SITE E TENHO CERTEZA QUE JÁ É UMA BENÇÃO PARA OS AMANTES DE EBD…(COMO EU)


  3. Warning: file_get_contents(http://...@bol.com.br) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    valdoestacio
    Escreveu:

    Pr., eu aodrei a EBD, poius tabalho aos domingos pela manhã e não tinha oportunidade de ir à escola diminical, mas Graças à Deus vc stem este EDB onde daqui do trabalho pesso participar(sem interferir no serviço). Peço por favor que verifiquem o audio, pois parece q tem alguem digitando em maq de escrever e atrapalha.
    A paz do Senhor.


  4. Warning: file_get_contents(http://...@hotmail.com) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    Luiz Henrique
    Escreveu:

    Façam Download dos vídeos e o áudio melhora. Não estou em condições financeiras de comprar um bom microfone, por enquanto,

Comente.