Wordpress Themes

Conservando a Pureza da Doutrina Pentecostal - Ev. Luiz Henrique

Complementos, ilustra√ß√Ķes, question√°rios e v√≠deos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

TEXTO √ĀUREO

“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvar√°s, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” 0 Tm 4.16).

VERDADE PR√ĀTICA

Mantendo-se firme e fiel √† Palavra de DEUS, a Igreja de CRISTO conservar√° a s√£ doutrina no poder do ESP√ćRITO SANTO.

LEITURA DI√ĀRIA

Segunda -Ef 6.11 - Armados contra as astutas ciladas do Diabo

Terça - At 19.19 - O Evangelho leva ao abandono do ocultismo

Quarta - Mt 10.16 - Prudência e simplicidade

Quinta - 1 Co 14,20 - Menino na malícia, adulto no entendimento

Sexta - Cl 2.8 - Cuidado com as filosofias e v√£s sutilezas

S√°bado - Cl 2,4 - Cuidado com palavras persuasivas

LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE - 2 Tim√≥teo 4-1-4; 2 Pedro 2.1-3

2 Timóteo 4

1 - Conjuro-te, pois, diante de DEUS e do Senhor JESUS CRISTO, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino, 2 - que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. 3 - Porque virá tempo em que não sofrerão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; 4 - e desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas.

2 Pedro 2

1 - E tamb√©m houve entre o povo falsos profetas, como entre v√≥s haver√° tamb√©m falsos doutores, que introduzir√£o encobertamente heresias de perdi√ß√£o e negar√£o o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdi√ß√£o. 2 - E muitos seguir√£o as suas dissolu√ß√Ķes, pelos quais ser√° blasfemado o caminho da verdade; 3 - e, por avareza, far√£o de v√≥s neg√≥cio com palavras fingidas; sobre os quais j√° de largo tempo n√£o ser√° tardia a senten√ßa, e a sua perdi√ß√£o n√£o dormita.

 

PALAVRA-CHAVE - Doutrina - Ensino, instrução dos princípios bíblicos.

 

Introdução:

Como estamos comemorando 100 anos de nossa denominação (Assembléia de DEUS), deveríamos dirigir o nosso olhar crítico para dentro de nossos templos e para nosso comportamento cristão nesse tempo de pós-modernidade.

√Äs vezes nos preocupamos tanto com as outras denomina√ß√Ķes (coamos o mosquito), que deixamos de perceber grandes heresias em nosso meio (passa um camelo pela nossa rede).

Quando as heresias crescem devemos reconhecer que √© porque o leg√≠timo ensino diminui. Quando nossos professores de EBD e l√≠deres em geral deixam o estudo sistem√°tico da b√≠blia e se aprofundam em livros de autores duvidosos, ent√£o ocorre a liberdade de introdu√ß√£o de heresias na igreja. Isso sempre vem atreves de l√≠deres, aqueles que t√™em oportunidade de difundirem suas id√©ias, vis√Ķes, revela√ß√Ķes (tudo vindo de livros estranhos a nosso meio).

O amor ao dinheiro, por parte da lideran√ßa, tem sido a causa principal da situa√ß√£o deplor√°vel de que se aproxima a igreja, nesses √ļltimos dias.

A pol√≠tica partid√°ria e humanista tem invadido nossos templos e a venda de almas passou, a muito, a ser normal; pol√≠ticos pregam em nossos p√ļlpitos e compram nossos l√≠deres por bagatelas. Pobreza passou a ser indicativo de pecado ou demonismo. Doen√ßa passou a ser possess√£o maligna. J√° temos a venda de indulg√™ncias gospel (toalhinhas, len√ßos, √≥leo ungido, rosa ungida, etc…) em nossas igrejas, sendo que todos fazem vista grossa.

A doutrina da prosperidade financeira √© largamente difundida em nossos p√ļlpitos e aos ricos cada vez se d√° maior prioridade, at√© mesmo assumindo cargos de confian√ßa e minist√©rios da igreja sem nem mesmo serem batizados com o ESP√ćRITO SANTO; ainda superlotam nossos p√ļlpitos, lugar de homens cheios do ESP√ćRITO SANTO, de santidade e de f√©.

Nossas escolas nem s√£o mais chamadas de b√≠blicas, mas somente de escola dominicais, tamanha a falta de conte√ļdo b√≠blico e de professores comprometidos com o conhecimento verdadeiro de DEUS. Professores que em sua maioria nunca leram a b√≠blia toda nem pelo menos 2 vezes, n√£o l√™em a li√ß√£o da revista nem duas vezes antes de ministrar a aula e muitos deles nem batizados com o ESP√ćRITO SANTO s√£o. A evas√£o das EBD’s cada dia aumenta mais e muitos de nossos l√≠deres nem a freq√ľentam.

J√° existem diversas igrejas com o nome de Assembl√©ia de DEUS onde cadeiras s√£o separadas nos p√ļlpitos para que anjos se assentem nelas e em nossos cultos quando algu√©m diz que viu um anjo o povo grita e se desmancha em l√°grimas, enquanto que se algu√©m disser que JESUS est√° ali ningu√©m se importa mais.

A doutrina do merecimento religioso assume papel mais importante do que a doutrina da gra√ßa de DEUS e jejum a muito que virou palavr√£o proibido em nossas congrega√ß√Ķes.

As m√ļsicas e hinos, de p√©ssima qualidade por sinal, s√£o cantados por pessoas de p√©ssimo testemunho e que mais querem ser adorados do que adorar a DEUS. 70% de nossos cultos s√£o gastos com m√ļsica, avisos, apresenta√ß√Ķes e bajula√ß√Ķes, enquanto a ministra√ß√£o da Palavra vai ficando cada dia mais desprezada e o ensino a muito n√£o tem espa√ßo em nossos cultos de Domingo a noite (√ļnico dia em que se congregam todos?).

Culto de doutrina virou culto de ensino, onde se conta mais história bíblica do que se ensina sobre doutrinas bíblicas (não é sobre costume que estamos falando, é sobre doutrina bíblica).

Nossas vigílias se tornaram bailes onde o povo dança na carne dizendo que é no Espírito. A oração e busca por dons foram esquecidos.

Em nossas igrejas já não se respeita a DEUS e as pessoas andam de um lado para outro, vão tomar água e vão ao banheiro o tempo todo, crianças levam brinquedos e doces para o culto e passeiam por toda parte. Os cantores e musicistas saem da igreja na hora da pregação, pois para eles a explanação da Palavra não tem maior valor do que aquilo que já fizeram: cantar ou tocar.

Pagamos fortunas para cantores e pregadores nos trazerem o que n√≥s n√£o temos, DEUS PRESENTE EM NOSSO MEIO. Nos emocionamos, choramos, falamos em l√≠nguas e vamos para nossas casas dizendo que o culto foi uma b√™n√ß√£o. Acordamos com ressaca de b√™n√ß√£os e deixamos de congregar, de orar e de ler a b√≠blia durante o restante da semana; ficamos pior do que √©ramos antes das “b√™n√ß√£os”.

Nossos l√≠deres est√£o cada vez mais ricos (casas luxuosas, carros de luxo, etc…), nossos mission√°rios est√£o cada vez mais pobres (doentes, sem condu√ß√£o, morando em casas alugadas, baix√≠ssimos sal√°rios).

A hierarquia do poder chegou √† igreja e seu “dono” (que n√£o √© mais JESUS), s√≥ passa o poder sobre ela para seu filho para que a dinastia ou monarquia tenha prosseguimento.

Nosso povo congrega mais em outras denomina√ß√Ķes do que em nossas congrega√ß√Ķes pois s√≥ temos um culto (quando temos) por dia, tamb√©m os milagres l√° s√£o freq√ľentes, enquanto em nossas congrega√ß√Ķes h√° muito n√£o se v√™ um. Enquanto l√° se faz fila para dar testemunho de milagres recebidos, fazemos fila nas portas de hospitais e cl√≠nicas.

MEU DEUS! Nos revela a doutrina dos apóstolos! Nós não estamos enxergando mais a bíblia!

 

Veja abaixo exemplo de algumas doutrinas bíblicas que deveriam estar sendo ensinadas na igreja.

DENTRO DA TEOLOGIA SISTEM√ĀTICA PODEMOS ESTUDAR PELO MENOS ESSAS MAT√ČRIAS EM NOSSOS CULTOS DE DOUTRINA:

 

TEOLOGIA SISTEM√ĀTICA
Bibliologia ¬†Estuda sobre a forma√ß√£o e organiza√ß√£o dos livros da B√≠blia. √Č a ci√™ncia da hist√≥ria e composi√ß√£o dos livros da B√≠blia. A Bibliologia releva o livro como a pr√≥pria informa√ß√£o
Teontologia  Estuda sobre DEUS. Estudo da Pessoa de Deus. A parte da teologia sistemática onde se estuda o ser de Deus é chamada de teontologia. Também nessa parte são comumente estudadas as obras de Deus.
Angelologia ¬†Estuda sobre Anjos. Satanologia demonologia, doutrina dos anjos bons e ca√≠dos, Satan√°s, Diabo, L√ļcifer, acusador, advers√°rio, Belzebu, serpente, drag√£o, Belial, maligno, dem√īnios, endemoninhado, possess√£o.
Antropologia  Estuda sobre o Homem. A origem etimológica deriva do grego ???????? anthropos, (homem / pessoa) e ????? (logos -razão / pensamento) é a ciência centralizada no estudo do homem.
Hamartiologia  Estuda sobre o Pecado. A área da teologia sistemática que estuda a doutrina do homem em relação ao pecado é denominada hamartiologia.
Cristologia  Estuda sobre JESUS CRISTO. A Cristologia é o estudo sobre Cristo, é uma parte da teologia cristã que estuda e define a natureza de Jesus, a doutrina da pessoa e da obra de Jesus Cristo, com uma particular atenção à sua relação com Deus, às origens, ao modo de vida de Jesus de Nazaré, visto que estas origens e seu papel dentro da doutrina de salvação, tem sido objeto de estudo e discussão desde os primórdios do Cristianismo.
Pneumagiologia ¬†Estudo sobre o ESP√ćRITO SANTO. Procedente de tr√™s termos gregos: pneuma (esp√≠rito), hagios (santo) e logia (estudo, ci√™ncia). Esta defini√ß√£o √© mais precisa do que “pneumatologia” (lit. estudo do esp√≠rito) que se refere ao estudo teol√≥gico de fatos relacionados ao esp√≠rito de modo geral, sejam anjos, ou a parte imaterial do homem.
Soteriologia ¬†Estuda sobre a salva√ß√£o. A etimologia da palavra “soteriologia”, nos revela que esta , origina-se na jun√ß√£o de duas palavras gregas; √† saber: Soteria = salva√ß√£o + Logos = palavra; tratado ou doutrina, significando assim “doutrina da salva√ß√£o”.
Eclesiologia  Estuda sobre a  Igreja.e sua organização.  A palavra eclesiologia vem do grego Eclésia (=igreja) e logia (=estudo), sendo assim eclesiologia o estudo da Igreja
Escatologia ¬†Estuda sobre as √öltimas Coisas que v√£o acontecer.¬†Escatologia¬†(do ??????, “√ļltimo”, mais o sufixo - logia) √© umaegrego antigo ¬†parte da teologia e filosofia que trata dos √ļltimos eventos na hist√≥ria do mundo ou do destino final do g√™nero humano, comumente denominado como¬†fim do mundo. Em muitas religi√Ķes, o fim do mundo √© um evento futuro profetizado no texto sagrado ou folclore. De forma ampla, escatologia deve se relacionar com conceitos tais como Messias ou Era Messi√Ęnica, o p√≥s-vida, e a alma.

 

2 Timóteo 4-1-6

UM APELO FINAL NO SENTIDO DE PREGAR O EVANGELHO 1 Tm 4.:1-6

À medida em que sua carta chega ao fim, Paulo reitera com seriedade solene o apelo que tem sido o tema principal dela do começo ao fim (cf. 1 :6, 8, 13; 2: 1-3, 8, 14; 3: 14). Uma nota elevada lhe é transmitida pela sua consciência de que seu próprio martírio não pode demorar muito e que, depois da partida dele, Timóteo terá de firmar-se sobre seus próprios pés e arcar com as responsabilidades sozinho, como sucessor  de Paulo. .

1. Como em 1 Tm 5: 21, faz do seu apelo uma petição: Conjuro-te, esta vez chamando como testemunhas Deus e Cristo Jesus que há de julgar vivos e mortos. A referência ao julgamento é especialmente apropriada, pois é Cristo quem, na Sua segunda vinda, julgará até que ponto Timóteo, e .todo outro ministro do evangelho, tem desempenha

do suas obriga√ß√Ķes momentosas. A f√≥rmula binitariana, como a de 1 Tm 6:13, tem um som lit√ļrgico, e √© provavelmente tirada de um credo batismal primitivo. Ecos de mat√©ria dos credos s√£o freq√ľentes nos escritos de Paulo, e juiz dos vivos e dos mortos” tomou-se estereotipado j√° em data recuada (At 10:42; 1 Pe 4: 5).

