Wordpress Themes

O Propósito da Tentação - Ev. José Roberto A. Barbosa

O PROP√ďSITO DA TENTA√á√ÉO

Texto √Āureo Tg. 2.17 - Leitura B√≠blica Tg. 2.14-26
Prof. Ev. José Roberto A. Barbosa

www.subsidioebd.blogspot.com

Twitter: @subsidioEBD

INTRODUÇÃO

Conforme estudamos na li√ß√£o anterior, a Ep√≠stola de Tiago foi endere√ßada √†s “doze tribos”, provavelmente judeus crist√£os do primeiro s√©culo (Tg. 2.1). Esses estavam passando por situa√ß√Ķes adversas, prova√ß√Ķes por seguirem a Cristo. Na verdade esse √© o pre√ßo do discipulado (Mt. 16.24). Na aula de hoje destacaremos o aspectos das prova√ß√Ķes pelas quais os crist√£os passam, bem como os objetivos e as possibilidades de vit√≥rias sobre essas. Ao final esperamos motivar os irm√£os e irm√£s que s√£o perseguidos por amor a Cristo a perseverarem na f√©, at√© a volta de Jesus.

1. A TENTA√á√ÉO QUE √Č PROVA√á√ÉO

A palavra traduzida por tenta√ß√£o na Almeida Revista e Corrigida (ARC) em grego √© peirasm√≥s tamb√©m significa¬†prova√ß√£o. Nesse contexto essa palavra seria mais adequada, ao inv√©s de tenta√ß√£o, considerando que os crentes daquele per√≠odo estavam passando por persegui√ß√Ķes por causa de Cristo. Nesse texto o termo peirasm√≥s tem uma conota√ß√£o positiva, diferentemente da palavra tenta√ß√£o, cujo significado √© negativo. A prova√ß√£o aponta, de acordo com as instru√ß√Ķes de Tiago, para um teste, que resulta em aprova√ß√£o ou reprova√ß√£o. Evidentemente as pessoas n√£o querem sofrer, h√° at√© os crist√£os que prop√Ķem um cristianismo isento de sofrimento. Tal ensinamento n√£o tem respaldo b√≠blico, pois Jesus ensinou que no mundo ter√≠amos afli√ß√Ķes (Jo. 16.33). Paulo afirma que por muitas tribula√ß√Ķes nos √© necess√°rio entrar no reino de Deus (At. 14.22). E alertou Tim√≥teo que todos os que querem viver piamente em Cristo padecer√£o persegui√ß√Ķes (I Tm. 3.12). J√≥ concluiu que o homem nasce para a tribula√ß√£o como as fa√≠scas voam para cima (J√≥. 5.7). As causas das provas s√£o diversas, n√£o necessariamente elas prov√™m de Deus. H√° pessoas que s√£o provadas por causa da condi√ß√£o humana. Isso acontece porque somos humanos, e como tais n√≥s passamos por enfermidades e desapontamentos, como qualquer outra pessoa, seja ela crente ou descrente. Existem provas tamb√©m que resulta dos nossos pecados, mas essas n√£o podem ser generalizadas, nem todas as pessoas sofrem por causa de pecados (Jo. 9.1,2; 11.4). Algumas pessoas s√£o provadas porque tomaram uma decis√£o por Cristo. Nos dias atuais a persegui√ß√£o predominante √© ideol√≥gica, os crist√£os est√£o perdendo espa√ßo, at√© mesmo empregos e posi√ß√Ķes sociais. Tiago utilizou o termo poikilos que significa¬†v√°rias¬†em grego, isso quer dizer que as prova√ß√Ķes t√™m fontes variadas, mas at√© essas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus (Rm. 8.28).

2. OS OBJETIVOS DAS PROVA√á√ēES

Quando somos provados, essas n√£o s√£o al√©m das nossas for√ßas, Deus sabe at√© onde somos capazes de suport√°-las (I Co. 10.11). Por isso devemos saber que as prova√ß√Ķes s√£o passageiras, elas n√£o duram para sempre (Tg. 1.2). Existem pessoas que sofrem mais do que outras, e Deus tem seus prop√≥sitos em cada vida. N√£o podemos esquecer que Ele pode utilizar as prova√ß√Ķes com o fim pedag√≥gico (Tg. 1.3,4). Deus √© um dos poucos professores que primeiro entrega a prova para que os alunos extraiam a li√ß√£o depois. Abra√£o foi chamado por Deus, mas antes precisou ser provado, a fim de mostrar seu compromisso com o Senhor. As provas de Deus objetivam nosso amadurecimento espiritual. Os crist√£os mais imaturos s√£o justamente aqueles que menos foram provados. As provas, quando resultam em crescimento espiritual, fortalecem a f√© dos crentes. Como destaca Paulo, nossa leve e moment√Ęnea tribula√ß√£o produz para n√≥s um peso eterno de gl√≥ria (II Co. 4.17). Todos n√≥s estamos “em constru√ß√£o”, e Deus est√° trabalhando em nossas vidas (Ef. 2.8-10). Assim Ele fez com Jos√© e Mois√©s, e est√° fazendo em muitos outros, inclusive em n√≥s. O resultado da prova√ß√£o √© a perseveran√ßa, a palavra grega √© hupomene, que significa¬†paci√™ncia, mais propriamente,¬†firmeza¬†diante das adversidades. Os crentes imaturos n√£o conseguem esperar muito, se afastam do caminho na primeira adversidade que encontram. Por causa dessa impaci√™ncia Mois√©s matou o eg√≠pcio, sans√£o contou seu segredo a Dalila, e Pedro quase matou Malco. Ningu√©m deve temer as provas, nem mesmo aquelas que s√£o permitidas por Deus. J√≥ reconheceu que inicialmente conhecia Deus apenas de ouvir, mas depois de provado teve uma percep√ß√£o mais grandiosa da gl√≥ria de Deus (J√≥. 42.5).

