Wordpress Themes

TV EBD - E Deu Dons aos Homens - Ev. Luiz Henrique

Assista os vídeos da TV EBD com a aula da Lição 1 - E Deu Dons aos Homens. Para facilitar o download, o vídeo é dividido em 6 partes. Você pode assistir aqui mesmo, clicando nos vídeos, ou clicar nos links, acima dos vídeos para salvar; ao abrir a nova página, clique no botão Download. Os vídeos são produzidos pelo Ev. Luiz Henrique e também publicados no site Estudos Bíblicos EBD, ou no blog EBDnaTV.

1ª Parte - Lição 1 - 2T/2014

2ª Parte - Lição 1 - 1T/2014

3ª Parte - Lição 1 - 2T/2014

4ª Parte - Lição 1 - 2T/2014

5ª Parte - Lição 1 - 2T/2014

6ª Parte - Lição 1 - 2T/2014

converter em pdf.

Question√°rio - E Deu Dons aos Homens - Ev. Luiz Henrique

Questionário da Lição 1 - E deu dons aos homens

Responda conforme a revista da CPAD do 2¬ļ Trimestre de 2014 - CPAD - Para jovens e adultos

Tema: Dons Espirituais e Ministeriais - Servindo a DEUS e aos homens com poder extraordin√°rio

Complete os espa√ßos vazios e marque com “V “as respostas verdadeiras e com “F “as falsas

TEXTO √ĀUREO

1- Complete:

“Pelo que diz: Subindo ao ______________________, levou _______________________ o cativeiro e deu _________________________ aos homens” (Ef 4.11).

VERDADE PR√ĀTICA

2- Complete:

Os ____________________ são dádivas divinas para __________________ cumprir sua missão até que o _________________ venha busca-la.

COMENT√ĀRIO/INTRODU√á√ÉO

3- Como a B√≠blia de Estudo Pentecostal define “dons” e para que servem?

(¬†¬†¬† ) Como “manifesta√ß√Ķes sobrenaturais concedidas da parte do ESP√ćRITO SANTO, e que operam atrav√©s dos crentes, para o seu bem comum”.

(    ) Além de auxiliar o Corpo de CRISTO no exercício da grande Comissão, os dons divinos subsidiam os santos para que cheguem à unidade da fé (Ef 4.12,13).

I - OS DONS NA B√ćBLIA

4- Como eram os dons no Antigo Testamento e de qual palavra se originam?

(¬†¬†¬† ) O Dicion√°rio B√≠blico Wycliffe mostra que h√° v√°rias palavras hebraicas que significam “d√°diva”.

(¬†¬†¬† ) A origem dessas palavras est√° na raiz hebraica nathan, que significa “dar”.

(    ) Podemos afirmar que no Antigo Testamento há vislumbres dos dons divinos concedidos a pessoas peculiares como reis, sacerdotes, profetas e outros.

(    ) Todavia, os dons divinos não estavam acessíveis ao povo de DEUS da Antiga Aliança como observamos no regime da Nova Aliança.

5- Como eram os dons ao longo do Novo Testamento e de qual palavra se originam?

(¬†¬†¬† ) O Dicion√°rio B√≠blico Wycliffe informa ainda que ao longo do Novo Testamento a palavra “dom” aparece com diferentes significados, que se relacionam ao verbo grego didomi.

(¬†¬†¬† ) Este verbo representa o sentido ativo da palavra “dar” em Filipenses 4.15.

(    ) Na Nova Aliança, os dons de DEUS estão disponíveis para que a Igreja, em nome de JESUS, promova a libertação dos cativos, ministre a cura aos doentes e proclame a salvação do homem para a glória de DEUS.

(¬†¬†¬† ) O Novo Testamento tamb√©m deixa claro que todos os crentes t√™m acesso direto a DEUS atrav√©s de CRISTO JESUS e, por isso, podem receber os dons do ESP√ćRITO.

6- Para sermos mais did√°ticos e eficientes no estudo a respeito dos dons, em quais partes devemos dividir este assunto?

(    ) Em três categorias principais: Dons de Serviço, Dons Espirituais e Dons Ministeriais.