 

Paulo então varia a construção da sua frase, apelando a Timóteo pela, i.é, em nome da, manifestação de Cristo e pelo seu reino, artigos da fé e esperança cristãs que devem fortalecer sua resolução. Ao passo que

em 1: 10 “manifesta√ß√£o”¬†(aparecimento,¬†Gr¬†epiphaneia)¬†referia-se ao primeiro aparecimento de Cristo na terra na encarna√ß√£o, aqui, como no v. 8 abaixo, 1 Tm 6: 14, (ver a nota ali), e Tt 2: 13, denota Sua volta futura em gl√≥ria. Seu¬†reino¬†√© naturalmente vinculado com ela, pois √© ap√≥s o julgamento que consumar√° Seu¬†reino¬†para os eleitos (ver nota sobre 18 abaixo).

2. O vers√≠culo seguinte, com sua insist√™ncia:¬†prega a palavra¬†(cf. GI 6:6; Cl 4:3), resume aquilo que o Ap√≥stolo acredita ser o dever pr√°tico urgente de Tim√≥teo na presente situa√ß√£o cr√≠tica. Deve¬†instar, quer seja oportuno, que n√£o.O verbo (Gr.¬†ephistanai)¬†pode ter o significado militar de “ser postado,” “ficar o seu posto,” mas n[o h√° sugest√£o disto

no contexto; seu sentido mais usual, “estar de prontid√£o,” “estar dispo:…

n√≠vel,” “estar na sua tarefa” (aqui com refer√™ncia √† lideran√ßa da igreja), ressalta exatamente o que Paulo quer dizer. Os dois adv√©rbios formam uma alitera√ß√£o proverbial (Gr.¬†eukair√Ķs, akair√Ķs),¬†e podem ser parafraseados: “Quer o momento pare√ßa oportuno, quer n√£o.”

Embora, naturalmente, semelhante an√°lise tenha estado longe da mente de Paulo, os tr√™s imperativos que se seguem t√™m sido tomados como ilustra√ß√£o do apelo tr√≠plice do pregador √† raz√£o, √† consci√™ncia, e da vontade. Tim√≥teo deve¬†corrigir¬†o erro por argumentos arrazoados; e n√£o deve hesitar em¬†repreender¬†quando a censura se toma necess√°ria. Mais positivamente, deve¬†exortar¬†(que √© uma tradu√ß√£o mais apropriada do que “encorajar,” que alguns preferem), i.√©, conclamar seu rebanho ao arrependimento e √† perseveran√ßa. Em todos estes pap√©is, no entanto, deve aplicar “todo tipo de longanimidade e ensino” (lit.¬†com toda a longanimidade e doutrina).¬†Seja qual a abordagem que esteja empregando (as palavras qualificam todos os tr√™s imperativos anteriores), nunca perder√° a paci√™ncia com as pessoas (cf. 2:25; 3: 10; 1 Tm 1: 16), e sempre deve mostrar-se um ensinador sadio da verdade crist√£, cheio de recursos.

3,4. O ensino destemido como este √© tanto mais urgentemente necess√°rio porque¬†haver√° tempo em que n√£o suportar√£o a s√£ doutrina.¬†Como noutros lugares nas Pastorais (1 Tm 1: 10 - ver a nota ali; 6: 3; 2 Tm 1: 13; Tt 1 :9, 13; 2:8), a mensagem do evangelho, em contraste com outras doutrinas, e especificamente as dos mestres do erro, √© descrita como sendo “sadia” ou “s√£.” N√£o h√° necessidade de supor que um escritor posterior esteja retratando a crise dos seus pr√≥prios dias mediante o artif√≠cio transparente de colocar uma profecia na boca do Paulo hist√≥rico. Os homens e as mulheres j√° est√£o achando, conforme o Ap√≥stolo n√£o pode deixar de observar com dor, o evangelho desagrad√°vel ao paladar, e ele, com seu senso v√≠vido das crescentes tribula√ß√Ķes dos “√ļltimos dias” pode facilmente prever que este √© apenas um antegosto de coisas ainda piores que se seguir√£o.

Por exemplo, ao inv√©s de ficarem satisfeitas com um √ļnico l√≠der, como Paulo ou Tim√≥teo, que prega o evangelho de modo honesto, quer as pessoas gostem, quer n√£o, elas¬†cercar-se-√£o de mestres, segundo as suas pr√≥prias cobi√ßas,¬†i.√©, que lhes contar√£o ou coisas que desejam ouvir, ou coisas que pretendem excitar sua imagina√ß√£o ou agu√ßar sua curiosidade religiosa, independentemente, nos dois casos, da veracidade do que dizem. S√£o as v√≠timas, acrescenta Paulo com um raiar de introspec√ß√£o na psicologia religiosa m√≥rbida, de¬†sentir coceira nos ouvidos.¬†Tal ser√° seu apetite por aquilo que √© sensacional que¬†se recusar√£o a dar ouvidos¬†(lit. “seu ouvir,”. o mesmo substantivo que na cl√°usula participial anterior)¬†√† verdade¬†(”desviar√£o seus ouvidos da verdade”), e, pelo contr√°rio, achar√£o satisfa√ß√£o nas¬†f√°bulas.¬†Para estas, ver sobre 1 Tm 1 :4; Paulo est√° fazendo uma alus√£o sombria aos ensinos dos mestres do erro, e advertindo Tim√≥teo que as enfermidades do futuro, com as quais ter√° de lidar, ser√£o apenas uma intensifica√ß√£o dos sintomas presentes.

5. Os sect√°rios, Paulo d√° a entender (conforme j√° foi indicado, est√£o muito presentes na sua mente, embora esteja olhando para o futuro quando Tim√≥teo ser√° o √ļnico encarregado), est√£o, com efeito, totalmente estupefatos pelas suas especula√ß√Ķes fant√°sticas, que tiveram sobre eles o efeito da bebida forte. Em contraste com eles¬†(Tu, por√©m,¬†√© deliberadamente enf√°tico), Tim√≥teo deve¬†ser s√≥brio em todas as coisas.¬†O imperativo usado (Gr.¬†nephe - “s√™ s√≥brio”) .d√° a id√©ia, n√£o que o ministro crist√£o deve ser calmo e imperturb√°vel, nem sequer sempre alerta, mas, sim, que deve conservar-se longe do vinho forte, que sobe √†. cabe√ßa, do ensino her√©tico.

Sua fidelidade talvez signifique que ele, como o pr√≥prio Paulo, deve¬†suportar as afli√ß√Ķes;¬†se for assim, deve estar pronto para elas. Seu dever, afinal das contas, √©¬†fazer o trabalho de evangelista,¬†√©, pregar o evangelho que lhe foi confiado, em contraste com f√°bulas estranhas. Na igreja do s√©culo I, “evangelista” j√° se tornara um t√≠tulo de of√≠cio (cf. At 21:8; Ef 4:11), que conota, conforme uns, um mission√°rio, e conforme outros, um oficial que exercia a fun√ß√£o de um ap√≥stolo sem receber o t√≠tulo. Neste contexto, por√©m, a id√©ia de um of√≠cio especial √© bem inapropriada, e a palavra tem seu significado b√°sico da pessoa que ensina e exp√Ķe o evangelho.

6. Enfim, deve¬†cumprir cabalmente o seu minist√©rio.¬†A admoesta√ß√£o tem urg√™ncia especial porque est√° para tornar-se o sucessor do Ap√≥stolo. Este fato vem a lume no vers√≠culo seguinte, cujas primeiras palavras:¬†Quanto a mim(Gr.¬†Eg√Ķ gar),¬†s√£o extremamente enf√°ticas, e contrabalan√ßam¬†Tu, por√©m¬†(Gr.¬†Su de)¬†no v. 5. O pr√≥prio Paulo nada mais pode fazer, pois¬†est√° sendo j√° oferecido por liba√ßi1o.¬†Como em Fp 2: 17, quando, ent√£o, a possibilidade da morte se apresentava a ele, embora de fato esperasse sua soltura, emprega o verbo grego¬†spendein - (=derramar como liba√ß√£o”). Sua met√°fora v√≠vida provavelmente √© tirada do costume lit√ļrgico judaico de derramar, como o ritual preliminar da oferenda di√°ria no Templo e de certos outros sacrif√≠cios, uma liba√ß√£o (oferta de bebida) de vinho ao p√© do altar (Sx 29:40; Nm 28:7 - na LXX s√£o empregados o mesmo verbo e o mesmo substantivo correlato spondi).¬†Paulo prev√™ que ter√° de morrer, e pensa na sua morte como um sacrif√≠cio; por detr√°s da sua linguagem h√° a cren√ßa judaica (cf. 4 Mac. 6:28-29; 17:21-22) no valor da morte do m√°rtir.

 

2 Pedro 2.1-3

No fim do cap√≠tulo um, Pedro disse que os profetas do Velho Testamento foram movidos (guiados) pelo Esp√≠rito Santo. Contudo, ele observa no cap√≠tulo 2 que havia falsos profetas (homens declarando falsamente estarem falando por Deus) no meio do povo de Israel e haver√° falsos mestres entre os crist√£os. √Č claro que estes falsos mestres s√£o crist√£os que deca√≠ram do Senhor. Eles negam que o Senhor os resgatou do pecado (2:1). Infelizmente, outros disc√≠pulos ser√£o enganados por eles e os seguir√£o (2:2-3). Pedro escreve que estes faltos mestres certamente ser√£o punidos pelo Senhor (2:1,3,9-10,12,17).

Para que ningu√©m pense que estes falsos mestres podem permanecer escondidos no meio da igreja, Pedro afirma a capacidade do Senhor para separar os justos dos injustos, punindo os injustos e preservando os retos (2:4-9). Para ilustrar este ponto, Pedro cita os exemplos de anjos que pecaram (2:4; veja tamb√©m Judas 6), No√© e sua fam√≠lia (2:5) e L√≥ (2:6-8). Os anjos rebeldes est√£o reservados para o julgamento. No√© e sua fam√≠lia foram salvos do dil√ļvio enquanto o resto da humanidade foi afogada. L√≥ foi resgatado de Sodoma, mas a cidade inteira foi completamente destru√≠da. Pedro √© cuidadoso ao notar a retid√£o de No√© e L√≥.

Pedro descreve o car√°ter destes falsos mestres. Eles s√£o arrogantes e n√£o t√™m respeito pela autoridade (2:10,18). Eles s√£o indiv√≠duos gananciosos, tirando lucro financeiro dos seus “disc√≠pulos” (2-3S “movidos por avareza, far√£o com√©rcio de v√≥s”; 2:14S “tendo cora√ß√£o exercitado na avareza”; 2:15S seguiram no erro de Bala√£o que queria lucrar amaldi√ßoando Israel). Al√©m disso, eles s√£o culpados de imoralidade (2:10S “imundas paix√Ķes”; 2:13S “sua lux√ļria carnal”; 2:14S “tendo os olhos cheios de adult√©rio”).

Pedro descreve vivamente a situa√ß√£o daqueles que deixam Cristo e retornam ao mundo. Eles se tornam escravos da corrup√ß√£o (2:19). O √ļltimo estado destas pessoas (mais uma vez enredados no pecado) √© pior do que o primeiro. Tendo sido libertados da corrup√ß√£o do mundo atrav√©s do seu conhecimento de Cristo, se retornam a estas contamina√ß√Ķes, eles s√£o compar√°veis ao c√£o que retorna para comer seu pr√≥prio v√īmito e o porco lavado que retorna ao lama√ßal (2:20-22). Que mais tem o evangelho para oferecer √†queles que rejeitaram Jesus Cristo? Absolutamente nada.¬†1997 Allen Dvorak.

 

SANTIFICA√á√ÉO…MAIS DO QUE UMA NECESSIDADE: UMA ORDEM!

Eu realmente acreditava que todos aqueles que crêem em JESUS como seu Senhor e Salvador já sabiam deste plano, mas tenho testemunhado muita gente, até pastores, esquecendo das artimanhas do inimigo e caindo como patinhos, sendo seduzidos pela beleza e humanidade dos argumentos de satanás.

Façamos um raciocínio lógico e gradual para, no final, podermos visualizar com clareza os métodos e os propósitos do maligno.

Antes de mais nada, recomendo a leitura de¬†Hebreus 12¬†e¬†I Tessalonicenses 4¬†(de onde destacarei alguns detalhes de suma import√Ęncia): vejam que santifica√ß√£o √© diferente de salva√ß√£o!

N√£o pretendo me deter (ao menos nesse estudo) explicando tais detalhes, mas basta que saibamos que todo aquele que cr√™ ser√° salvo, pois a salva√ß√£o √© dom gratuito de DEUS e n√£o vem a partir de nenhuma de nossas pr√≥prias obras. J√° a santifica√ß√£o √© um processo cont√≠nuo onde o indiv√≠duo se separa das coisas da carne e do mundo, buscando aproximar-se do padr√£o de DEUS para o homem. “SANTO” √© igual a “separado”, e podemos encontrar diversas exorta√ß√Ķes √† santidade por toda a B√≠blia.