3. A VIT√ďRIA SOBRE AS PROVA√á√ēES

Os evang√©licos influenciados pelo hedonismo moderno pensam que a vit√≥ria sobre a prova√ß√£o √© justamente se livrar delas. Mas essa √© uma realidade que n√£o se concretiza para todos, somente para alguns, de acordo com a soberania de Deus. H√° aqueles que somente obter√£o vit√≥ria das suas provas na eternidade, como aconteceu com os her√≥is da galeria de Hebreus 11. A vit√≥ria sobre as prova√ß√Ķes est√° justamente na f√©, que √© firme fundamento das coisas que se esperam, mas que n√£o s√£o vis√≠veis (Hb. 11.1). Esse √© o tipo de f√© que Deus exige do Seu povo, n√£o uma f√© de barganha, alicer√ßada nas satisfa√ß√Ķes pessoais. Essa gera√ß√£o est√° adoecida pelo hedonismo, o prazer tornou-se a raz√£o de ser, at√© mesmo entre os crist√£os. Influenciados pela teologia da gan√Ęncia, e pelo movimento pseudopentecostal, querem apenas as m√£os de Deus, se distanciam da Sua face. A vit√≥ria que vence o mundo √© a nossa f√© (I Jo. 5.4), pistis em grego, que tamb√©m pode ser traduzida como¬†fidelidade. Sem uma f√© compromissada √© imposs√≠vel agradar a Deus, os que dEle se aproximam devem ser fieis, independentemente das circunst√Ęncias (Hb. 11.6). Jesus se dirigiu √†s igrejas perseguidas da √Āsia Menor, mais especificamente para Esmirna, que passaria por prova√ß√Ķes, instruindo-a para que essa fosse fiel at√© a morte (Ap. 2.8-11). Carecemos de uma gera√ß√£o de crentes que n√£o tenha receio das prova√ß√Ķes, que n√£o se acomodem com o marasmo, e com essa filosofia hedonista. Os bem-aventurados, conforme exp√īs Jesus, n√£o s√£o aqueles que n√£o querem sofrer. Justamente o contr√°rio, os bem-aventurados s√£o aqueles que s√£o perseguidos por causa do nome de Jesus. Esses devem exultar, pois grande ser√° no c√©u o galard√£o deles (Mt. 5.12). Enquanto n√£o chegarmos ao c√©u, vivemos nesta terra sujeitos √†s prova√ß√Ķes, essas servem para nosso amadurecimento espiritual. Isso porque Deus est√° mais interessando em forjar nosso car√°ter do que nos fazer financeiramente pr√≥speros. O objetivo do Senhor, atrav√©s das muitas prova√ß√Ķes pelas quais passamos, √© moldar nosso car√°ter em conformidade com Cristo, nosso Modelo (Gl. 4.19).

CONCLUSÃO

Os crist√£os n√£o est√£o imunes √†s provas, estamos sujeitos √†s mesmas condi√ß√Ķes dos descrentes. Por causa da nossa f√© em Cristo podemos ser perseguidos, quando isso acontecer devemos exultar, pois sabemos que receberemos de Deus o galard√£o no c√©u. As prova√ß√Ķes pelas quais passamos nos alinham a fim de que sejamos moldados ao car√°ter de Cristo. Deus est√° constru√≠do nossas vidas, Ele est√° escrevendo nossa hist√≥ria. Mesmo nas situa√ß√Ķes adversas devemos saber que Aquele que come√ßou a boa obra haver√° de lev√°-la adiante, apesar dos pesares (Fp. 1.6).

BIBLIOGRAFIA

LOPES, H. D. Tiago: transformando provas em triunfo. São Paulo: Hagnos, 2006.

MOTYER, J. A. The message of James. Interversity Press: Leicester, 1985.

Publicado no blog Subsídio EBD 

converter em pdf.

Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - EBD Fora da Caixa

Aula ministrada no site EBD Fora da Caixa.

Publicado no EBD Fora da Caixa

Lição 1 - 3T/2014

converter em pdf.

Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - Rede Brasil de Comunicação

Igreja Evangélica Assembleia de Deus - Recife / PE

Superintendência das Escolas Bíblicas Dominicais

Pastor Presidente: Aílton José Alves

Av. Cruz Cabug√°, 29 - Santo Amaro - CEP. 50040 - 000 Fone: 3084 1524

 

LI√á√ÉO 01 - TIAGO - F√Č QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS - 3¬ļ TRIMESTRE 2014

(Tg 2.14-26)

INTRODUÇÃO

Neste terceiro trimestre de 2014 estudaremos uma preciosa li√ß√£o que tem como t√≠tulo: F√© e Obras - Ensinos de Tiago para uma Vida Crist√£ Aut√™ntica. A ep√≠stola de Tiago, apesar de ter sido escrita no primeiro s√©culo da era crist√£, cont√©m preciosos ensinamentos que s√£o imprescind√≠veis para os crist√£os em todo tempo. Nesta primeira li√ß√£o traremos informa√ß√Ķes a respeito da autoria, data, lugar, destinat√°rio, curiosidades e caracter√≠sticas especiais dessa carta. E, por fim, trataremos da suposta controv√©rsia entre Tiago e Paulo acerca da doutrina da justifica√ß√£o.