(    ) Esta divisão acompanha a classificação dos dons conforme se encontra nas epístolas paulinas aos Romanos, I Coríntios e Efésios, respectivamente.

(¬†¬†¬† ) Insistimos, por√©m, que esta classifica√ß√£o √© apenas um recurso did√°tico, pois quando o ap√≥stolo exp√Ķe o assunto em suas cartas, ele n√£o parece querer exaurir os dons em uma lista, antes, preocupa-se em exortar os irm√£os a busc√°-los e us√°-los para encorajar, confortar e edificar a Igreja de CRISTO, bem como glorificar a DEUS e evangelizar o mundo.

II - OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS.

7- Quais são os Dons relacionados ao serviço cristão e onde estão listados?

(    ) Em Romanos 12 o apóstolo Paulo admoesta a igreja, lembrando-a de que o membro do Corpo de CRISTO não pode se achar autossuficiente.

(    ) Assim como um membro do corpo humano depende dos outros para exercer a sua função, na igreja necessitamos uns dos outros para o fortalecimento da nossa vida espiritual e comunhão em CRISTO.

(    ) Por isso, a categoria de dons apresentada em Romanos 12 traz a ideia da manutenção dessa comunhão dos santos, pois ao falarmos de serviços, subentende-se que quem serve está prestando um serviço para alguém.

(    ) Observe os dons de serviço listados por Paulo em Romanos: Ministério (oficio diaconal), exortação (encorajamento), repartir, presidir e exercer misericórdia.

(    ) Note que esses dons estão relacionados com uma ação em prol do outro, do próximo.

(    ) Portanto, se você tem um dom, deve usá-lo em benefício da Igreja de CRISTO na Terra.

8- Quais os dons espirituais e como Paulo os vê?  

(¬†¬†¬† ) “Acerca dos dons espirituais, n√£o quero, irm√£os, que sejais ignorantes”.

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

E Deu Dons aos Homens - Pr. Geraldo Carneiro Filho

ESCOLA B√ćBLICA DOMINICAL¬†

IGREJA EVANG√ČLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA

NITER√ďI - RJ¬†

LI√á√ÉO N¬ļ 01 - DATA: 06/04/2014¬†

T√ćTULO: “E DEU DONS AOS HOMENS”

TEXTO √ĀUREO - Ef 4.8

LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE: Rm 12.3-8; I Cor 12.4-7

PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO

e-mail: geluew@yahoo.com.br

blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/

I - INTRODUÇÃO:


DONS¬†- √Č a capacidade dada pelo Esp√≠rito Santo, visando ao minist√©rio. S√£o aptid√Ķes sobrenaturais superiores aos talentos naturais. Em alguns casos, por√©m, podem resultar da dinamiza√ß√£o espiritual das habilidades naturais de uma pessoa.

II - OS DONS ESPIRITUAIS S√ÉO ATUAIS E B√ćBLICOS:

Dons espirituais s√£o dota√ß√Ķes sobrenaturais do ESP√ćRITO SANTO sobre o crente, capacitando-o para glorificar a CRISTO e realizar a obra de DEUS.

Não há nenhuma evidência no Novo Testamento de que os dons espirituais foram restritos à era apostólica, nem que eles sejam habilidades naturais aos mais inteligentes, ou mesmo que sejam tão santos em si a ponto de ninguém se achar em condição de recebê-los. Noutras pa­lavras: os dons do Espírito Santo são habilidades divinas destinadas a todos os crentes e em todas as épo­cas, até se consumar o arrebata­mento da Igreja.

A compreensão da atualidade dos dons do Espírito Santo deverá nos conduzir a uma série de assun­to na primeira carta de Paulo aos coríntios, considerando os seguintes pontos:

(1) - OS CRENTES N√ÉO DEVEM IGNORAR OS DONS ESPIRITUAIS¬†-¬†(I Cor 12:l) - Se queremos ser sinceros e realistas, te¬≠mos de admitir a ignor√Ęncia que a grande maioria dos membros das Igrejas pentecostais tem quanto a este assunto. Na verdade temos vis¬≠to com tristeza muitos ministros di¬≠tos “pentecostais” combatendo mais do que promovendo o conheci¬≠mento dos dons espirituais.