Vejamos algumas:

“Disse Josu√© tamb√©m ao povo: Santificai-vos, porque amanh√£ far√° o Senhor Maravilhas no meio de v√≥s.”¬†(Josu√© 3:5)

“E j√° vos esquecestes da exorta√ß√£o que argumenta convosco como filhos: Filho meu, n√£o desprezes a corre√ß√£o do Senhor, e n√£o desmaies quando por Ele fores repreendido; Porque o Senhor corrige o que ama, e a√ßoita a qualquer que recebe por filho. Se suportais a corre√ß√£o, DEUS vos trata como filhos; porque, que filho h√° a quem o pai n√£o corrija? Mas, se estais sem disciplina, da qual todos s√£o feitos participantes, sois ent√£o bastardos, e n√£o filhos.”¬†(Hebreus 12:5-8)

“E, na verdade, toda corre√ß√£o, ao presente, n√£o parece ser de gozo, sen√£o de tristeza, mas depois produz um fruto pac√≠fico de justi√ßa nos exercitados por ela. Portanto, tornai a levantar as m√£os cansadas, e os joelhos desconjuntados, e fazei veredas direitas para vossos p√©s, para que o que manqueja n√£o se desvie inteiramente, antes seja sarado. Segui a paz com todos,¬†e a santifica√ß√£o, sem a qual ningu√©m ver√° o Senhor.”¬†(Hebreus 12:11-14)

“Ora, amados, pois que temos tais promessas¬†[1], purifiquemo-nos de toda a imund√≠cia da carne e do esp√≠rito, aperfei√ßoando a santifica√ß√£o no temor de DEUS.”¬†(II Cor√≠ntios 7:1)

“Porque v√≥s bem sabeis que mandamentos vos temos dado pelo Senhor JESUS. Porque esta √© a vontade de DEUS, a vossa santifica√ß√£o; que vos abstenhais da prostitui√ß√£o; Que cada um de v√≥s saiba possuir o seu vaso em santifica√ß√£o e honra; N√£o na paix√£o da concupisc√™ncia, como os gentios, que n√£o conhecem a DEUS. Ningu√©m oprima ou engane seu irm√£o em neg√≥cio algum, porque o Senhor √© vingador de todas estas coisas, como tamb√©m antes vo-lo dissemos e testificamos. Porque n√£o nos chamou DEUS para a imund√≠cia, mas para a santifica√ß√£o.”¬†(I Tessalonicenses 4:2-7)

“E qual √© aquele que vos far√° mal, se fordes zelosos do bem? Mas tamb√©m, se padecerdes por amor da justi√ßa, sois bem-aventurados. E n√£o temais com medo deles, nem vos turbeis; Antes, santificai ao Senhor DEUS em vossos cora√ß√Ķes; e estai sempre preparados para responder com mansid√£o e temor a qualquer que vos pedir a raz√£o da esperan√ßa que h√° em v√≥s.”¬†(I Pedro 3:13-15)

Ent√£o, se “ser santo” e “santificar” √© seguir o padr√£o e a vontade de DEUS, vejamos algumas formas de como “exercitar” tais atributos (ou n√£o…):

“Rogo-vos, pois, irm√£os, pela compaix√£o de DEUS, que apresenteis os vossos corpos em sacrif√≠cio vivo, santo e agrad√°vel a DEUS, que √© o vosso culto racional. E n√£o sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renova√ß√£o do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agrad√°vel, e perfeita vontade de DEUS.”¬†(Romanos 12:1-2)

“Ad√ļlteros e ad√ļlteras, n√£o sabeis v√≥s que a amizade do mundo √© inimizade contra DEUS? Portanto qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de DEUS. Ou cuidais v√≥s que em v√£o diz a Escritura: O ESP√ćRITO que em n√≥s habita tem ci√ļmes?”¬†(Tiago 4:4-5)

“Porque a sabedoria deste mundo √© loucura diante de DEUS; pois est√° escrito: Ele apanha os s√°bios na sua pr√≥pria ast√ļcia. E outra vez: O Senhor conhece os pensamentos dos s√°bios, que s√£o v√£os. Portanto ningu√©m se glorie nos homens; porque tudo √© vosso; seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, seja a vida, seja a morte, seja o presente, seja o futuro; tudo √© vosso, e v√≥s de CRISTO, e CRISTO de DEUS.”¬†(I Cor√≠ntios 3:19-23)

Ent√£o temos aqui algumas claras exorta√ß√Ķes √†queles que est√£o colocando o mundo para dentro da igreja, buscando formas de evangelismo que n√£o est√£o amparadas na B√≠blia, por√©m s√£o baseadas √ļnica e exclusivamente na experi√™ncia, sabedoria e revela√ß√£o humana.

Chega a ser engra√ßado ver algumas pessoas (inclusive pastores) citando o trecho “a tempo e fora de tempo” para justificar o pragmatismo insano que aplicam em suas igrejas, mas parece que ningu√©m mais l√™ sequer um par√°grafo inteiro da B√≠blia e todos passam a se basear apenas em “m√°ximas” do jarg√£o evang√©lico. Vejamos o texto na √≠ntegra:

“Conjuro-te, pois, diante de DEUS, e do Senhor JESUS CRISTO, que h√° de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. Porque vir√° o tempo em que n√£o suportar√£o a s√£ doutrina; mas tendo comich√£o nos ouvidos, amontoar√£o para si doutores conforme as suas pr√≥prias concupisc√™ncias; e desviar√£o os ouvidos da verdade, voltando √†s f√°bulas.”¬†(II Tim√≥teo 4:1-4)

 

Vejam que a prega√ß√£o a que o ap√≥stolo Paulo est√° se referindo n√£o √© aquela que chamo de “easy salvation” e tem sido repetida “ad infinitum” nas igrejas do novo paradigma com intuito de atrair os chamados “sem igreja”. Notem que a prega√ß√£o aqui tamb√©m envolve repreens√£o, exorta√ß√£o… sem deixar de ser long√Ęnime, por√©m sem abandonar a doutrina!

Outra “m√°xima” sempre citada fora de contexto √©¬†”Examinai tudo. Retende o bem.”, texto de¬†I Tessalonicenses 5:21. Por√©m, novamente s√£o desprezados tanto o verso anterior quanto o posterior. Vejamos:

“N√£o desprezeis as profecias. Examinai tudo. Retende o bem. Abstende-vos de toda a apar√™ncia do mal.”¬†(I Tessalonicenses 5:20-22)

Em algumas vers√Ķes, ao inv√©s de “abstende-vos”, usa-se “desviai-vos” e em outras at√© mesmo o termo “fugi”… ent√£o, ao contr√°rio do que muitas pessoas afirmam , ao detectarmos a¬†simples apar√™ncia¬†do mal, devemos descartar o objeto examinado em quest√£o e n√£o tentar “filtrar” ou aprender alguma coisa daquele meio.

-Se est√£o colocando m√ļsicas “suspeitas” nos cultos de sua igreja para agradar o “p√ļblico jovem”…

-Se doutrinas estranhas s√£o aceitas em nome do aumento do n√ļmero de convers√Ķes…

-Se quem decide quando, como e onde uma mensagem ser√° pregada √© o p√ļblico alvo ao inv√©s do ESP√ćRITO SANTO…

-Se para “ganhar o mundo” a igreja est√° trazendo este mundo para dentro da igreja…

-Se m√©todos estranhos (regress√£o, mantras, hipnose, altera√ß√£o do estado de consci√™ncia…) est√£o sendo usados…

-Se h√° amuletos, idolatria (em qualquer aspecto), misticismo, esoterismo…

-Se os mortos “seguramente” intercedem pelos vivos…

-Se JESUS CRISTO deixa de ser o √ļnico intercessor entre o homem e DEUS…

-Se as b√™n√ß√£os s√≥ e somente vierem mediante o d√≠zimo e as ofertas…

-Se as prega√ß√Ķes n√£o s√£o 100% baseadas na B√≠blia e 100% dentro do contexto b√≠blico…

-Se h√° exibi√ß√Ķes ecum√™nicas…

-Se h√° homossexualismo, div√≥rcio, sexo fora do casamento (tanto entre os membros quanto entre os l√≠deres)…

-Se a igreja deixou de ser igreja e passou a ser uma empresa…

-Se h√° improbidade administrativa, contendas, alcoolismo…

-Se as mensagens s√£o feitas para agradar os pecadores ao inv√©s de convenc√™-los de seus pecados…

-Se textos b√≠blicos est√£o sendo retirados de seus contextos para tornarem-se pretextos…

 

Se você é um cristão salvo genuíno e pode identificar que qualquer um (ou mais) dos itens acima citados está ocorrendo em sua igreja, saiba que esta organização definitivamente não está contribuindo para a sua santificação.

Mesmo que alguns estejam descansados baseando-se em¬†Hebreus 13:17a¬†(”Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que h√£o de dar conta delas.”),

não podem deixar de prestar atenção:

Aos dois avisos que já foram apresentados nesse estudo (I Tessalonicenses 5:20 e II Timóteo 4:3-4);

Às profecias (que não devemos desprezar!) contidas em Mateus 24:5, 11-12, 23-24; II Tessalonicenses 2:3-4; I Timóteo 4:1-3; II Pedro 2; II Pedro 3:17 e Judas.

Aos avisos contidos em Colossenses 2:8, I Timóteo 6:3-5 e Tito 1:10-16.

E nunca se esque√ßam que tal afirma√ß√£o n√£o anula o texto de¬†Romanos 14:12¬†(”De maneira que cada um de n√≥s dar√° conta de si mesmo a DEUS.”)

Portanto, amados irmãos, a santificação é recomendada e deve ocorrer, mesmo que através de esforços pessoais.

Ah! Vejam também que os métodos para atingirmos tal meta (a santificação) estão todos relacionados na Bíblia!

A seguir veremos o motivo de tantos pastores e mestres agirem de forma t√£o estranha; a causa dessa exorta√ß√£o √† santifica√ß√£o e onde e porque Satan√°s entra nessa hist√≥ria toda…

 

COMO SATAN√ĀS ENTROU NA HIST√ďRIA…

Creio que o que vou falar aqui n√£o ser√° novidade para nenhuma pessoa que estude a B√≠blia seriamente, por√©m sei que tamb√©m h√° muitos que ainda n√£o foram apresentados a tais informa√ß√Ķes. Come√ßo esta segunda parte apresentando algumas das caracter√≠sticas sat√Ęnicas descritas na pr√≥pria palavra de DEUS. Vejamos o que o ap√≥stolo Pedro nos diz:

“Sede s√≥brios; vigiai; porque o diabo, vosso advers√°rio, anda em derredor, bramando como le√£o, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na f√©, sabendo que as mesmas afli√ß√Ķes se cumprem entre os vossos irm√£os no mundo.”¬†(I Pedro 5:8-9)

Ratificando a recomendação de que devemos resistir através de nossa firmeza na fé, Tiago escreve em sua epístola:

“Sujeitai-vos, pois, a DEUS, resisti ao diabo, e ele fugir√° de v√≥s.”¬†(Tiago 4:7)

E, diante de tais “apresenta√ß√Ķes”, a maioria dos crist√£os se prepara para enfrentar, literalmente, um le√£o atrav√©s de uma resist√™ncia ativa… quase uma luta f√≠sica! N√£o nego que algumas vezes tal tipo de a√ß√£o chega realmente a ser necess√°ria, por√©m tamb√©m n√£o √© falso afirmar que a chamada cultura popular criou todo uma imagem (muitas vezes sem fundamento b√≠blico) em torno desse querubim ca√≠do.

A maioria dos livros e os filmes apresentam muitas vezes este personagem de maneira quase c√īmica, com sentimentos de homem e, ainda por cima, pass√≠vel de ser ludibriado atrav√©s da engenhosidade humana. H√° ainda aqueles que surpreendentemente colocam seres infernais como her√≥is ou at√© mesmo apresentam uma “fam√≠lia” (mostrando principalmente uma suposta afetividade paternal diab√≥lica).

A m√≠dia j√° fez muito bem (e continua fazendo com cada vez mais compet√™ncia) a sua parte na conscientiza√ß√£o popular para a futura e breve aceita√ß√£o de Satan√°s pelo homem. A bruxaria, com todos os seus poss√≠veis nomes, j√° virou desenho animado e brincadeira para crian√ßas. Rituais demon√≠acos s√£o apresentados como fonte de poder e conhecimento at√© mesmo em desenhos animados, assim como possess√£o espiritual, mediunidade e outros fen√īmenos diretamente relacionados √† a√ß√£o sat√Ęnica.

Porém as pessoas parecem não levar a sério importantíssimos alertas bíblicos:

“E para isso vos escrevi tamb√©m, para por esta prova saber se sois obedientes em tudo. E a quem perdoardes alguma coisa, tamb√©m eu; porque, o que eu tamb√©m perdoei, se √© que tenho perdoado, por amor de v√≥s o fiz na presen√ßa de CRISTO; para que n√£o sejamos vencidos por Satan√°s; Porque n√£o ignoramos os seus ardis.”¬†(II Cor√≠ntios 2:9-11)

“Revesti-vos de toda a armadura de DEUS, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque n√£o temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os pr√≠ncipes das trevas deste s√©culo, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.”¬†(Ef√©sios 6:11-12)

“Conv√©m tamb√©m que tenha bom testemunho dos que est√£o de fora, para que n√£o caia em afronta, e no la√ßo do diabo.”¬†(I Tim√≥teo 3:7)

“E o diabo,¬†que os enganava, foi lan√ßado no lago de fogo e enxofre, onde est√° a besta e o falso profeta; e de dia e de noite ser√£o atormentados para todo o sempre.”¬†(Apocalipse 20:10)

Prestem aten√ß√£o √†s constantes refer√™ncias sobre a intelig√™ncia sat√Ęnica, principalmente nesta √ļltima cita√ß√£o do Apocalipse: se a engana√ß√£o n√£o tivesse sido bem sucedida, certamente o que estaria escrito seria “que os tentava enganar”, por√©m est√° bem claro no texto que o diabo “os enganava”!!!