I - INFORMA√á√ēES SOBRE A EP√ćSTOLA DE TIAGO

1.1 Autor. O autor desse livro se identifica na sauda√ß√£o inicial como Tiago (Tg 1.1). Seu nome no grego √© “Yakobos” √© uma translitera√ß√£o do conhecido nome hebraico do Antigo Testamento “Jac√≥”. A maioria dos estudiosos da B√≠blia aponta este Tiago como o meio irm√£o do Senhor Jesus Cristo (Mt 13.55; Mc 6.3; Gl 1.19). A princ√≠pio, Tiago n√£o creu em Jesus como Messias (Jo 7.2-5), todavia, ap√≥s a ressurrei√ß√£o, ele aparece subitamente com os demais irm√£os de Jesus, entre os disc√≠pulos, no cen√°culo, orando antes da recep√ß√£o do Esp√≠rito (At 1.14). √Č Paulo quem nos d√° a raz√£o dessa mudan√ßa radical: Jesus apareceu a Tiago, ap√≥s a ressurrei√ß√£o, antes de aparecer ao grande grupo apost√≥lico e esse encontro resultou na convers√£o de Tiago (I Co 15.7). “Ele era chamado de “o Justo” por causa de sua estrita ader√™ncia √† santidade cerimonial judaica e de sua austera maneira de viver. A tradi√ß√£o diz que sofreu mart√≠rio por apedrejamento, pelas m√£os do sumo sacerdote judeu Anano em 61 d.C.” (CHAMPLIN, 2004, p. 426 - acr√©scimo nosso). “Eus√©bio de Cesar√©ia, um dos pais da igreja, diz que por Tiago ter vivido como nazireu e orado tanto no templo que seus joelhos se tornaram t√£o calejados quanto os de um camelo” (DUCK, sd, p. 02).

1.2 Provas da autoria de Tiago. Considerando que “Jac√≥” ou “Tiago” era um nome judeu muito comum no primeiro s√©culo, a quest√£o foi obviamente levantada em rela√ß√£o √† precisa identidade de quem escreveu esta carta. Destacaremos abaixo algumas evid√™ncias que apontam para Tiago o irm√£o do Senhor: (a) O fato de que nenhum outro indicador vai junto com Tiago na ep√≠stola (Tg 1.1), provavelmente indica que ele era “o” Tiago que todos conheciam - o l√≠der da igreja de Jerusal√©m; (b) Ele se inclui entre os mestres da igreja (Tg 3.1). Tiago irm√£o do Senhor foi pastor da igreja em Jerusal√©m (At 12.17; 15.13; 21.18). Foi chamado por Paulo como uma das colunas da igreja (Gl 2.9); e (c) A semelhan√ßa da linguagem da ep√≠stola com as palavras de Tiago em Atos 15 (At 15.23; Tg 1.1; At 15.17; Tg 2.7), a forte depend√™ncia do escritor da tradi√ß√£o judia, e a consist√™ncia do conte√ļdo de sua carta com as not√≠cias hist√≥ricas que o Novo Testamento d√° em rela√ß√£o a Tiago, o irm√£o do Senhor, tudo tende a apoiar a autoria tradicional (MOODY, sd, p. 01).

1.3 Data e Lugar. Muitas s√£o as opini√Ķes sobre a data que Tiago escreveu esta carta. Aqueles que aceitam a autoria tradicional costumam dat√°-la entre o meio dos anos quarenta e o come√ßo de sessenta (exatamente antes da morte de Tiago). Quanto ao lugar, poucas s√£o as d√ļvidas de que Tiago a escreveu na Palestina. Especialmente pelo colorido sugerido, o escritor indica que ele √© um palestiniano (Tg 1.10, 11; 3.11, 12;5.7) (MOODY, sd, pp. 01, 03).

1.4 Destinat√°rio. A √ļnica indica√ß√£o direta no livro que possivelmente sugere quem foram os leitores encontra-se no pref√°cio: “Tiago, servo de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, √†s doze tribos que se encontram na dispers√£o, sauda√ß√Ķes” (Tg 1.1). Tradicionalmente a frase, “√†s doze tribos”, era usada para indicar toda a na√ß√£o judia (At 26.7). Mas considerando que toda a na√ß√£o judia, por mais espalhada que estivesse na Di√°spora (dispers√£o), n√£o poderia ser considerada como existindo fora da Palestina, parece indicar que o significado da frase √© simb√≥lico. Tiago estava escrevendo a toda a igreja, considerada como o Novo Israel (Gl 3.7-9; 6.16; Fp 3.3), dispersa por um mundo estranho e hostil (I Pe 1.1,17; 2.11; Fp 3.20; Gl 4.26; Hb 12.22; 13.14) (MOODY, sd, p. 03 - acr√©scimo nosso).

1.5 Curiosidades acerca dessa ep√≠stola. √Č muito prov√°vel que ela tenha sido o primeiro livro do NT a ser escrito. Embora contenha apenas duas refer√™ncias nominais a Cristo, h√° nela mais alus√Ķes aos ensinos de Jesus do que todas as demais do NT. A carta de Tiago possui fortes semelhan√ßas com o Serm√£o do Monte e outras prega√ß√Ķes de Jesus (Tg 1.22 e Mt 7.21,26; Tg 2.10 e Mt 5.19; Tg 2.13 e Mt 5.7; Tg 3.18 e Mt 5.9; Tg 4.5 e Mt 6.24; Tg 4.12 e Mt 7.1; Tg 5.2 e Mt 6.19; Tg 5.12 e Mt 5.34,37). √Č bom conferir tamb√©m a posi√ß√£o semelhante de Jesus e Tiago em rela√ß√£o a pobres e ricos (Lc 6.24s; 16.19-25). O autor √© considerado como o profeta Am√≥s do NT por tratar com firmeza a injusti√ßa e as desigualdades sociais (Tg 2.1-9; 5.1-6).