√Č certo que existem exageros. Mas √© devido √† aus√™ncia de ensino siste¬≠m√°tico sobre o assunto. Todos os membros de nossas Igrejas merecem e precisam o que de melhor existe em termos de ensinamentos acerca dos dons espirituais.

(2) - OS DONS S√ÉO UMA CONCESS√ÉO DO ESP√ćRITO SANTO - I Cor 12:7 -¬†A torneira n√£o pode dizer de si mesma: “Eu produzo √°gua”, pois seria uma inverdade. Quem produz √°gua √© a fonte. A torneira √© apenas o canal atrav√©s do qual flui a √°gua.

Os dons são do Espírito Santo, e, através deles, o Espírito opera em quem quer, como quer, quando quer e onde quer, com a finalidade precípua de edificar a Igreja, o corpo vivo de Cristo.

(3) - OS DONS ESPIRITUAIS VISAM A UNIDADE DA IGREJA - I Cor 12:25-26 -No corpo de Cristo, nenhum de seus membros tem o seu valor resultante dalgum padrão de comparação. Uma vez que cada membro tem sua função específica, todos têm valor próprio dentro da escala de valores divinos. Deste modo ninguém tem maior valor do que o outro só porque tem um dom a mais ou um dom diferente. Para que haja operação na edificação da Igreja, os dons espiri­tuais comunicam primeiramente a ideia de unidade. Não é assim que funciona um corpo humano saudá­vel?

(4) - OS DONS ESPIRITUAIS DEVEM SER BUSCADOS COM ZELO - I Cor 12:31 - Parte do valor daquilo que desejamos e buscamos é proporcio­nal a quanto em dinheiro e em es­forços estamos prontos a dar para conquistá-lo. De igual modo aconte­ce com respeito à busca dos dons es­pirituais. Se eles têm algum valor para nós, devemos buscá-los com zelo, com empenho através duma vida de constante comunhão com Deus e de submissão total ao senho­rio de Jesus Cristo - I Pe 3:15.

(5) - OS DONS ESPIRITUAIS DEVEM SER EXERCITADOS COM AMOR - I Cor 13 -¬†O elemento aferidor da espiritualidade do crente √© o amor e n√£o quantas vezes ele fala em l√≠nguas por dia ou quantas profecias ele tem por semana. Se faltasse o amor tudo isto “seria como o metal que soa ou como o sino que tine… nada seria… nada disso me aproveitaria” - I Cor 13:1-3.

Para muitos pentecostais os dons espirituais s√£o tudo; o amor n√£o passaria dum adere√ßo, um en¬≠feite na sua roupa de festa. Mas, qual n√£o ser√° a surpresa daqueles que no dia do ajuste de contas final, ao dizerem a Jesus: “Senhor, Se¬≠nhor, n√£o profetizamos n√≥s em teu nome? e em teu nome n√£o expulsa¬≠mos dem√≥nios? e em teu nome n√£o fizemos muitas maravilhas?” - h√£o de ouvir da parte do Senhor: “Nun¬≠ca vos conheci; apartai-vos de mim, v√≥s que praticais a iniquidade” (Mt 7.22,23).

III - PEQUENA AN√ĀLISE DOS DONS DE SERVI√áO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS:

Temos na Bíblia a descrição dos:

(1) - DONS DA GRAÇA OU DE SERVIÇO - Rm 12:6-8:

(1.1) -¬†PROFECIA -¬†√Č uma palavra do Senhor dada por interm√©dio de um membro de Seu corpo, inspirada pelo Esp√≠rito de Deus e concedida para a edifica√ß√£o, exorta√ß√£o e consola√ß√£o do restante do corpo (At 21:8-11 ).¬†Se algu√©m posuir este dom, deve exerc√™-lo n√£o em arrogante asser√ß√£o pr√≥pria ou com o v√£o esfor√ßo de ser original, mas dentro dos limites de sua pr√≥pria cren√ßa e de acordo com a f√© que Deus lhe concedeu.