O diabo sabe muito bem que a maioria das pessoas resistiria firmemente se ele fizesse uma abordagem direta… por isso ele √© capaz de operar atrav√©s de enganos, mentiras e ilus√Ķes. Muitos crist√£os se esquecem de que o diabo tem um poder limitado, mas o suficiente para operar sinais e maravilhas de engano.

Vejamos:

“Mas temo que, assim como a serpente enganou Eva com a sua ast√ļcia, assim tamb√©m sejam de alguma sorte corrompidos os vossos sentidos, e se apartem da simplicidade que h√° em CRISTO. Porque, se algu√©m for pregar-vos outro JESUS que n√≥s n√£o temos pregado, ou se recebeis outro esp√≠rito que n√£o recebestes, ou outro evangelho que n√£o abra√ßastes, com raz√£o o sofrereis (…) Porque tais falsos ap√≥stolos s√£o obreiros fraudulentos, transfigurando-se em ap√≥stolos de CRISTO.¬†E n√£o √© maravilha, porque o pr√≥prio Satan√°s se transfigura em anjo de luz. N√£o √© muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justi√ßa; o fim dos quais ser√° conforme as suas obras.”¬†(II Cor√≠ntios 11: 3-4; 13-15)

“Ora, irm√£os, rogamos-vos, pela vinda de nosso Senhor JESUS CRISTO, e pela nossa reuni√£o com ele, que n√£o vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por esp√≠rito, quer por palavra, quer por ep√≠stola, como de n√≥s, como se o dia de CRISTO estivesse j√° perto. Ningu√©m de maneira alguma vos engane;¬†porque n√£o ser√° assim sem que antes venha a apostasia, e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdi√ß√£o, o qual se op√Ķe, e se levanta contra tudo o que se chama DEUS, ou se adora; de sorte que se assentar√°, como DEUS, no templo de DEUS, querendo parecer DEUS. N√£o vos lembrais de que estas coisas vos dizia quando ainda estava convosco? E agora v√≥s sabeis o que o det√©m, para que a seu pr√≥prio tempo seja manifestado.¬†Porque j√° o mist√©rio da injusti√ßa opera; somente h√° um que agora resiste at√© que do meio seja tirado; E ent√£o ser√° revelado o in√≠quo, a quem o Senhor desfar√° pelo assopro da sua boca, e aniquilar√° pelo esplendor da sua vinda;¬†A esse cuja vinda √© segundo a efic√°cia de Satan√°s, com todo o poder, e sinais e prod√≠gios de mentira, E¬†com todo o engano da injusti√ßa para os que perecem, porque n√£o receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso DEUS lhes enviar√° a opera√ß√£o do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que n√£o creram a verdade, antes tiveram prazer na iniq√ľidade.”¬†(II Tessalonicenses 2:1-12)

“Disse-lhes, pois, JESUS: Se DEUS fosse o vosso Pai, certamente me amar√≠eis, pois que eu sa√≠, e vim de DEUS; n√£o vim de mim mesmo, mas ele me enviou. Por que n√£o entendeis a minha linguagem? Por n√£o poderdes ouvir a minha palavra. V√≥s tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princ√≠pio, e n√£o se firmou na verdade, porque n√£o h√° verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe √© pr√≥prio, porque √© mentiroso, e pai da mentira.”¬†(Jo√£o 8:42-44)

 

O principal objetivo do diabo √© afastar a humanidade do √ļnico e verdadeiro DEUS, levando junto consigo para o inferno o maior n√ļmero de almas que conseguir. E para isso ir√° lan√ßar m√£o de todos os meios diretos e indiretos que estiverem ao seu alcance: sinais, ci√™ncia, v√≠cios, deprava√ß√£o, gan√Ęncia, religi√£o… os motivos j√° conhecidos da maioria.

Por√©m ele tem um m√©todo que pouco √© mencionado como seu “trof√©u”, pois atrav√©s desta t√©cnica ele poder√° tocar nos salvos! Com este m√©todo ele poder√° colocar aqueles que cr√™em em JESUS CRISTO diante de uma escolha paradoxal entre aparente vida e aparente morte… e assim imagina que vai aumentar suas probabilidades de , conforme¬†Mateus 24:24,¬†”enganar os pr√≥prios eleitos”! Que m√©todo √© esse?!? Simples, ele quer impedir que recebamos…

 

O PRÊMIO PELA SANTIFICAÇÃO

Como j√° vimos anteriormente, a santifica√ß√£o √© uma ordem. √Č algo que devemos buscar para nossa vida atrav√©s da aproxima√ß√£o e conhecimento de DEUS atrav√©s de sua palavra. Por√©m h√° muitos salvos que desconhecem essa obriga√ß√£o e, pregui√ßosos, preferem simplesmente colocar sua f√© em tudo que sai de um p√ļlpito devidamente embalado na linda “terminologia crist√£”. Quem age como os crentes de Ber√©ia, conforme citado em¬†Atos 17:11?

Veja o texto e aprenda:

“Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessal√īnica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.”

Quem n√£o se santifica est√° pouco preocupado com a verdade… prefere estar fazendo¬†dancinhas “prof√©ticas”¬†ou comodamente sentado em um banco de igreja sorvendo toda e qualquer mensagem que lhe for oferecida.

Mas… por que dever√≠amos comparar o que dizem nossos pastores (ou l√≠deres, ou bispos, ou ap√≥stolos…) com a B√≠blia? S√£o homens t√£o santos!?!

Meus irm√£os… a B√≠blia afirma desde o Antigo Testamento:

“Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu bra√ßo, e aparta o seu cora√ß√£o do Senhor!”¬†(Jeremias 17:5)

“E veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, profetiza contra os pastores de Israel; profetiza, e dize aos pastores: Assim diz o Senhor DEUS: Ai dos pastores de Israel que se apascentam a si mesmos! N√£o devem os pastores apascentar as ovelhas? Comeis a gordura, e vos vestis da l√£; matais o cevado; mas n√£o apascentais as ovelhas. As fracas n√£o fortalecestes, e a doente n√£o curastes, e a quebrada n√£o ligastes, e a desgarrada n√£o tornastes a trazer, e a perdida n√£o buscastes; mas dominais sobre elas com rigor e dureza. Assim se espalharam, por n√£o haver pastor, e tornaram-se pasto para todas as feras do campo, porquanto se espalharam. As minhas ovelhas andaram desgarradas por todos os montes, e por todo o alto outeiro; sim, as minhas ovelhas andaram espalhadas por toda a face da terra, sem haver quem perguntasse por elas, nem quem as buscasse. Portanto, √≥ pastores, ouvi a palavra do Senhor: Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que, porquanto as minhas ovelhas foram entregues √† rapina, e as minhas ovelhas vieram a servir de pasto a todas as feras do campo, por falta de pastor, e os meus pastores n√£o procuraram as minhas ovelhas; e os pastores apascentaram a si mesmos, e n√£o apascentaram as minhas ovelhas; Portanto, √≥ pastores, ouvi a palavra do Senhor: Assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu estou contra os pastores; das suas m√£os demandarei as minhas ovelhas, e eles deixar√£o de apascentar as ovelhas; os pastores n√£o se apascentar√£o mais a si mesmos; e livrarei as minhas ovelhas da sua boca, e n√£o lhes servir√£o mais de pasto.”¬†(Ezequiel 34:1-10)

“Mas o ESP√ćRITO expressamente diz que nos √ļltimos tempos apostatar√£o alguns da f√©, dando ouvidos a esp√≠ritos enganadores, e a doutrinas de dem√īnios; Pela hipocrisia de homens que falam mentiras, tendo cauterizada a sua pr√≥pria consci√™ncia.”¬†(I Tim√≥teo 4:1-2)

“Porque vir√° o tempo em que n√£o suportar√£o a s√£ doutrina; mas, tendo comich√£o nos ouvidos, amontoar√£o para si doutores conforme as suas pr√≥prias concupisc√™ncias; E desviar√£o os ouvidos da verdade, voltando √†s f√°bulas.”¬†(II Tim√≥teo 4:3-4)

“E tamb√©m houve entre o povo falsos profetas, como entre v√≥s haver√° tamb√©m falsos doutores, que introduzir√£o encobertamente heresias de perdi√ß√£o, e negar√£o o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdi√ß√£o. E muitos seguir√£o as suas dissolu√ß√Ķes, pelos quais ser√° blasfemado o caminho da verdade.”¬†(II Pedro 2:1-2)

“Porque j√° muitos enganadores entraram no mundo, os quais n√£o confessam que JESUS CRISTO veio em carne. Este tal √© o enganador e o anticristo.”¬†(II Jo√£o 7)

“Porque muitos vir√£o em meu nome, dizendo: Eu sou o CRISTO; e enganar√£o a muitos. (…) E surgir√£o muitos falsos profetas, e enganar√£o a muitos. E, por se multiplicar a iniq√ľidade, o amor de muitos esfriar√°. Mas aquele que perseverar at√© ao fim ser√° salvo. (…) Ent√£o, se algu√©m vos disser: Eis que o CRISTO est√° aqui, ou ali, n√£o lhe deis cr√©dito; Porque surgir√£o falsos cristos e falsos profetas, e far√£o t√£o grandes sinais e prod√≠gios que, se poss√≠vel fora, enganariam at√© os escolhidos. Eis que eu vo-lo tenho predito. Portanto, se vos disserem: Eis que ele est√° no deserto, n√£o saiais. Eis que ele est√° no interior da casa; n√£o acrediteis.”¬†(Mateus 24:5; 11-13; 23-26).

 

Creio que n√£o preciso citar outros textos (mas saibam que eles existem) para exortar √†queles que ler√£o este estudo a levar uma vida reta diante da palavra de DEUS e n√£o de acordo com uma filosofia humana ou uma doutrina… quer seja religiosa, quer seja doutrina de dem√īnios.

Pasmem: Satan√°s aparentemente n√£o quer mais impedir que o homem seja salvo! (…√© claro que se ele puder impedir, certamente o far√°!) Mas, sendo inevit√°vel que o homem creia em DEUS atrav√©s de JESUS CRISTO, por que n√£o lev√°-lo a uma dessas igrejas que n√£o valoriza a santifica√ß√£o? Minha imagina√ß√£o me permitiu criar uma suposta reuni√£o de id√©ias entre os dem√īnios:

- √Č t√£o f√°cil enganar o ser humano com tantas atividades, vis√Ķes, deveres, entretenimento… √© t√£o f√°cil mascarar as verdades e ordens b√≠blicas sob a bandeira da “modernidade”!

- Porque n√£o colocar dan√ßas sensuais, teatro e m√ļsicas do mundo nas igrejas tamb√©m?

- Que tal explodir o corpo de CRISTO em pequenos fragmentos mais fracos e passíveis de enganação?

- Ah… j√° que est√° t√£o f√°cil, implantemos novamente a doutrina do confession√°rio e tiremos a fun√ß√£o de √ļnico intercessor de JESUS CRISTO, entregando-a aos entes queridos que morreram!

- Vamos abrir as porteiras e colocar os ma√ßons dentro da igreja… melhor ainda: que eles sejam os pastores!

- Vamos mandar o ESP√ćRITO SANTO embora e deixar que o chamado “p√ļblico alvo” determine quando, como e onde uma mensagem ser√° pregada!

- Se é assim, por que não embutimos nossas técnicas de meditação?

- Fazer os servos de DEUS recitar mantras, alterar seus estados de consci√™ncia numa busca espiritual onde vai encontrar seres divinos… ou seja, n√≥s, devidamente disfar√ßado de anjos de luz

¬†- Vamos distorcer pequenas palavras importantes da B√≠blia e, em nome da moderniza√ß√£o e da simplifica√ß√£o, alterar os pontos onde se fundamentam esses crist√£os… diremos que as pessoas n√£o s√£o capazes de entender claramente a B√≠blia em sua linguagem rebuscada e que isso √© necess√°rio para alcan√ßar mais pessoas!

- Que tal irmos mais fundo? Vamos fazer com que usem as nossas t√©cnicas de controle mental: hipnose, regress√£o… yoga!! De repente, um deles se preocupa:

- Mas se colocarmos tudo isso junto, ser√° que eles n√£o v√£o perceber?

- N√£o coloquemos tudo junto ent√£o! Fa√ßamos pequenos pacotes e vamos dar um nome diferente a cada um deles: um pode usar o n√ļmero 12, alegando se basear em princ√≠pios b√≠blicos; outro pode tentar real√ßar que est√° buscando um objetivo determinado… um prop√≥sito!! Ainda podemos criar uma “frente” que ir√° nos combater…

- Como assim, nos combater?