II - CARACTER√ćSTICAS ESPECIAIS DA EP√ćSTOLA DE TIAGO

2.1 √Č um livro muito pr√°tico. Apresenta uma orienta√ß√£o muito pr√°tica para a vida cotidiana do crist√£o. As mensagens e ordens s√£o claras e sem rodeios. √Č o livro mais pr√°tico do NT - sempre lida com problemas da vida crist√£ com o prop√≥sito de desenvolver crist√£os teoc√™ntricos (Deus no centro). O cerne da carta √© um chamado para um compromisso total com Cristo, de forma consistente, sem fazer concess√Ķes. Tiago exorta aos crentes a suportarem com alegria as suas prova√ß√Ķes e a tirarem proveito delas (Tg 1.2-11), exorta-os a resistirem √†s tenta√ß√Ķes (Tg 1.12-18), a serem praticantes da Palavra e n√£o apenas ouvintes (Tg 1.19-27) e a demonstrarem uma f√© ativa, e n√£o uma profiss√£o de f√© vazia (Tg 2.14-26). Adverte solenemente contra a pecaminosidade de uma l√≠ngua indom√°vel (Tg 3.1-12; 4.11,12), a sabedoria carnal (Tg 3.13-16), a conduta pecaminosa (Tg 4.1-10), a vida presun√ßosa (Tg 4.13-17), e a riqueza egoc√™ntrica (Tg 5.1-6). Tiago encerra ressaltando a paci√™ncia, a ora√ß√£o e a restaura√ß√£o dos desviados (Tg 5.7-20).

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - Pr. César Moisés

Dicas da CPAD para que o professor possa dar uma boa aula.

O pastor César Moisés ajuda você na preparação da sua aula de Escola Dominical falando sobre o tema da lição 1 - Tiago - A Fé que se Mostra pelas Obras.

Lição 1 - 3T/2014

converter em pdf.

Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - CPAD

Por Thiago Santos

INTRODUÇÃO

I - AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINAT√ĀRIOS (Tg 1.1)

II - O PROP√ďSITO DA EP√ćSTOLA DE TIAGO

III - ATUALIDADE DA EP√ćSTOLA

SOBRE A PR√ĀTICA DA PALAVRA DE DEUS: TIAGO 1.22.

A Ep√≠stola Universal de Tiago apresenta a exorta√ß√£o do l√≠der da Igreja em Jerusal√©m a todos os crist√£os da “dispers√£o”, a guardarem a f√© no Deus √ļnico e verdadeiro e a n√£o esmorecer na pr√°tica da verdade, vivendo de forma que o relacionamento √≠ntimo da nova alian√ßa com Deus seja firmemente mantido. Os aspectos considerados nesta Carta s√£o importantes para uma f√© √≠ntegra e edificada sobre o compromisso √©tico e moral da Palavra de Deus. A pr√°tica da justi√ßa evidencia a qualidade de nossa f√© no Deus verdadeiro, ao mesmo tempo em que aprova a integridade de vida crist√£ demonstrada por seus servos.
A autoria da carta data de aproximadamente 49 d.C., e vem nos ensinar a respeito do exerc√≠cio da f√© baseado na Palavra de Deus e o desafio de agir de acordo com essa mesma Palavra. Segundo o te√≥logo Timothy B. Cargal, o nome de Tiago conhecido como “o Justo”, ou “Iakobos”, em grego, √© uma translitera√ß√£o do conhecido nome hebraico do Antigo Testamento “Jac√≥”. Conforme a tradi√ß√£o aceita pela Igreja, este √© o irm√£o de Jesus (Mc 6.3; Gl 1.19) que se tornou l√≠der da Igreja em Jerusal√©m (At 15.13; 21.18; Gl 2.9). Embora n√£o haja ind√≠cios da biografia de Tiago, pois o mesmo n√£o cita refer√™ncias pessoais, esta √© a identifica√ß√£o mais aceita a respeito da autoria desta carta. Destinada √† igreja dispersa n√£o s√≥ em Israel, mas em todo o mundo, pois usa a express√£o √†s “das doze tribos em dispers√£o”, a carta exortava os crentes ao cumprimento da Palavra de Deus e a buscar a sabedoria que vem do Alto, atitudes que aparecem igualmente nos escritos paulinos no tocante ao “fruto do esp√≠rito” (Gl 5.22,23). A carta trata de assuntos corriqueiros do dia a dia da vida crist√£, sendo este um dos pontos que a torna bem significativa para os dias atuais.
Tiago aprofunda o seu discurso na quest√£o comportamental tendo como finalidade resgatar os crentes a uma conduta onde os valores √©ticos e morais da vida crist√£ devem ser praticados por aqueles que t√™m o testemunho de Cristo em seus cora√ß√Ķes. Os leitores de Tiago percebiam que o car√°ter crist√£o era antag√īnico aos preceitos e valores mundanos que imperavam na sociedade em que eles estavam inseridos. Tal conhecimento da Palavra levaria os destinat√°rios da ep√≠stola a permanecer firmes na verdade, desviando-se do mal e buscando em Deus a sabedoria necess√°ria para evitar o erro. Isso os conscientizava de que Deus se agrada daqueles que s√£o confiantes na sua miseric√≥rdia e n√£o s√£o “inconstantes em todos os seus caminhos” (Tg 1.8), pois “segundo a Sua vontade, Ele nos gerou pela Palavra da Verdade para que f√īssemos como prim√≠cias das suas criaturas” (v.18).
Para entendermos melhor o contexto da Carta de Tiago, torna-se interessante esbo√ßarmos os assuntos em que o escrito foi produzido: “A primeira unidade (1.2-21) desenvolve suas preocupa√ß√Ķes mais amplas a respeito da cren√ßa de seus leitores em rela√ß√£o √† natureza do relacionamento entre Deus e os crist√£os. Ele os encoraja a confiar em Deus para alcan√ßarem a sabedoria de que necessitam, ao inv√©s de procurarem aprend√™-la atrav√©s de suas respostas √†s dificuldades da vida. Na segunda unidade (1.22-26), Tiago come√ßa a focar o diagn√≥stico do problema. Mostra-lhes como suas a√ß√Ķes revelam que realmente lhes falta sabedoria (cf. 1.5), e novamente enfatiza que qualquer forma de cren√ßa, que n√£o resulte em obras consistentes com a vontade de Deus, n√£o poder√° proporcionar vida espiritual (2.14,26). Na terceira (3.1-4.10) e na quarta unidade (4.11-5.20) trata da responsabilidade dos leitores por suas pr√≥prias a√ß√Ķes e pela vida espiritual dos semelhantes, respectivamente (CARGAL, Timothy B., Tiago. In, ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Eds.). Coment√°rio B√≠blico Pentecostal: Novo Testamento. 2.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2004, pp.1659-60).
A vida crist√£ encontra uma s√©rie de situa√ß√Ķes intrigantes como o problema da tenta√ß√£o, do pecado, da natureza humana, do cuidado com a l√≠ngua, da paci√™ncia nas prova√ß√Ķes e muitos outros assuntos tratados nesta ep√≠stola que s√£o pertinentes para a igreja atual. O Caminho da Gra√ßa deve ser percorrido de forma que o comportamento crist√£o seja a pr√≥pria express√£o e prega√ß√£o da Palavra de Deus no viver di√°rio. Tal desafio encontra-se na pr√°tica de uma f√© que leva a uma a√ß√£o contundente com aquilo que se acredita ser a “vontade de Deus”. √Č importante compreendermos que neste cen√°rio contempor√Ęneo em que a igreja est√° inserida, a moral, a √©tica crist√£, as verdades b√≠blicas e os valores crist√£os est√£o sendo colocados √† prova em um mundo onde predomina a maldade e a escassez do amor ao pr√≥ximo (Mt 24.12).