(1.2) -¬†MINISTRAR -¬†“Ministrar” ou “ser¬≠vir” √© a disposi√ß√£o, capacidade e poder, dados por Deus, para algu√©m servir e prestar assist√™ncia pr√°tica aos membros e aos l√≠deres da igreja, a fim de ajud√°-los a cumprir suas responsabilidades para com Deus (cf. At 6.1-3).

(1.3) - ENSINAR - é a disposição, capacidade e poder dados por Deus para o crente examinar e estudar a Sua Palavra, esclarecendo, expondo, defendendo e proclamando suas verdades de tal maneira que outras pessoas cresçam em graça e em piedade (l Co 2.10-16; l Tm 4.16; 6.3; 2 Tm 4:1-2)

(1.4) - EXORTAR - é a disposição, capacidade e poder dados por Deus, para o crente proclamar a Palavra de Deus de tal maneira que ela atinja o coração, a consciência e a vontade dos ouvintes, estimule a fé, produzindo nas pessoas uma dedicação mais profunda a Cristo e uma separação mais completa do mundo (ver At 11.23; 14.22; 15.30-32; 16.40; l Co 14.3; l Ts 5.14-22; Hb 10.24,25).

(1.5) - REPARTIR - é a disposição, capacidade e poder, dados por Deus a quem tem recursos além das necessidades básicas da vida, para contribuir livremente com seus bens pessoais, para suprir necessidades da obra ou do povo de Deus (2 Co 8.1-8; Ef 4.28). Quem possui este dom, torna-se apto para a obra de proporcionar ajuda aos necessitados.

(1.6) - PRESIDIR - é a disposição, capacidade e po­der dados por Deus, para o obreiro de liderar, pastorear, conduzir e administrar as várias atividades da igreja, visando ao bem espiritual de todos (Ef 4.11,12; l Tm 3.1-7; Hb 13.7,17,24).