- √Č! Eles podem se denominar com t√≠tulos garbosos e executar rituais de magia! Eles v√£o se sentir agindo contra n√≥s, mas v√£o se basear em revela√ß√Ķes √© t√©cnicas muitas vezes dadas por n√≥s mesmos! Os seres humanos t√™m uma vontade de lutar e vencer t√£o grande que eles s√£o capazes de abandonar as regras da palavra no intuito de lutar melhor!

- Vamos confundir o entendimento dos gentios e fazê-los pensar que devem renegar a graça e viver novamente sob a lei judaica! Que tal fazermos alguns acharem que a guarda do sábado é sagrada?

- Tudo bem, porém o mais importante de tudo é que cada pacote desse seja entregue em uma igreja diferente!

- N√£o entendi… por que?

- Porque uma igreja verá os erros das outras, mas não verá os seus próprios! Estará confiante de que seus métodos são os corretos!

- Genial! Assim vamos criar críticas veladas e, quem sabe, até mesmo uma guerra entre elas!!

- E, de qualquer forma, nosso objetivo principal estará sendo cumprido: afastar o ser humano da santificação!

- E então suas cabeças vão rolar!!!

Nesse momento todos concordaram e partiram para aperfeiçoar seus planos, encontrar pessoas capazes de difundir seus enganos e, principalmente, cegar àqueles que deveriam ver tais ataques sutis.

Enquanto isso as pessoas nas igrejas continuavam defendendo as portas e n√£o perceberam o mal entrar pelo ralo do banheiro, disfar√ßado de literatura crist√£, psicologia, metodologias, doutrinas…

Amados, devo pedir perdão por tomar seu tempo com ficção, mas é dessa forma que imagino que deva ter acontecido. Repito: esse texto não foi tirado das escrituras, é uma invenção minha!

Mas, afinal… por que impedir os salvos de se santificar?

Simples, vejam dois textos bíblicos que, apesar de breves, são claros e definitivos:

“E o mesmo DEUS de paz voz santifique em tudo; e todo o vosso esp√≠rito, e alma, e corpo, sejam plenamente conservados irrepreens√≠veis para a vinda de nosso Senhor JESUS CRISTO.”¬†(I Tessalonicenses 5:23)

“Segui a paz com todos, e a santifica√ß√£o, sem a qual ningu√©m ver√° o Senhor.”¬†(Hebreus 12:14)

O que, afinal estes textos querem dizer?

Simples: s√≥ os santificados ver√£o o Senhor! Isso quer dizer que quando ocorrer o evento descrito em¬†I Tessalonicenses 4:13-18, vai ter muitos salvos ficando por aqui… ou voc√™ acha que os arrebatados ir√£o encontrar com o Senhor nos ares e, para n√£o v√™-lo, usar√£o vendas nos olhos?

H√° algumas pessoas que ficam chocadas com essa conclus√£o. H√° outros que at√© mesmo se revoltam! Mas Satan√°s esfrega as m√£os com ansiedade, pois justamente a partir do arrebatamento, quando o ESP√ćRITO SANTO for retirado, ele poder√° se revelar da maneira como realmente √©.

Vejamos o texto bíblico:

“E agora v√≥s sabeis o que o det√©m, para que a seu pr√≥prio tempo seja manifestado. Porque j√° o mist√©rio da injusti√ßa opera; somente h√° um que agora resiste at√© que do meio seja tirado; E ent√£o ser√° revelado o in√≠quo, a quem o Senhor desfar√° pelo assopro da sua boca, e aniquilar√° pelo esplendor da sua vinda; A esse cuja vinda √© segundo a efic√°cia de Satan√°s, com todo o poder, e sinais e prod√≠gios de mentira, E com todo o engano da injusti√ßa para os que perecem, porque n√£o receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso DEUS lhes enviar√° a opera√ß√£o do erro, para que creiam a mentira; Para que sejam julgados todos os que n√£o creram a verdade, antes tiveram prazer na iniq√ľidade.”¬†(II Tessalonicenses 2:6-12)

E não será só isso, pois santificar-se após o arrebatamento vai ser bastante mais doloroso.

Por exemplo:

“E eu pus-me sobre a areia do mar, e vi subir do mar uma besta que tinha sete cabe√ßas e dez chifres, e sobre os seus chifres dez diademas, e sobre as suas cabe√ßas um nome de blasf√™mia. E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus p√©s como os de urso, e a sua boca como a de le√£o; e o drag√£o deu-lhe o seu poder, e o seu trono, e grande poderio. E vi uma das suas cabe√ßas como ferida de morte, e a sua chaga mortal foi curada; e toda a terra se maravilhou ap√≥s a besta. E adoraram o drag√£o que deu √† besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem √© semelhante √† besta? Quem poder√° batalhar contra ela? E foi-lhe dada uma boca, para proferir grandes coisas e blasf√™mias; e deu-se-lhe poder para agir por quarenta e dois meses. E abriu a sua boca em blasf√™mias contra DEUS, para blasfemar do seu nome, e do seu tabern√°culo, e dos que habitam no c√©u. E foi-lhe permitido fazer guerra aos santos, e venc√™-los; e deu-se-lhe poder sobre toda a tribo, e l√≠ngua, e na√ß√£o. E adoraram-na todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes n√£o est√£o escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a funda√ß√£o do mundo. (…) E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o drag√£o. E exerce todo o poder da primeira besta na sua presen√ßa, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada. E faz grandes sinais, de maneira que at√© fogo faz descer do c√©u √† terra, √† vista dos homens. E engana os que habitam na terra com sinais que lhe foi permitido que fizesse em presen√ßa da besta, dizendo aos que habitam na terra que fizessem uma imagem √† besta que recebera a ferida da espada e vivia. E foi-lhe concedido que desse esp√≠rito √† imagem da besta, para que tamb√©m a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que n√£o adorassem a imagem da besta. E faz que a todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e servos, lhes seja posto um sinal na sua m√£o direita, ou nas suas testas, para que ningu√©m possa comprar ou vender, sen√£o aquele que tiver o sinal, ou o nome da besta, ou o n√ļmero do seu nome.”¬†(Apocalipse 13:1-8; 11-17)

 

Que coisas terr√≠veis, n√£o? E ent√£o os salvos, sem a prote√ß√£o do esp√≠rito SANTO, estar√£o √† merc√™ de Satan√°s. E √© melhor que eu os avise claramente que a coloca√ß√£o da “marca” n√£o √© uma op√ß√£o compat√≠vel com a salva√ß√£o, veja:

“E seguiu-os o terceiro anjo, dizendo com grande voz: Se algu√©m adorar a besta, e a sua imagem, e receber o sinal na sua testa, ou na sua m√£o, Tamb√©m este beber√° do vinho da ira de DEUS, que se deitou, n√£o misturado, no c√°lice da sua ira; e ser√° atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro. E a fuma√ßa do seu tormento sobe para todo o sempre; e n√£o t√™m repouso nem de dia nem de noite os que adoram a besta e a sua imagem, e aquele que receber o sinal do seu nome. Aqui est√° a paci√™ncia dos santos; aqui est√£o os que guardam os mandamentos de DEUS e a f√© em JESUS. E ouvi uma voz do c√©u, que me dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o ESP√ćRITO, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os seguem.”¬†(Apocalipse 14:9-13)

 

Prestaram aten√ß√£o que aqueles que aceitarem a marca ir√£o beber o vinho da ira de DEUS… sem mistura!?!

N√£o tenho no√ß√£o do que √© isso, mas sei que deve ser algo t√£o ruim que a morte ser√° a √ļnica op√ß√£o vi√°vel. Tanto que no verso 13 o anjo d√° clara mensagem sobre isso.

Considerando que o suic√≠dio √© uma op√ß√£o completamente descartada, ent√£o todos os homens s√≥ ter√£o duas op√ß√Ķes: ou aceitar√£o o sinal e adorar√£o a besta… ou n√£o aceitar√£o e ser√£o sumariamente decapitados… Isso mesmo, sem cabe√ßa!!!

Vai ser a escolha mais paradoxal da história da humanidade, pois viver significará morrer para sempre e morrer significará manter fidelidade a DEUS e viver para sempre. Quantos salvos hoje em dia estão prontos para perder a cabeça por amor a DEUS? Quantos não são capazes de negar sua fé pela ilusão de sobrevivência?

Certamente Satan√°s exultar√° a cada crist√£o que negar sua f√©… e √© por isso que ele quer as igrejas cheias de salvos hoje em dia: para ter mais possibilidades de entristecer o cora√ß√£o de DEUS pela trai√ß√£o daqueles que um dia o seguiram. Quantos mais houverem, quantos mais poder√£o renegar.

Mas voc√™s podem me perguntar de onde eu estou tirando essa id√©ia “absurda”… e eu cito¬†Apocalipse 20:4, que diz:

“E vi tronos; e assentaram-se sobre eles, e foi-lhes dado o poder de julgar; e vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de JESUS, e pela palavra de DEUS, e que n√£o adoraram a besta, nem a sua imagem, e n√£o receberam o sinal em suas testas nem em suas m√£os; e viveram, e reinaram com CRISTO durante mil anos.”

Veja! Alguns permanecerão fiéis e morrerão por sua fé!

O final da hist√≥ria creio que qualquer crist√£o salvo deva saber, mas espero que este texto sirva de alerta para, ao menos, um crist√£o. Se apenas um salvo iniciar sua santifica√ß√£o atrav√©s da leitura deste texto: GL√ďRIAS A DEUS!

Caso contr√°rio… miseric√≥rdia.

Meu objetivo foi cumprido e revelo agora, aqui no final do texto, minha outra opção de título:

MELHOR SANTIFICAR AGORA QUE PERDER A CABEÇA DEPOIS! Teóphilo Noturno

 

[1] Promessas referentes ao texto de II Cor√≠ntios 6:14-18, onde lemos:¬†”N√£o vos prendais a um jugo desigual com os infi√©is; porque, que sociedade tem a justi√ßa com a injusti√ßa? E que comunh√£o tem a luz com as trevas? E que conc√≥rdia h√° entre CRISTO e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel? E que consenso tem o templo de DEUS com os √≠dolos? Porque v√≥s sois o templo do DEUS vivente, como DEUS disse: Neles habitarei, e entre eles andarei; e eu serei o seu DEUS e eles ser√£o o meu povo. Por isso sa√≠ do meio deles, e apartai-vos, diz o Senhor; E n√£o toqueis nada imundo,¬†E eu vos receberei; E eu serei para v√≥s Pai, E v√≥s sereis para mim filhos e filhas, Diz o Senhor Todo-Poderoso.”

 

FILOSOFIAS E V√ÉS SUTILEZAS… N√ÉO SEGUNDO CRISTO. Paulo nos adverte a vigiar contra todas as filosofias, religi√Ķes e tradi√ß√Ķes que destacam a import√Ęncia do homem √† parte de DEUS e de sua revela√ß√£o escrita. Hoje, uma das maiores amea√ßas teol√≥gicas contra o cristianismo b√≠blico √© o “humanismo secular”, que se tornou a filosofia de base e a religi√£o aceita em quase toda educa√ß√£o secular e √© o ponto de vista aprovado na maior parte dos meios de comunica√ß√£o e divers√£o no mundo inteiro.

(1) Que ensina a filosofia do humanismo?

(a) Ensina que o homem, o universo e tudo quanto existe é apenas matéria e energia moldadas ao acaso.

(b) Afirma que o homem n√£o foi criado por um DEUS pessoal, mas que resultou de um processo evolutivo.

(c) Rejeita a crença num DEUS pessoal e infinito, e nega ser a Bíblia a revelação inspirada de DEUS à raça humana.

(d) Afirma que não existe conhecimento à parte das descobertas feitas pelo homem, e que a razão humana determina a ética apropriada para a sociedade, fazendo do ser humano a autoridade máxima neste particular.

(e) Procura modificar ou melhorar o comportamento humano mediante educa√ß√£o, redistribui√ß√£o econ√īmica, psicologia moderna ou sabedoria humana.

(f) Cr√™ que padr√Ķes morais n√£o s√£o absolutos, e sim relativos e determinados por aquilo que faz as pessoas sentirem-se felizes, que lhes d√° prazer, ou que parece bom para a sociedade, de acordo com os alvos estabelecidos por seus l√≠deres; deste modo, os valores e moralidade b√≠blicos s√£o rejeitados.

(g) Considera que a auto-realização do homem, sua auto-satisfação e seu prazer são o sumo bem da vida.

(h) Sustenta que as pessoas devem aprender a lidar com a morte e com as dificuldades da vida, sem crer em DEUS ou depender dEle.

(2) A filosofia do humanismo come√ßou com Satan√°s e √© uma express√£o da sua mentira de que o homem pode ser igual a DEUS (Gn 3.5). As Escrituras identificam os humanistas como os que “mudaram a verdade de DEUS em mentira e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador” (Rm 1.25).

(3) Todos os dirigentes, pastores e pais cristãos devem envidar seus máximos esforços em proteger seus filhos da doutrinação humanista, desmascarando-lhes os erros e instilando nas mentes deles um desprezo santo pela sua influência destrutiva (Rm 1.20-32; 2 Co 10.4,5; 2 Tm 3.1-10; Jd 4-20; ver 1 Co 1.20; 2 Pe 2.19).