Publicado no Portal CPAD

converter em pdf.

TV EBD - Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - Ev. Luiz Henrique

Assista os vídeos da TV EBD com a aula da Lição 1 - Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras. Para facilitar o download, o vídeo é dividido em 6 partes. Você pode assistir aqui mesmo, clicando nos vídeos, ou clicar nos links, acima dos vídeos para salvar; ao abrir a nova página, clique no botão Download. Os vídeos são produzidos pelo Ev. Luiz Henrique e também publicados no site Estudos Bíblicos EBD, ou no blog EBDnaTV.

1ª Parte - Lição 1 - 3T/2014

2ª Parte - Lição 1 - 3T/2014

3ª Parte - Lição 1 - 3T/2014

4ª Parte - Lição 1 - 3T/2014

5ª Parte - Lição 1 - 3T/2014

6ª Parte - Lição 1 - 3T/2014

converter em pdf.

Questionário - Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - Ev. Luiz Henrique

Questionário da Lição 1 - Tiago - Fé que se mostra pelas obras

Responda conforme a revista da CPAD do 3¬ļ Trimestre de 2014 - Para jovens e adultos

Tema: F√Č E OBRAS - Ensinos de Tiago para uma Vida Crist√£ Aut√™ntica

Complete os espa√ßos vazios e marque com “V” as respostas verdadeiras e com “F” as falsas.

 

TEXTO¬†√ĀUREO

1- Complete:

“Assim tamb√©m a ____________________________, se n√£o tiver as ____________________________, √© ____________________________ em si mesma” (Tg 2.17).

 

VERDADE PRATICA

2- Complete:

A nossa ___________________________ tem de produzir ___________________________ verdadeiros de amor, do contr√°rio, ela se apresenta _____________________________.

 

COMENT√ĀRIO - INTRODU√á√ÉO

3- Como pode ser resumida a Epístola universal de Tiago?

(    ) O estudo dessa epístola é relevante para os nossos dias, pois contempla a oportunidade de aperfeiçoarmos o nosso relacionamento com DEUS e com o próximo, levando-nos a compreender que a fé só existe pelas obras para se chegar à salvação.

(    ) Uma carta de conselhos práticos para uma vida bem-sucedida e de acordo com a Palavra de DEUS.

(    ) A espiritualidade superficial, a ausência de integridade, a carência de perseverança e a insuficiência da compaixão para com o próximo são características que permeiam o caminho de muitos crentes dos dias modernos.

(    ) O estudo dessa epístola é relevante para os nossos dias, pois contempla a oportunidade de aperfeiçoarmos o nosso relacionamento com DEUS e com o próximo, levando-nos a compreender que a fé sem as obras é morta.

 

I - AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINAT√ĀRIOS (Tg 1.1)

4- √Č preciso destacar o fato de que h√°, em o Novo Testamento, a men√ß√£o de quatro pessoas com o nome de Tiago, quais s√£o eles?

(    ) Tiago, filho de Labeu, um dos discípulos.

(    ) Tiago, pai de Judas, não o Iscariotes;

(    ) Tiago, filho de Zebedeu e irmão de João;

(    ) Tiago, filho de Alfeu, um dos doze discípulos.

(    ) Tiago, o autor da epístola, que era filho de José e Maria e meio-irmão do nosso Senhor.