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

E Deu Dons aos Homens - Ev. Jos√© Costa J√ļnior

CONSIDERA√á√ēES INICIAIS
Dentre as insondáveis riquezas espirituais que Deus colocou à disposição da sua Igreja na terra,destacam-se os dons sobrenaturais do Espírito San­to, apresentados pelo apóstolo Paulo, em sua pri­meira epístola aos Coríntios, como agentes de po­der e de vitória desta mesma Igreja.
A Igreja √© um organismo vivo, um fen√īmenosobrenatural cujas origens est√£o no C√©u. Como tal, ela possui uma responsabilidade igualmente sobre¬≠natural, pelo que carece da opera√ß√£o sobrenatural do Esp√≠rito do Deus vivo. Foi por isso que Jesus, ap√≥s sentar-se √† direita do Pai, enviou o Esp√≠rito Santo como agente capacitador da Igreja, para le¬≠v√°-la a cumprir a sua miss√£o no mundo: At 2.33.
Devemos ter sempre em mente que o próprio Cristo não exerceu o seu ministério na sua própria força, mas na força do Espírito Santo: Lc 4.18,19.
Os ap√≥stolos, igualmente, a exemplo do seu Mes¬≠tre, tamb√©m levaram a cabo o seu pr√≥prio minist√©¬≠rio na for√ßa e poder do Esp√≠rito Santo. Todas as de¬≠cis√Ķes da igreja primitiva partiam sempre do se¬≠guinte princ√≠pio:¬†“… pareceu bem ao Esp√≠rito Santo e a n√≥s…”,¬†At 15.28.¬†¬†Qual tem sido o erro de muitas das nossas igre¬≠jas hoje, sen√£o o de negligenciar o minist√©rio sobe¬≠rano, poderoso e determinante do Esp√≠rito Santo? Essas igrejas, ignorantes das grandes possibilida¬≠des do Esp√≠rito Santo, condenam milagres sem processo, desprezam profecias sem consulta e ignoram¬†¬†a revela√ß√£o sem a m√≠nima raz√£o. Como diz a B√≠blia¬†Sagrada:¬†“… falando mal daquilo em que s√£o igno¬≠rantes…”,¬†2 Pe 2.12. Esquecem-se de que h√° quase dois mil anos, Jesus prometeu, de maneira categ√≥rica, que o Esp√≠rito Santo estaria conosco e nos¬†¬†guiaria a toda a verdade: Jo 16.13.
A igreja dos dias hodiernos jamais ser√° uma igreja de vis√£o de alcance novitestament√°rio, sen√£o por meios novitestament√°rios.
As grandes conquistas da igreja dos primeiros cem anos da era atual, não foram alcançadas como o resultado de métodos e recursos teológicos empre­gados pelos apóstolos. Foram, sim, o resultado con­creto da operação sobrenatural do Espírito Santo na vida dos convertidos. O Espírito Santo foi o grande estrategista e comandante das conquistas realizadas. Onde quer que um crente fosse, aí ia a Igreja do Deus vivo, a caixa ressonante do Espírito.
Onde quer que o Esp√≠rito Santo fosse derrama¬≠do, os doentes eram curados; revela√ß√Ķes, profecias,¬†l√≠nguas e interpreta√ß√£o eram vistas e ouvidas. Os dons do Esp√≠rito Santo eram a combust√£o que punha em a√ß√£o a din√Ęmica m√°quina da Grande Co¬≠miss√£o.
A Igreja de Cristo da nossa gera√ß√£o possui uma responsabilidade apost√≥lica, e, para cumpri-la, ne¬≠cessita dos grandes recursos espirituais, que s√£o os dons do Esp√≠rito Santo.O objetivo deste estudo √© trazer algumas informa√ß√Ķes, colhidas dentro da literatura evang√©lica, com a finalidade de¬†ampliar a vis√£o¬†sobre os dons Espirituais e Ministeriais. N√£o h√° nenhuma pretens√£o de esgotar o assunto ou de dogmatiz√°-lo, mas apenas trazer ao professor da EBD alguns elementos e ferramentas que poder√£o enriquecer sua aula.
I.  OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS
Paulo, em 1 Co 12.1, nos recomenda que procuremos com zelo os dons espirituais. √Äs vezes, para o crente, n√£o √© claro, qual dom, o Esp√≠rito lhe concedeu. Relembramos que os dons espirituais s√£o capacita√ß√Ķes concedidas pelo Esp√≠rito Santo aos crentes para edifica√ß√£o da igreja (Ef 4.12). Assim, √© preciso que o crente crie em sua vida as condi√ß√Ķes necess√°rias para que o Esp√≠rito lhe revele sua vontade. Ser crente √© ter-se arrependido dos pecados e confiar em Jesus como seu √ļnico e eterno Salvador. √Č a convers√£o. Esta √© a condi√ß√£o inicial sem a qual o Dom n√£o inicia sua obra.
A participa√ß√£o ativa no corpo de Cristo, a igreja, √© a conseq√ľ√™ncia natural. O crente que agir assim, estar√° interagindo com a igreja e ser√° conduzido pelo esp√≠rito para a sua voca√ß√£o. Humildade, mansid√£o e longanimidade, s√£o os outros ingredientes indispens√°veis na vida do crist√£o que quer descobrir os seus dons (Ef 4.1-3).