LI√á√ÉO 1 - A SUTILEZA DE SATAN√ĀS NO FIM DOS TEMPOS

HERESIAS E MODISMOS

Comentarista: Esequias Soares - Li√ß√Ķes do 2¬ļ Trimestre de 2006

Desde os tempos b√≠blicos, Satan√°s vem usando os seus agentes a fim de levar o povo de DEUS a desacreditar na B√≠blia, na divindade e na obra redentora de CRISTO. Temos de estar devidamente preparados para detectar e desmascarar suas sutilezas. Sem d√ļvida, esse √© um dos maiores desafios da igreja de CRISTO nestes √ļltimos dias.

 

I. OS ARDIS DE SATAN√ĀS

1. Seus disfarces.

Desde a fundação da Igreja, os falsos mestres vêm disfarçando-se entre os filhos de DEUS para disseminar suas heresias. 

JESUS disse que os mestres do erro apresentam-se vestidos como ovelhas, mas na realidade s√£o lobos devoradores” (Mt 7.15).

 

2. Suas estratégias. 

Os mestres do erro são classificados pela Bíblia como:

a- “falsos ap√≥stolos”.

b- “obreiros fraudulentos”.

c-  Agentes de Satanás.

Os expositores sectários preocupam-se com a aparência, para apresentar o seu movimento como um paraíso perfeito (2Tm 3.5)

Os que caem nas armadilhas, uma vez fisgados por eles, dificilmente conseguem libertar-se:

a- Por causa da lavagem cerebral que recebem.

b- Em razão do terrorismo psicológico.

c- Em razão da pressão que sofrem de seus líderes.

 

II. A PER√ćCIA DOS HERESIARCAS

1. Palavras Persuasivas (v.4).

Os falsos mestres se envolviam dentro do legalismo judaico com: 

a- Circuncis√£o.

b- Preceitos dietéticos.

c- Guarda de dias. 

d- Gnosticismo.

O verbo grego “Paralogizomai” descreve com precis√£o a per√≠cia dos falsos mestres na exposi√ß√£o de suas heresias e significa “enganar, seduzir com racioc√≠nios capciosos”

 

2. O JESUS que recebemos (vv. 6,7 ).

O apóstolo insiste que devemos andar de acordo com o evangelho, a fim de ficarmos arraigados, edificados e firmados na Palavra de DEUS.

 

Os falsos ensinos se introduzem entre nós por alguns pontos aparentemente comuns a nós e a eles.

 

3. A simplicidade do evangelho.

A mensagem do evangelho √© simples e qualquer ser humano, independentemente de seu preparo intelectual e origem, √© capaz de entender; basta dar lugar ao ESP√ćRITO SANTO, que convence o homem “do pecado, da justi√ßa e do ju√≠zo” (]o 16.8).¬†

A convers√£o ao cristianismo n√£o se d√° por:

a- Estratégia de marketing.

b- Técnicas persuasivas.

c-¬† “Curso de l√≥gica” .

A convers√£o ao cristianismo se d√° por:

Resultado da pregação da mensagem do evangelho.

 

III. AS SUTILEZAS DO ERRO

1. “Ningu√©m vos fa√ßa presa sua” (v. 8a).

O significado da “presa” revela o que acontece, ainda hoje, com os adeptos das seitas.

 

O verbo grego que descreve o estado espiritual dos que seguem os falsos mestres e significa “levar como despojo, prisioneiro de guerra, seq√ľestro, roubo” √© sylag√Ķge√Ķ.

     

¬†2. “Por meio de filosofias” (v. 8b).

Não há indícios de que o apóstolo esteja fazendo alusão às escolas filosóficas da Grécia. 

 

As filosofias predominantes do mundo romano na era apostólica e são mencionadas em o Novo Testamento (At. 17.18) e são denominadas

a- O estoicismo:

Est√≥ico √© o seguidor do fil√≥sofo grego Zenon, que morreu em 265 a.C. Zenon ensinava que o mais alto objetivo do ser humano √© viver de acordo com a sua raz√£o e praticar a virtude. Esta consiste em dominar as paix√Ķes, em n√£o sentir-se atra√≠do pelo prazer e em n√£o se deixar vencer pelo sofrimento (At 17.18-20).

 

b- O epicurismo.

Epicureu é o seguidor do filósofo Epicuro, que morreu em 270 a.C. Ele ensinava que o maior bem na vida é a felicidade, entendida como a libertação do sofrimento e do medo (At 17.18-20).

“Filosofias” de que Paulo trata s√£o conceitos mundanos, contr√°rios √† doutrina e √† √©tica crist√£.

 

3. “V√£s sutilezas” (v. 8e).

Engano e sutileza, nesse contexto, significam a mesma coisa. 

 

A palavra grega “Apate” √© traduzida por “engano” (Ef 4.22), “sedu√ß√£o” (Mt 13.22) ou sutileza?

 

4. “Segundo a tradi√ß√£o dos homens” (v. 8d).

Não é a tradição apostólica nem judaica, mas um sincretismo de elementos cristãos, judaicos e pagãos: angelolatria e ascetismo, por pela exemplo. 

 

As práticas  que se opunham ao evangelho, não sendo a tradição apostólica nem judaica, mas um sincretismo de elementos cristãos, judaicos e pagãos, são:

a- Angelolatria.

b- Ascetismo. 

c- Tradição humana.

 

IV. OS RUDIMENTOS DO MUNDO

1. O significado de “rudimentos” (v. 8).

A express√£o “rudimentos do mundo”, literalmente √©: “elementos do universo”, ou “rudimentos do mundo”, em nossas vers√Ķes.¬†

 

2.¬† O ap√≥stolo se refere a que “rudimentos”?

¬†Essa palavra √© usada, tamb√©m, com o sentido de “princ√≠pio b√°sico” (Hb 5.12) e de “elementos judaicos” ou “adora√ß√£o c√≥smica” do sincretismo hel√™nico (GI 4.3, 9).¬†

 

Aparece  na filosofia grega a palavra stoicheion para os quatro elementos da natureza: terra, água, ar e fogo.

O ap√≥stolo se refere a “rudimentos” que significa:

¬†a- “princ√≠pio b√°sico”¬†

¬†b-”elementos judaicos”¬†

¬†c- “adora√ß√£o c√≥smica” do sincretismo hel√™nico (GI 4.3, 9).¬†

 d- Referência aos poderes demoníacos que se opunham a CRISTO. 

 

Podemos entender tamb√©m que a imposi√ß√£o de m√£os do Cristianismo, o batismo crist√£o e todos os ritos crist√£os s√£o segundo a B√≠blia e s√£o b√°sicos em nossa f√©, enquanto que em outras religi√Ķes t√™em outro sentido e n√£o condizem com a b√≠blia e nem t√™em nada a ver com a salva√ß√£o, sen√£o com a adora√ß√£o a falsos deuses.

 

3.  A deidade de CRISTO em jogo.

CRISTO é superior a todos os poderes (Ef 1.21).

 

 As vãs filosofias são oriundas dos homens e do reino das trevas. 

 

4. O significado de “toda a plenitude da divindade” (v.9).

Temos, neste contexto, o DEUS verdadeiro com toda a sua plenitude. 

          

CONCLUSÃO

O povo de DEUS vive em constante batalha espiritual. O inimigo sempre trabalhou para desviar os crentes da vontade divina, induzindo-os a crenças falsas e práticas que desonram ao Criador. Por isso, devemos estar atentos quando um movimento religioso apresenta-se com persuasão e argumentos aparentemente convincentes. Trata-se, geralmente, de alguém que pretende mostrar-nos algo que não está de acordo com a Palavra de DEUS.

 

Subs√≠dio Apolog√©tico - “O que Significa ‘Seita’?

1. Etimologia. O historiador Fl√°vio Josefo e muitos outros escritores antigos usaram a palavra ‘hairesis” com o sentido de ‘escola’ de pensamento, ‘doutrina’ ou ‘religi√£o’, sem conota√ß√£o pejorativa. O verbo grego ‘haire√Ķ’, de onde vem o substantivo em foco, significa ‘escolher’. Na literatura cl√°ssica tem o sentido de escolha filos√≥fica ou pol√≠tica. Todavia, o Novo¬† Testamento traz essa palavra com o sentido de ‘divis√£o, dissens√£o’, pois¬† lemos:

‘E at√© importa que haja entre v√≥s heresias, para os que s√£o sinceros se¬† manifestem entre v√≥s’ (1 Co 11: 19). A vers√£o Almeida Atualizada traduziu por ‘partido’; a NVI, por ‘diverg√™ncias’; a Tradu√ß√£o Brasileira, por ‘fac√ß√£o’. A mesma palavra aparece em G√°latas 5.20 sendo traduzida por¬† ‘dissens√£o’. [.,,] Conv√©m salientar que a palavra grega para ‘heresias’¬†¬† em o Novo Testamento , √© a mesma para ’seita’, hairesis. O termo ‘herege’,¬† que aparece em Tito 3.10, hairetikos, √© adjetivo que vem do referido substantivo grego. O sentido de erro doutrin√°rio, como ‘heresia’, no campo teol√≥gico que n√≥s conhecemos hoje, aparece pela primeira vez em 2 s Pedro 2.1. √Č nessa acep√ß√£o que refutamos tais heresias.

 

2. Conceitua√ß√£o. Atualmente a palavra ’seita’ √© usada para designar as religi√Ķes heterodoxas ou esp√ļrias. √Č uma palavra j√° desgastada, trazendo em si, muitas vezes, um tom pejorativo. S√£o grupos que surgiram de uma religi√£o principal e seguem as normas de seus l√≠deres ou fundadores e cujos ensinos divergem da B√≠blia nos principais pontos da f√© crist√£. S√£o uma amea√ßa ao cristianismo hist√≥rico e um problema para as igrejas.

 

3. Problemas. […] As heresias afetam os pontos principais da doutrina crist√£, no que diz respeito a DEUS: Trindade, o Senhor JESUS CRISTO e o ESP√ćRITO SANTO; ao homem: natureza, pecado, salva√ß√£o, origem e destino; aos anjos. √† igreja e √†s Escrituras Sagradas. O mais grave erro √© quando diz respeito √† Divindade. Errar em outros pontos da f√© crist√£ pode at√© n√£o afetar a salva√ß√£o, mas a doutrina de DEUS √© inviol√°vel. Negar ‘o Senhor’ √© trazer sobre si repentina destrui√ß√£o.

Os novos movimento internos como a Confiss√£o Positiva e o G-12 n√£o devem ser classificados como seitas, pois al√©m de n√£o afetarem os pontos salientes da f√© crist√£, seus ensinos e pr√°ticas n√£o s√£o necessariamente heresias, mas aberra√ß√Ķes doutrin√°rias. O efeito destrutivo pode ser pior do que os movimentos externos, pois Satan√°s se utiliza, muitas vezes, da arrog√Ęncia ou da ignor√Ęncia dos mentores dessas inova√ß√Ķes para causar divis√Ķes nas igrejas.” (SOARES, Esequias. Manual de apolog√©tica crist√£. Rio de Janeiro: CPAD, 2002. p.25-7.)

 

LIÇÃO 1 - 16 de abril de 1997

 ORTODOXIA E HERESIA

REVISTA DA CPAD, LI√á√ēES DO 2¬ļ TRIMESTRE DE 1997

COMENT√ĀRIOS DE EZEQUIAS SOARES DA SILVA

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/seitaseheresias.htm#Lição 1

 

“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina; persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvar√°s, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” (√ć Tm 4.16).

Não é necessário ser erudito para permanecer salvo, mas é dever do cristão saber discernir a doutrina ortodoxa da doutrina herética.

 

LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE

2 PEDRO 2.1-41 - E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina perdição.

2 ‚ÄĘ E muitos seguir√£o as suas dissolu√ß√Ķes, p√™los quais ser√° blasfemado o caminho da verdade; 3 - e, por avareza, far√£o de v√≥s neg√≥cio com palavras fingidas; sobre os quais j√° de largo tempo n√£o ser√° tardia a senten√ßa, e a sua perdi√ß√£o n√£o dormita.

4 - Porque, se DEUS não perdoou aos anjos que pecaram, mas, havendo-os lançado no inferno, os entregou às cadeias da escuridão, ficando reservados para o juízo.

HEBREUS 6.1,2

1 - Pelo que, deixando os rudimentos da doutrina de CRISTO, prossigamos até à perfeição, não lançando de novo o fundamento
do arrependimento de obras mortas e de fé em DEUS,

2 - E da doutrina dos batismos, e da imposição das mãos, e da ressurreição dos mortos, e do juízo eterno.

 

√Č nosso dever

Definir o sentido das palavras: SEITAS, HERESIAS, DOUTRINA.

Classificar as seitas modernas e antigas.

Identificar os critérios usados para definir um ajuntamento ou grupo como seita.

Compreender o conte√ļdo dos credos da cristandade e a rela√ß√£o dos mesmos com as seitas.

Estar motivado a pesquisar extraclasse o credo da Assembléia de DEUS para compreendê-lo e saber explicá-lo.