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - Ev. Luiz Henrique

Lição 1 - Tiago - Fé que se mostra pelas obras

LI√á√ēES B√ćBLICAS - 3¬ļ Trimestre de 2014 - CPAD - Para jovens e adultos

Tema: F√Č E OBRAS - Ensinos de Tiago para uma Vida Crist√£ Aut√™ntica

Coment√°rio: Pr. Eliezer de Lira e Silva


Complementos, ilustra√ß√Ķes, question√°rios e v√≠deos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

Question√°rio

N√ÉO DEIXE DE ASSISTIR AOS V√ćDEOS DA LI√á√ÉO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICA√á√ēES DETALHADAS DA LI√á√ÉO

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

 

TEXTO¬†√ĀUREO

“Assim tamb√©m a f√©, se n√£o tiver as obras, √© morta em si mesma” (Tg 2.17).

 

VERDADE PRATICA

A nossa fé tem de produzir frutos verdadeiros de amor, do contrário, ela se apresenta falsa.

 

LEITURA¬†DI√ĀRIA

Segunda - Hb 10.24 As boas obras devem ser estimuladas

Terça - 1 Tm 6.1 7-19 As boas obras e as riquezas do mundo

Quarta¬†- Tg 2.14-17 √Č poss√≠vel haver f√© sem as obras?

Quinta - Ef 2.8,9 Não somos salvos pelas boas obras

Sexta - Ef 2.10 Salvos praticam boas obras

Sábado - Rm 12.9,10 Amor cordial e fraterno

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - Francisco A. Barbosa

TEXTO √ĀUREO

‚ÄúAssim tamb√©m a f√©, se n√£o tiver as obras, √© morta em si mesma‚ÄĚ (Tg 2.17).

VERDADE PR√ĀTICA

A nossa fé tem de produzir frutos verdadeiros de amor, do contrário, ela se apresenta falsa.

HINOS SUGERIDOS

18, 47, 93.

LEITURA DI√ĀRIA

Segunda - Hb 10.24
As boas obras devem ser estimuladas

Terça - 1Tm 6.17-19
As boas obras e as riquezas do mundo

Quarta - Tg 2.14-17
√Č poss√≠vel haver f√© sem as obras?

Quinta - Ef 2.8,9
N√£o somos salvos pelas boas obras

Sexta - Ef 2.10
Salvos praticam boas obras

S√°bado - Rm 12.9,10
Amor cordial e fraterno

LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE

Tiago 2.14-26.14 - Meus irm√£os, que aproveita se algu√©m disser que tem f√© e n√£o tiver as obras? Porventura, a f√© pode salv√°-lo?15 - E, se o irm√£o ou a irm√£ estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano,16 - e algum de v√≥s lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e lhes n√£o derdes as coisas necess√°rias para o corpo, que proveito vir√° da√≠?17 - Assim tamb√©m a f√©, se n√£o tiver as obras, √© morta em si mesma.18 - Mas dir√° algu√©m: Tu tens a f√©, e eu tenho as obras; mostra-me a tua f√© sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha f√© pelas minhas obras.19 - Tu cr√™s que h√° um s√≥ Deus? Fazes bem; tamb√©m os dem√īnios o creem e estremecem.20 - Mas, √≥ homem v√£o, queres tu saber que a f√© sem as obras √© morta?21 - Porventura Abra√£o, o nosso pai, n√£o foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho Isaque?22 - Bem v√™s que a f√© cooperou com as suas obras e que, pelas obras, a f√© foi aperfei√ßoada,23 - e cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abra√£o em Deus, e foi-lhe isso imputado como justi√ßa, e foi chamado o amigo de Deus.24 - Vedes, ent√£o, que o homem √© justificado pelas obras e n√£o somente pela f√©.25 - E de igual modo Raabe, a meretriz, n√£o foi tamb√©m justificada pelas obras, quando recolheu os emiss√°rios e os despediu por outro caminho?26 - Porque, assim como o corpo sem o esp√≠rito est√° morto, assim tamb√©m a f√© sem obras √© morta.

OBJETIVOS
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:

  • Descrever¬†as quest√Ķes de autoria, local, data e destinat√°rio da ep√≠stola;
  • Entender¬†o prop√≥sito da ep√≠stola,
  • Destacar¬†a atualidade da ep√≠stola.

PALAVRA CHAVE

Fé: Confiança absoluta em alguém. A primeira das três virtudes teologais: fé, esperança e amor.