Após a identificação de um ou mais dons na nossa vida, a nossa tarefa não pára aí. Temos de permitir sua operação e procurar crescer neles (1 Co 14.1). Para exercermos bem os carismas que o Espírito nos concedeu, devemos nos capacitar espiritual e materialmente. A capacitação espiritual deve ser contínua, firme e constante (1Co 15.58). Para nos mantermos animados nesta tarefa de nos capacitarmos, lembremos que o próprio Espírito nos disporá os meios. Precisamos também estar vigilantes ao pecado contra o Espírito, para não entristecê-lo (Ef 4.30-31), resisti-lo (At 7.51) e extingui-lo (1Ts 5.19). O orgulho também estará sempre procurando nos levar ao pecado (Ef 4.2). Um bom remédio para este mal é lembrarmos sempre que fomos escolhidos por Deus para prestarmos serviço para outros e não para nós mesmos e que precisamos de nossos irmãos.
Os dons espirituais estão listados em textos bíblicos diversos. Romanos 12, 1Coríntios 12 e Efésios 4.11 são as principais listas. Em Rm 12.4, 1Co 12.12 e Ef 4.4-6 Paulo destaca que os vários dons são como membros, mas todos de um só corpo. Isto nos chama a atenção para a necessidade dos dons operarem em conjunto e em harmonia uns com os outros e não independentemente e em divergência. Em Romanos 12.6-8, estão listados sete dons: profecia, ministério, ensino, exortação, repartir, liderança e misericórdia. Este texto mostra uma característica para cada dom. Em 1Coríntios 12.8-10, 28-30, temos os dons: palavra de sabedoria, palavra de ciência, fé, cura, operação de milagres, profecia, discernimento de espíritos, variedade de línguas, interpretação de línguas, apóstolos, profetas, mestres, milagres, cura, socorros, governos, e variedade de línguas.
Em Ef√©sios 4.11 temos: ap√≥stolos, profetas, evangelistas, pastores e doutores. Podemos notar que em algumas listas n√£o est√£o citados todos os dons e que outros s√£o repetidos. H√° uma diverg√™ncia na quantifica√ß√£o dos dons, mas creio ser mais importante saber que o Esp√≠rito de Deus prov√™ para sua igreja os dons necess√°rios. Podemos notar no estudo dos dons, alguns fundamentos que Deus procura nos ensinar. H√°¬†diversidade¬†dos dons cada um para uma finalidade (1Co 12.4-6). Os dons s√£o concedidos para ter¬†utilidade¬†(1Co 12.7). O dom n√£o √© para satisfazer apenas o desejo de um crente. √Č o Esp√≠rito Santo quem¬†concede¬†o dom a quem ele quer. N√£o √© o crente que decide o dom que deseja exercer. Para a igreja h√° dons considerados de maior¬†import√Ęncia¬†como ap√≥stolos, profetas, doutores (1Co 12.28, 31) N√£o √© o crente que deve se achar mais importante porque exercita dons considerados de maior valor. Isto √© orgulho. A¬†edifica√ß√£o da igreja¬†precisa ser o objetivo de todos os dons (1Co 14.26).
II. ADMINISTRAÇÃO DOS DONS ESPIRITUAIS
Dons espirituais s√£o capacita√ß√Ķes que o Esp√≠rito Santo concede aos crentes de acordo com a gra√ßa de Deus para serem usados na edifica√ß√£o da Igreja, o corpo de Cristo (Rm 12.6;1Co 12.7, 11; Ef 4.11-13). Assim como no corpo, cada membro tem fun√ß√£o, o Esp√≠rito de Deus prepara cada um dos membros do Corpo de Cristo para uma fun√ß√£o diferente. As capacita√ß√Ķes s√£o complementares e permitem uma sinergia espiritual na edifica√ß√£o da Igreja. Os dons s√£o concedidos aos crentes em Cristo pelo Esp√≠rito. N√£o √© o crente quem decide qual dom vai escolher para atuar no Reino de Deus. Isto √†s vezes acontece, mas certamente, se n√£o coincidir com a vontade do Esp√≠rito, n√£o trar√° alegria ao seu cora√ß√£o tentando usar um dom que Deus n√£o lhe atribuiu. Deus chama todos os crentes para a sua obra. Cada um tem alguma tarefa que pode desenvolver no Reino. N√£o h√° o que justifique a inatividade. Ningu√©m ter√° desculpa que justifique o n√£o fazer nada. Teremos de prestar contas dos dons e talentos que Deus nos atribui. Os dons espirituais nos s√£o outorgados pela gra√ßa de Deus, n√£o temos de compr√°-los.
Deus providencia nossa capacita√ß√£o. Temos apenas de nos tornar dispon√≠veis para sua obra. Como vimos, os dons espirituais s√£o habilidades, capacita√ß√Ķes, concedidas aos crentes, pelo Esp√≠rito Santo, de acordo com a gra√ßa de Deus, para uso na edifica√ß√£o da igreja. Observe que √© diferente de dom do Esp√≠rito. O “dom” do Esp√≠rito Santo √© a doa√ß√£o, pela gra√ßa de Deus, do seu pr√≥prio Esp√≠rito para os homens, que pelo arrependimento dos seus pecados, e coloca√ß√£o de sua f√© em Jesus Cristo, assim se tornam uma nova criatura. O Dom do Esp√≠rito ocorre no momento inicial em que um incr√©dulo se torna crente em Jesus. O dom nos coloca como filhos de Deus, salvos e selados para sempre (Ef 4.30).
Os dons nos colocam numa posição funcional dentro do corpo de Cristo para servi-lo (1Co 12.18-20).
Alguns crentes, por acharem que ainda n√£o descobriram o seu dom, tendem para uma posi√ß√£o de comodismo, falta de compromisso ou de desobedi√™ncia. Esta atitude n√£o se justifica, pois Deus chamou a todos para a sua seara. Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