 

SUGEST√ēES PR√ĀTICAS

1. Destaque os n√ļmeros relacionados √†s grandes religi√Ķes e √† grande quantidade de seitas existentes. Mostre o grande desafio que esta realidade traz para a Igreja e para cada um de n√≥s individualmente

2. Enfatize a prolifera√ß√£o das seitas como algo que, sobretudo, deve fazer parte das principais preocupa√ß√Ķes da Igreja, e despertar-nos para a prega√ß√£o urgente do Evangelho que √©, segundo Paulo, o poder de DEUS para salva√ß√£o de todo aquele que cr√™.

3. Mostre a necessidade que todo Crist√£o tem de conhecer dados hist√≥ricos e de conte√ļdo doutrin√°rio dos credos inseridos nesta li√ß√£o. √Č sumamente importante que ele os compreenda e saiba relacion√°-los com o credo de sua denomina√ß√£o.

 

ORIENTAÇÃO AO PROFESSOR

1. Não se esqueça de frisar os quatro pontos fornecidos pelo comentador para identificação de uma seita.

2. Motive sempre a participação do aluno; ele precisa sentir que a opinião dele é importante para o professor e demais componentes da classe.

3. Avalie o aproveitamento de seus alunos, fazendo perguntas após o término de cada tópico. De acordo com as respostas, você verificará a aprendizagem da classe, e se o seu desempenho como professor foi satisfatório.

4. Estimule a criatividade de seus alunos. Agindo assim, voc√™ estar√° tornando a sua aula mais din√Ęmica e interessante.

 

COMENT√ĀRIO - INTRODU√á√ÉO

H√° 10 grandes religi√Ķes no mundo, al√©m do Cristianismo. S√£o elas:

Budismo, Confucionismo, Hinduísmo, Taoísmo, Jainismo, Xintoísmo, Zoroastrismo, Sikhismo, Islamismo e Judaísmo, e muitos milhares de seitas. Eis o desafio da Igreja.

I. SEITAS E HERESIAS

1. Defini√ß√£o de seita.¬†O termo como aparece na B√≠blia significa fac√ß√£o, partido, grupo ou cis√£o. Inicialmente, n√£o tinha car√°ter pejorativo (At 15.5; 24.5,14). Depois assumiu sentido negativo (Gl 5.19-21). Pode designar um subgrupo de dentro de alguma religi√£o organizada, como os saduceus(At5.17),fariseus(At 15.5; 26.5) ou dissens√Ķes no seio da pr√≥pria Igreja (Rm 16.17; l Co 11.19).

2. No campo teol√≥gico.¬†Os herejes “convertem a gra√ßa de DEUS em dissolu√ß√£o e negam a DEUS, √ļnico dominador e Senhor nosso, JESUS CRISTO” (Jd v. 4). Uma tal seita consiste num grupo de pessoas un√Ęnimes em torno de uma interpreta√ß√£o
particular da B√≠blia, caracterizando-se por distor√ß√Ķes do Cristianismo ortodoxo, no que diz respeito √†s doutrinas centrais da f√© crist√£.No Cristianismo do S√©culo I, o termo heresia indicava a nega√ß√£o do evangelho pregado p√™los ap√≥stolos (2 P√© 2. l; 2 Co 11.3,4; Gl l.8).

II. DOUTRINA

1. Defini√ß√£o de doutrina e sua origem.¬†Doutrina √© o conte√ļdo de um ensino ou cren√ßa. Ela pode ser divina (Mt 7.28; Jo 7.16; Tt¬†2.10);¬†humana (Cl 2.22; Tt 1.14) e demon√≠aca (l Tm 4.1).¬†A doutrina divina √© a b√≠blica, ortodoxa e sadia. A humana e a de dem√īnios s√£o her√©ticas, que levam o homem √† condena√ß√£o e perdi√ß√£o.

2. Contribui√ß√£o da doutrina. A doutrina responde √†s perguntas sobre DEUS, a Trindade: Pai, Filho e ESP√ćRITO SANTO, sobre a natureza humana, sobre a vontade de DEUS, sobre o nosso destino eterno. A perseveran√ßa na doutrina est√° relacionada √† salva√ß√£o (l Tm 4.16). O conhecimento e a pr√°tica da doutrina crist√£ nos protegem contra a heresia (l Tm 4.1-6; 2 Tm 2.18; Tt 1.11). Esse conhecimento n√£o anula a espiritualidade do crente (l Co 2.14, 15; Rm 12.3). A doutrina contribui para a unidade da Igreja (Rm 16.17; l Co 1.10; Ef 4.12, 13).

3. O JESUS das seitas (2 Pé 2.1-4). As seitas distorcem as verdades fundamentais sobre CRISTO reveladas na Bíblia, e isso resulta num outro evangelho (Gl 1.6-8) e num outro JESUS (2 Co 11.4) que oferecem uma falsa salvação e um falso céu para os seus adeptos. As seitas modernas classificam-se em pseudocristãs, orientais, ocultistas e secretas. 

3.1- Pseudocristãs. Testemunhas de Jeová, Adventismo do Sétimo Dia, Mormonismo, Meninos de DEUS (também conhecida por A Família), Tabernáculo da Fé, Só JESUS, Igreja de CRISTO Internacional (de Boston), Igreja da Unificação (Rev. Moon), Igreja Local de Witness Lee, Voz da Verdade, Testemunhas de lerrochua e Igreja Pentecostal Unida do Brasil.

3.2- Orientais.¬†Arte Mahikari, HareKrishna, Seicho-no-i√™ e Igreja Messi√Ęnica Mundial.

3.3- Ocultistas. Kardecismo, Legião da Boa Vontade, SANTO Daime, Racionalismo Cristão, Umbanda, Quimbanda, Candomblé. Cultura Racional, Ciência Cristã e Nova Era.

3.4- Secretas. Maçonaria, Ordem Rosacruz e Teosofismo. A Maçonaria não é apenas uma associação ou confraria; ela é, também, uma religião.

III. COMO IDENTIFICAR AS SEITAS

1. Negam a doutrina da Trindade. Os adeptos das seitas procuram salvar-se a si mesmos e, por essa razão, a Trindade lhes é um insulto, e daí, a rejeitarem ou a perverterem.
A √ļnica seita que n√£o rejeita a Trindade s√£o os Adventistas do S√©timo Dia; mas √† semelhan√ßa das Testemunhas de Jeov√°, alegam que JESUS √© o arcanjo Miguel; seus adeptos sequer sabem o que significa isso.

2. S√£o exclusivistas.¬†Os promotores e adeptos das seitas ensinam que a salva√ß√£o √© exclusiva ao seu grupo religioso. Isso √© uma afronta √† gra√ßa de DEUS e ao m√©rito do sacrif√≠cio de JESUS no Calv√°rio. JESUS √© o √ļnico Salvador, e somente Ele pode salvar (Jo 14.6; At 4.12). A B√≠blia diz que a salva√ß√£o est√° dispon√≠vel, pela f√© em CRISTO, a todos os que se arrependerem de seus peca-
dos (At 4.12; 10.43; Jo 3.15; Tt 2.11). “Todo aquele que invocar o nome do Senhor ser√° salvo” (Jl 3.32; Rm 10.13).

3. Al√©m da B√≠blia.¬†Certas seitas e religi√Ķes negam explicitamente a autoridade da B√≠blia; outras acrescentam algo a ela; e, ainda h√° as que declaram crer nela, mas na pr√°tica sequer incentivam seus adeptos √† leitura da Palavra de DEUS. Colocam outros livros e l√≠deres humanos como tendo a mesma autoridade da B√≠blia ou acima dela.

A B√≠blia √© a nossa √ļnica regra de f√© e pr√°tica, inspirada por DEUS (2 Tm 3.16). A B√≠blia √© a Palavra de DEUS (Mc 7.13), o Livro do Senhor (Is 34.16). O profeta adverte: “√Ä lei e ao testemunho! Se eles n√£o falarem segundo esta palavra, nunca ver√£o a alva” (Is 8.20).

4. Características das seitas.
Elas se caracterizam por apresentarem novas “revela√ß√Ķes”, novas interpreta√ß√Ķes da B√≠blia, um outro JESUS, rejei√ß√£o do Cristianismo ortodoxo, lideran√ßa muito forte, mudan√ßas constantes em sua teologia, falsas profecias e salva√ß√£o pelas obras.

IV. OS CREDOS DA CRISTANDADE

1. As seitas e os credos.¬†As seitas falsas al√©m de mutilarem a B√≠blia, rejeitam o Cristianismo hist√≥rico-ortodoxo. Suas cren√ßas s√£o oriundas das supostas revela√ß√Ķes, subjetivismo, e da mentalidade de seus fundadores e l√≠deres.

2. Formula√ß√£o dos credos (Hb 6.1, 2).¬†“Credo” vem do latim e significa “creio”. Desde muito cedo na hist√≥ria do Cristianismo,
o credo tornou-se mais que um conjunto de cren√ßas: √© uma confiss√£o de f√©. Tem como objetivo sintetizar as doutrinas essenciais do Cristianismo para facilitar as confiss√Ķes p√ļblicas, e conservar a doutrina contra as heresias.

3. Confiss√£o de f√© dos judeus.¬†O primeiro credo da B√≠blia est√° em Dt 6.4: “Ouve √≥ Israel, o Senhor nosso DEUS √© o √ļnico Senhor”, citado por JESUS como o primeiro de todos os mandamentos (Mc 12.29); ainda hoje √© recitado p√™los judeus religiosos tr√™s vezes ao dia.

4. O Credo dos Ap√≥stolos.¬†√Č o mais antigo dos tr√™s principais credos da Igreja Crist√£.

a) História. Diz a tradição que ele foi formulado pêlos apóstolos logo após a ressurreição de JESUS, e que cada um deles apresentou um artigo de fé. O texto mais antigo desse credo é datado de 700 d.C. Muitos crêem que esse documento constituía a confissão batismal daquela época.

b) Conte√ļdo.¬†“Creio em DEUS Pai Todo-poderoso. E em JESUS CRISTO seu √ļnico Filho, nosso Senhor, que nasceu do ESP√ćRITO SANTO e da virgem Maria; que foi crucificado sob o poder de P√īncio Pilatos, morto e sepultado; ressuscitou ao terceiro
dia; subiu ao c√©u, e est√° sentado √† m√£o direita do Pai, de onde h√° de vir julgar os vivos e os mortos. Creio no ESP√ćRITO SANTO; na santa Igreja; na remiss√£o dos pecados; na ressurrei√ß√£o do corpo”.

A Igreja Cat√≥lica Romana, por sua pr√≥pria conta, acrescentou a “Ave Maria” ao credo original.

5. Credo Niceno. O Credo Niceno foi formulado em 325 d.C. Ele contém princípios do credo anterior e novos elementos que lhe dão feição própria.

6. Credo Atanasiano.¬†Ocupa-se da doutrina da Trindade. Todas as suas declara√ß√Ķes podem ser confirmadas nas Escrituras.

a) História. O Credo de Atanásio foi formulado em 381 d.C. Ele é muito extenso para ser citado na íntegra. Citamos apenas alguns artigos.

b) Conte√ļdo.¬†

(3) A fé universal é esta: Adoramos um DEUS em trindade, e a trindade em unidade; 

(4) N√£o confundindo as Pessoas, nem dividindo a subst√Ęncia.¬†

(5) Pois existe uma Pessoa do Pai, outra do Filho, e outra do ESP√ćRITO SANTO.¬†

(6) Mas a deidade do Pai, do Filho e do ESP√ćRITO SANTO √© toda uma s√≥; a gl√≥ria √© igual e a majestade √© co-eterna.
(7) Tal como √© o Pai, tal √© o Filho e tal √© o ESP√ćRITO SANTO.
  

(8) O Pai √© incriado, o Filho √© incriado, e o ESP√ćRITO SANTO √© incriado.¬†

(9) O Pai √© imensur√°vel, o Filho √© imensur√°vel, o ESP√ćRITO SANTO √© imensur√°vel.¬†

(10) O Pai √© eterno, o Filho √© eterno, o ESP√ćRITO SANTO √© eterno.

(11) E, no entanto, não são três eternos, mas há apenas um eterno. 

(12) Da mesma forma não há três incriados, nem três imensuráveis, mas um só incriado e um imensurável. 

(13) Assim tamb√©m o Pai √© onipotente, o Filho √© onipotente e o ESP√ćRITO SANTO √© onipotente.¬†

(14) No entanto, não há três onipotentes, mas sim, um onipotente.
(15) Assim, o Pai √© DEUS, o Filho √© DEUS, e o ESP√ćRITO SANTO √© DEUS.¬†

(16) No entanto, não há três deuses, mas um DEUS. 

(17) Assim o Pai √© Senhor, o Filho √© Senhor, e o ESP√ćRITO SANTO √© Senhor.¬†

(18) Todavia não há três senhores, mas um Senhor. 

(19) Assim como a veracidade cristã nos obriga a confessar cada Pessoa individualmente como sendo DEUS e Senhor; 

(20) Assim tamb√©m ficamos privados de dizer que haja tr√™s deuses ou senhores…¬†

(26) Mas as três Pessoas são coeternas, são iguais entre si mesmas; 

(27) De sorte que por meio de todas, como acima foi dito, tanto a unidade na trindade como a trindade na unidade devem ser adoradas.