COMENT√ĀRIO
INTRODUÇÃO
Neste trimestre, estudaremos a mensagem de Deus entregue aos santos irm√£os do primeiro s√©culo por interm√©dio de Tiago, o irm√£o do Senhor. Assim pode ser resumida a Ep√≠stola universal de Tiago: uma carta de conselhos pr√°ticos para uma vida bem-sucedida e de acordo com a Palavra de Deus. A espiritualidade superficial, a aus√™ncia de integridade, a car√™ncia de perseveran√ßa e a insufici√™ncia da compaix√£o para com o pr√≥ximo s√£o caracter√≠sticas que permeiam o caminho de muitos crentes dos dias modernos. O estudo dessa ep√≠stola √© relevante para os nossos dias, pois contempla a oportunidade de aperfei√ßoarmos o nosso relacionamento com Deus e com o pr√≥ximo, levando-nos a compreender que a f√© sem as obras √© morta (Tg 2.17).¬†[Coment√°rio:¬†Iniciamos mais um trimestre da escola dominical e pelos pr√≥ximos tr√™s meses estaremos em contato com a Ep√≠stola de Tiago. Ser√° um trimestre de Teologia Pr√°tica, de aplica√ß√£o pr√°tica da teologia √† vida quotidiana. Teremos li√ß√Ķes precios√≠ssimas que nos auxiliar√£o na verifica√ß√£o de que estamos ou n√£o sendo crist√£os aut√™nticos. Sim, pois voc√™ acreditaria em algu√©m que se diz mec√Ęnico, mas n√£o consegue consertar um carro? Um enfermeiro que n√£o sabe aplicar uma inje√ß√£o? Tiago trata exatamente disto, ele defende que se algu√©m diz ter f√© deve tamb√©m possuir obras que testifiquem esta f√©. Na verdade, o Evangelho n√£o admite uma vida crist√£ acompanhada de um discurso desassociado da pr√°tica. A nossa f√© deve ser confirmada atrav√©s das obras.¬†Qual √© a f√© que salva? Como conciliar Romanos 3.28 com Tiago 2.24? Ser√° que Tiago contradiz o ensino de Paulo? Qual o papel das obras na salva√ß√£o? Prepare-se para mais um emocionante trimestre!]¬†Tenhamos todos uma excelente e aben√ßoada aula!
I. AUTORIA, LOCAL, DATA E DESTINAT√ĀRIOS (Tg 1.1)
1. Autoria.¬†Em primeiro lugar, √© preciso destacar o fato de que h√°, em o Novo Testamento, a men√ß√£o de quatro pessoas com o nome de Tiago: Tiago, pai de Judas, n√£o o Iscariotes, (Lc 6.16); Tiago, filho de Zebedeu e irm√£o de Jo√£o (Mt 4.21; 10.2; Mc 1.19, 10.35; Lc 5.10; 6.14; At. 1.13; 12.2); Tiago, filho de Alfeu, um dos doze disc√≠pulos (Mt 10.3; Mc 3.18; 15.40; Lc 6.15; At 1.13) e, finalmente, Tiago, o autor da ep√≠stola, que era filho de Jos√© e Maria e meio-irm√£o do nosso Senhor (Mt 1.18,20). Ap√≥s firmar os passos na f√© e testemunhar a ressurrei√ß√£o do Filho de Deus, o irm√£o do Senhor liderou a Igreja em Jerusal√©m (At 15.13-21) e, mais tarde, foi considerado ap√≥stolo (Gl 1.19). Pela riqueza doutrin√°ria da carta, o autor n√£o poderia ser outro Tiago, sen√£o, o irm√£o do Senhor e l√≠der da Igreja em Jerusal√©m.[Coment√°rio:¬†A Ep√≠stola de Tiago √© a primeira do grupo de ep√≠stolas consideradas como escritos gerais. Tais ep√≠stolas recebem essa designa√ß√£o por n√£o serem endere√ßadas especificamente a qualquer grupo que possa ser identificado de imediato. Tamb√©m recebe a denomina√ß√£o de “escritos cat√≥licos”, contudo, sem liga√ß√£o nenhuma com Igreja Cat√≥lica Apost√≥lica Romana. A autoria desta Carta √© entendida como sendo de Tiago, o irm√£o do Senhor (Mc 15.40). Ele identifica-se somente como “Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo” (1.1). O nome Tiago era comum nos dias de Jesus, e no Novo Testamento ocorrem ao menos quatro cita√ß√Ķes a pessoas que tinham esse nome: Tiago, pai de Judas (Lc 6.16); Tiago, filho de Zebedeu e irm√£o de Jo√£o; Tiago, filho de Alfeu. Tiago, irm√£o do Senhor, tem sido a teoria mais corrente em rela√ß√£o √† autoria desta Carta. Paulo o destaca como ap√≥stolo (G1 1.19), um homem que era considerado um dos pilares da igreja. D. A. Carson aborda dessa forma a pluralidade de candidatos √† autoria: Destes quatro [Carson cita Tiago, filho de Zebedeu e irm√£o de Jo√£o, Tiago filho de Alfeu, Tiago o menor e Tiago, irm√£o do Senhor], o √ļltimo √© de longe o mais √≥bvio candidato √† autoria desta carta. Tiago, o pai de Judas √© por demais obscuro para ser seriamente considerado; o mesmo vale, num grau menor, para Tiago, o filho de Alfeu. Por outro lado, Tiago, o filho de Zebedeu, tem um papel de destaque entre os Doze, mas a data de seu mart√≠rio - 44 d.C. (Veja At 12.2) - √© provavelmente muito cedo para que o liguemos √† carta. Resta, ent√£o, Tiago, o irm√£o do Senhor, que certamente √© o Tiago mais proeminente na Igreja Primitiva. H√° ainda estudiosos que entendem que essa carta √© de autoria an√īnima. Sobre esse assunto, Carson comenta: Poucos estudiosos t√™m atribu√≠do a carta a um Tiago desconhecido. Mas embora isso seja poss√≠vel e n√£o conflite em nenhum aspecto com nada existente na pr√≥pria carta, a simplicidade da identifica√ß√£o do autor indica um indiv√≠duo bem conhecido - e uma pessoa t√£o bem conhecida seria provavelmente mencionada no Novo Testamento. Depois de brevemente apresentadas as teorias, a Igreja Crist√£ tem tido em Tiago, o irm√£o de Jesus e bispo em Jerusal√©m, o autor dessa carta que atravessou os s√©culos e at√© hoje fala com toda a igreja.] Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Tiago - Fé que se Mostra pelas Obras - Pr. Geraldo Carneiro Filho

ESCOLA B√ćBLICA DOMINICAL
IGREJA EVANG√ČLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITER√ďI - RJ
LI√á√ÉO N¬ļ 01- DATA: 06/07/2014
T√ćTULO: “TIAGO - F√Č QUE SE MOSTRA PELAS OBRAS”
TEXTO √ĀUREO - Tg 2.17
LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE: Tg 2.14-26
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/

I - INTRODUÇÃO:

A ep√≠stola de Tiago tem uma hist√≥ria controvertida. Ao lado das cartas de I e II Pedro, I, II e II Jo√£o e Judas, ela pertence √†quela classe de ep√≠stolas do Novo Testamento chamadas de “gerais” ou “cat√≥licas” (no sentido de “universais”). Tal designa√ß√£o foi dada a estas sete cartas nos prim√≥rdios da hist√≥ria da Igreja, pelo fato de cada uma ser endere√ßada √† Igreja em geral, e n√£o a uma √ļnica congrega√ß√£o. Estas cartas tamb√©m tiveram uma situa√ß√£o incerta em muitas √°reas da Igreja Primitiva. Juntamente com Hebreus e Apocalipse, v√°rias entre elas foram as √ļltimas a receberem um “status” can√īnico. No caso de Tiago, apenas no final do quarto s√©culo as cristandades oriental e ocidental a reconheceram como Escritura.