7. Confiss√£o de f√© das Assembleias de DEUS.¬†A B√≠blia √© a nossa √ļnica autoridade em mat√©ria de f√©, de doutrina e de conduta. Ela est√° acima de todos os credos e da tradi√ß√£o. Mas h√° a necessidade de se formular a nossa confiss√£o de maneira que qualquer pessoa possa em resumo saber e entender o que cremos. Nosso Credo constitui-se de 14 artigos que aparecem em cada edi√ß√£o do jornal Mensageiro da Paz, p. 2. Ele come√ßa com uma declara√ß√£o trinitariana: “Cremos em um s√≥ DEUS, eternamente subsistente em tr√™s pessoas: o Pai, o Filho e o ESP√ćRITO SANTO” (Dt 6.4; Mt 28.19; Mc 12.2a; 2 Co 13.13).

CONCLUSÃO

A B√≠blia √© a √ļnica fonte para se discernir entre a ortodoxia b√≠blica e a heresia. Ela √© a Palavra de DEUS inspirada; o √ļnico padr√£o que distingue o certo do errado. O movimento religioso que a rejeita, e tem avers√£o p√™los credos formulados pela Igreja Crist√£ nos primeiros s√©culos, √© seita; e, como tal, √© inimigo do Cristianismo b√≠blico e hist√≥rico.

 

Voltemos à nossa lição

 

BIBLIOGRAFIA

Cristianismo em Crise, Hank Hanegraaff- CPAD.

Desmascarando as Seitas, Natanael Rinaldí e Paulo Romeiro - CPAD

Dicionário da Língua Portuguesa - Aurélio B. de Holanda.

Dicionário Teológico, Claudionor Corrêa de Andrade - CPAD.

O Sábado a Lei e a Graça, Abraão de Almeida - CPAD.

Seitas e Heresias, Raimundo F. Oliveira - CPAD.

 

AUX√ćLIOS SUPLEMENTARES - Subs√≠dio teol√≥gico

Uma das principais obras do diabo é subtrair, ou acrescentar, coisas à Palavra de DEUS. Quando deixamos de priorizar o ensino das verdadeiras doutrinas bíblicas, contribuímos de forma significativa para a formação de crentes frágeis na fé, facilitando a disseminação das heresias. Mas o cristão bem estruturado, doutrinariamente, além de estar protegido contra as heresias, toma-se um apologista, um defensor da fé cristã.

Basicamente, dividimos as doutrinas bíblicas em três grupos:

/. Doutrina da salvação. Estuda a salvação que, pelo imensurável amor divino e somente através do sacrifício de CRISTO, foi oferecida ao homem.

2. Doutrinas da fé cristã. Estudam os temas mais variados: Bíblia Sagrada, Trindade, homem, pecado, fé, santificação etc. A compreensão dessas doutrinas requer estudo contínuo e sistemático das Sagradas Escrituras.    ^

3. Doutrinas das √ļltimas coisas.
Referem-se aos aspectos futuros da salvação bem como aos acontecimentos que hão de marcar o final dos tempos: arrebatamento da Igreja, grande tribulação, milênio, julgamento final etc.

 

Subs√≠dio ling√ľ√≠stico

Não são poucos os que confundem apostasia com heresia. Mas para que compreendamos perfeitamente as várias seitas, é necessário que saibamos distinguir uma da outra.

Apostasia é o abandono premeditado da fé. Para os profetas do Antigo Testamento, constituía-se num adultério espiritual. Já a heresia, é a abjuração parcial da fé.

A heresia, portanto, pode ser conceituada como uma doutrina contr√°ria aos ensinamentos das Sagradas Escrituras. Ela tanto pode contrariar os ensinos quanto os costumes embasados pela Palavra de DEUS.

 

INTERAÇÃO

Professor, voc√™ ter√° a oportunidade √≠m¬≠par de ensinara respeito da import√Ęncia de se conservar a pureza da doutrina Pentecostal. Nestes √ļltimos dias temos visto que muitos crentes, por falta de conhecimento b√≠blico, est√£o sendo enga¬≠nados pelas artimanhas teol√≥gicas dos falsos profetas e falsos mestres. Infelizmente, algumas igrejas pentecostais n√£o priorizam mais o estudo sistem√°tico da Palavra de DEUS fazendo com que seus membros tornem-se “presas” f√°ceis dos falsificadores da Palavra. Por isso, no decorrer da li√ß√£o, enfatize o fato de que precisamos nos manter firmes e fi√©is √†s Sagradas Escrituras a fim de que possamos desmascarar os enganos de Satan√°s. Precisamos estar atentos, procurando seguir a recomenda√ß√£o b√≠blica: “Examinai tudo” (1 Ts 5.21).

 

OBJETIVOS - Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

Saber que atualmente muitos falsos profetas e mestres têm tentado macular a Igreja.

Compreender que Satan√°s tem usado de sutilezas para enganar os crentes.

Conscientizar-se de que a Igreja é a guardiã da sã doutrina.

 

ORIENTA√á√ÉO PEDAG√ďGICA

Professor, inicie a li√ß√£o escrevendo no quadro as seguintes palavras: instru√ß√£o e ensino. Depois pergunte aos alunos qual a rela√ß√£o dessas duas express√Ķes com o voc√°bulo “doutrina”. Ou√ßa os alunos com aten√ß√£o e explique que em o Novo Testamento, a palavra grega mais usada para doutrina √© didach√™, cujo significado pode ser traduzido como “instru√ß√£o” ou “ensino”. Em seguida explique que doutrina √© a “exposi√ß√£o sistem√°tica e l√≥gica das verdades extra√≠das da B√≠blia, visando o aperfei√ßoamento do crente”. Conclua enfatizando que n√£o podemos descuidar da doutrina, ou seja, do ensino, a fim de que n√£o venhamos ser alcan√ßados pela avalanche de heresias que tem assolado algumas igrejas.

 

RESUMO DA LIÇÃO 12 - CONSERVANDO A PUREZA DA DOUTRINA PENTECOSTAL

I- FALSOS DOUTORES E PROFETAS

1. Uma avalanche de heresias.

2. Falsos mestres e falsos profetas.

3. A falta do estudo bíblico no meio pentecostal.

II- A SUTILEZA DE SATAN√ĀS NO FIM DOS TEMPOS

1. Os ardis de Satan√°s.

2. Palavras persuasivas

3. “Ningu√©m v√≥s fa√ßa presa sua”

III- A IGREJA √Č A GUARDI√É DA S√É DOUTRINA

1. A s√£ doutrina.

2. Examinemos tudo.

3. Sólido mantimento.

 

SINOPSE DO T√ďPICO (1) Falsos mestres e profetas, com seus ensinos fraudulentos, v√™m de modo sorrateiro corrompendo a s√£ doutrina.

SINOPSE DO T√ďPICO (2) Como igreja do Senhor deve¬≠mos estar preparados, alicer√ßados na Palavra, para detectar e combater as sutilezas de Satan√°s.

SINOPSE DO T√ďPICO (3) A Igreja de CRISTO √© respons√°vel peia preserva√ß√£o da s√£ doutrina.

 

AUX√ćLIO BIBLIOGR√ĀFICO - Subs√≠dio Apolog√©tico

“Apostatando da F√© - ‘Mas o ESP√ćRITO expressamente diz que, nos √ļltimos tempos, apostar√£o alguns da f√©, dando ouvidos a esp√≠ritos enganadores e a doutrinas de dem√īnios’ (1 Tm 4.1). Paulo escreveu ao jovem Tim√≥teo, h√° quase dois mii anos, alertando quanto aos perigos da apostasia.

Apostasia - gr. apostasia - quer dizer ‘desvio’, ‘afastamento’, ‘abandono’; no texto b√≠blico, sempre significa abandono ou desvio da f√© em JESUS. Segundo a B√≠blia de Estudo Pentecostal, a apostasia na igreja ser√° de dois tipos - ‘apostasia teol√≥gica’ e ‘apostasia moral’. Na primeira, observamos os desvios doutrin√°rios. Na segunda, s√£o manifestos comportamentos contr√°rios √† santidade requerida por DEUS em sua Palavra (cf. Hb 12.14; 1 Pe 1.15,16). Muitas igrejas permitir√£o quase tudo, para terem muitos membros, dinheiro, sucesso e prestigio (cf. 1 Tm 4.1).

‘O evangelho da cruz, com o desafio de sofrer por CRISTO (Fp 1.29), de renunciar todo pecado (Rm 8.1 3), de sacrificar-se pelo reino de DEUS e de renunciar a si mesmo ser√° algo raro (Mt 24.12; 2 Tm 3.1-5; 4.3)’. √Č uma caracter√≠stica dos tempos p√≥s-modernos em termos religiosos. H√° muitas igrejas e seitas no mundo.

Entretanto, em rela√ß√£o √† Igreja de JESUS, h√° muitos desvios nos √ļltimos tempos. Certamente, em toda a hist√≥ria da Igreja, nunca houve tanta apostasia quanto no s√©culo passado e no in√≠cio do presente s√©culo 21″ (RENOVATO, Elinaldo. Perigos da P√≥s modernidade. 1 .ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, pp. 16-7).

 

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

HORTON, Stanley M. Teologia Sistem√°tica: Uma Perspectiva Pentecostal. I. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996

ANDRADE, Claudionor de. As Verdades Centrais da Fé Cristã. 1 A. ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2006

 

AJUDA

CPAD - http://www.cpad.com.br/ - B√≠blias, CD’S, DVD’S, Livros e Revistas. BEP - B√ćBLIA de Estudos Pentecostal.

V√ćDEOS da EBD na TV, DE LI√á√ÉO INCLUSIVE - http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

B√ćBLIA ILUMINA EM CD - B√ćBLIA de Estudo NVI EM CD - B√ćBLIA Thompson EM CD.

Nosso novo endereço: http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/

Veja vídeos em http://ebdnatv.blogspot.com, http://www.ebdweb.com.br/ - Ou nos sites seguintes: 4Shared, BauCristao, Dadanet, Dailymotion, GodTube, Google, Magnify, MSN, Multiply, Netlog, Space, Videolog, Weshow, Yahoo, Youtube.

www.portalebd.org.br (Pr. Caramur√ļ)

BANCROFT, E. H. Teologia Elementar. S√£o Paulo, IBR, 1975.

SILVA, S. P. da. Quem √Č DEUS. Rio de Janeiro, CPAD, 1991.

CEGALLA, D. P. Novíssima Gramática da Língua Portuguesa. São Paulo, Companhia Editora Nacional, 1977.

RIGGS, R. M. O ESP√ćRITO SANTO. S√£o Paulo, Vida. 1981.

DUEWELL, W. L. Deixe DEUS Gui√°-lo Diariamente. S√£o Paulo, Candeia, 1993.

GEE, D. A Respeito do Dons Espirituais. S√£o Paulo, Vida, 1977.

B√ćBLIA. Portugu√™s. B√≠blia Sagrada. Edi√ß√£o contempor√Ęnea. S√£o Paulo, Vida, 1994.

SILVA, S. P. da. Apocalipse Versículo por Versículo. Rio de Janeiro, CPAD, 1995.

McNAIR, S. E. A Bíblia Explicada. Rio de Janeiro, CPAD, 1994.

CHAMPLIN, R. N. O Novo Testamento Interpretado. Milenium, 1982.

SILVA, S. P. da. A Exist√™ncia e a Pessoa do ESP√ćRITO SANTO. Rio de Janeiro, CPAD

converter em pdf.


  1. Warning: file_get_contents(http://...@yahoo.com.br) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    Eder Holanda
    Escreveu:

    Parabéns Ev. Luiz Henrique, vemos que ainda existe homens de Deus que não se conropeu e que ver os dififuldades que temos na nossa igreja.

    Vamos continuar conbatendo esses desvios.

    Que Deus nos abençoe.


  2. Warning: file_get_contents(http://...@terra.com.br) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    SIlv@ni@
    Escreveu:

    Parabéns, Ev.Luiz Henrique,o amado falou a verdade dos acontecimentos em nossas igrejas,ta uma vergonha.
    Atendam até celular dentro da igreja na hora do culto,fazem comercio na igreja como se fosse um restaurante e casa de loteria.
    E o pior Lideres n√£o frequentam mais a EBD,que tristeza.
    As vezes me pergunto ser√° que Jesus est√° recendo nossos cultos?
    Fica na Paz de Cristo.


  3. Warning: file_get_contents(http://...@hotmail.com) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    Luiz Henrique de Almeida Silva
    Escreveu:

    A paz do Senhor irm√£ Silv√Ęnia, lembre-se que n√≥s estamos na Igreja para mudar a situa√ß√£o da mesma, com atitudes. combata esse mal com ora√ß√£o e com a√ß√£o.


  4. Warning: file_get_contents(http://...@hotmail.com) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    Luiz Henrique de Almeida Silva
    Escreveu:

    A paz do Senhor irm√£o √Čder Holanda, lembre-se que coragem tem pre√ßo - Meus v√≠deos, falando sobre a situa√ß√£o atual da igreja, foram at√© barrados por uma semana, em alguns sites de respeito, por isso.

Comente.