II - O LIVRO DE TIAGO:

Tendo havido claramente as dificuldades que circundam este livro, no tocante a sua autoria, vejamos os v√°rios “Tiagos” do Novo Testamento.

(A) - Tiago, pai ou irmão de um dos 12 apóstolos de Jesus, chamado Judas, não o Iscariotes (Lc 6:16 cf At 1:13) - O versículo não só diferencia os dois Judas como mostra que um deles era filho de um homem chamado Tiago.

(B) - Tiago, um dos discípulos, filho de Alfeu (Mt 10:3; Mc 3:18; Lc 6:15; At 1:13) - Era irmão de Mateus (Mt 9:9 cf Mc 2:14) - Mateus é chamado Levi e se diz que era filho de Alfeu. Logo, Mateus e Levi são a mesma pessoa, tendo por pai Alfeu e um irmão Tiago.

(C) - Tiago, o menor (Mt 27:56; Mc 15:40; Lc 24:10) - O termo “MENOR” pode significar “PEQUENO” ou “DE BAIXA ESTATURA” ou “FILHO” ou “J√öNIOR” - Sabe-se pouco sobre esse homem.

(D) - Tiago, irm√£o de Jo√£o e filho de Zebedeu (Mt 10:2) - √© aquele quem temos mais informa√ß√Ķes: foi o primeiro dos doze ap√≥stolos a sofrer mart√≠rio, provavelmente no ano 40 d.C. (At 12:1-2) e, por isso, n√£o √© o autor do livro de Tiago.

(E) - Tiago, irmão de Judas (Jd 1) por meio de quem a epístola de Judas teria sido escrita.

(F) - Tiago, irmão do Senhor (Mt 13:55; Gl 1:19; 2:9) - Era incrédulo (Mc 3:21 cf Jo 7:5), mas, a partir do livro de Atos vemos uma surpreendente mudança (At 1:14). Por que? Vejamos I Cor 15:7. Ele era casado (I Cor 9:5). Suas palavras foram acatadas no Concílio de Jerusalém e governou a Igreja após a partida de Pedro (At 15:13; 21:18). Segundo historiadores, foi martirizado no ano 62 d.C., data que o torna o mais possível autor da epístola. Esta conclusão é apoiada pelas semelhanças existentes entre esta carta e o discurso de Tiago, no Concílio de Jerusalém (Tg 1:1 cf At 15:23) (Tg 2:5 cf At 15:13)

III - A QUEM SE DIRIGE?

N√£o h√° d√ļvidas de que Tiago escreve a pessoas que j√° s√£o membradas na comunidade crist√£:

(1) - Ele repetidamente chama os seus leitores de IRMÃOS;

(2) - Refere-se refere a assuntos internos da Igreja, como o tratamento a ser dispensado a pessoas pobres (Tg 2:1-7);

(3) - Refere-se à responsabilidade dos mestres (Tg 3:1-12);

(4) - Ele se considera regenerado, juntamente como seu auditório (Tg 1:8).

IV - A MENSAGEM:

Aparentemente Tiago enfrentou uma situa√ß√£o em que as pessoas estavam professando f√© em Cristo e participando da comunidade crist√£ sem perceberem as vastas implica√ß√Ķes morais e √©ticas de tal envolvimento (Tg 2:14-16).

Para Tiago, ser membro de uma comunidade crist√£ significava:

(1) - Viver uma batalha dedicada contra o pecado (Tg 1:12-15, 19-21);

(2) - Contra a imoralidade (Tg 4:1-10);

(3) - E contra a injustiça (Tg 4:13-5:6)

V - A √äNFASE TEOL√ďGICA

√Č bastante comum a afirma√ß√£o de que Tiago n√£o tem nenhuma teologia. Contudo, √© injusto acusar Tiago de n√£o ser teol√≥gico. Al√©m disso, apesar de a carta n√£o se caracterizar por ensino doutrin√°rio expl√≠cito, n√£o podemos presumir que lhe faltem base teol√≥gicas (Tg 5:3 - √öltimos dias) e tamb√©m olha para o futuro, para o julgamento ligado com a vinda do Senhor (Tg 5:7-9).

O livro se preocupa com os aspectos pr√°ticos da conduta crist√£ e apresenta o modo pelo qual a f√© opera na vida cotidiana. O prop√≥sito de Tiago foi oferecer instru√ß√£o √©tica concreta. Comparado a Paulo, Tiago demonstra muito pouco interesse em teologia formal, embora a carta n√£o esteja isenta de declara√ß√Ķes teol√≥gicas (Tg 1.12; 2.1, 10-12, 19; 3.9; 5.7-9, 12, 14).

Muitos assuntos s√£o tratados no livro, dando-se-lhe uma forma de uma s√©rie de m√°ximas dispostas em formato de carta. Embora haja pouca estrutura formal no livro, suas muitas instru√ß√Ķes explicam como ser praticante da Palavra (Tg 1.22).

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.