E Deu Dons aos Homens - Ev. Luiz Henrique

Lição 1 - E deu dons aos homens

LI√á√ēES B√ćBLICAS - 2¬ļ Trimestre de 2014 - CPAD - Para jovens e adultos

Tema: Dons Espirituais e Ministeriais - Servindo a DEUS e aos homens com poder extraordin√°rio
Coment√°rio: Pr. Elinaldo Renovato de Lima
Complementos, ilustra√ß√Ķes, question√°rios e v√≠deos: Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva

Question√°rio

N√ÉO DEIXE DE ASSISTIR AOS V√ćDEOS DA LI√á√ÉO ONDE TEMOS MAPAS, FIGURAS, IMAGENS E EXPLICA√á√ēES DETALHADAS DA LI√á√ÉO

http://www.apazdosenhor.org.br/profhenrique/videosebdnatv.htm

TEXTO √ĀUREO

“Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens” (Ef 4.11).

VERDADE PR√ĀTICA

Os dons são dádivas divinas para igreja cumprir sua missão até que o Noivo venha busca-la.

LEITURA DI√ĀRIA

Segunda - I Cor 12.4 Há diversidade de dons

Terça - I Cor 12.20 Os dons e a unidade da Igreja

Quarta - I Cor 12.11 A concess√£o dos dons

Quinta - I Cor 12.27 Membros do corpo de CRISTO

Sexta - I Cor 12.31 Procurai com zelo os melhores dons

Sábado - Ef 4.12 Os dons são para aperfeiçoar os santos

LEITURA B√ćBLICA EM CLASSE - Romanos 12.3-8; 1 Cor√≠ntios 12.4-7

Romanos 12

3 - Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que DEUS repartiu a cada um. 4 - Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, 5 - assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em CRISTO, mas individualmente somos membros uns dos outros. 6 - De modo que, tendo diferentes dons, segundo a graça que nos é dada: se é profecia, seja ela segundo a medida da fé; 7 - se é ministério, seja em ministrar; se é ensinar, haja dedicação ao ensino; 8 - ou o que exorta, use esse dom em exortar; o que reparte, faça-o com liberalidade; o que preside, com cuidado; o que exercita misericórdia, com alegria.

1 Coríntios 12

4 - Ora, h√° diversidade de dons, mas o ESP√ćRITO √© o mesmo. 5 - E h√° diversidade de minist√©rios, mas o Senhor √© o mesmo. 6 - E h√° diversidade de opera√ß√Ķes, mas √© o mesmo DEUS que opera tudo em todos. 7 - Mas a manifesta√ß√£o do ESP√ćRITO √© dada a cada um para o que for √ļtil.

Intera√ß√£o - O comentarista das li√ß√Ķes √© o pastor Elinaldo Renovato, autor de diversos livros publicados pela CPAD, l√≠der da Assembleia de DEUS em Parnamirim, RN, e professor universit√°rio.

Resumo da  Lição 1 - E deu dons aos homens

I - OS DONS NA B√ćBLIA

1. No Antigo Testamento.

2. No Novo Testamento.

3. Uma d√°diva para a Igreja.

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

E Deu Dons aos Homens - Sulamita Macêdo

Professoras e professores, observem estas orienta√ß√Ķes:

1 - Antes de abordar o tema da aula, é interessante que vocês mantenham uma conversa informal e rápida com os alunos:

- Cumprimentem os alunos.

- Perguntem como passaram a semana.

- Escutem atentamente o que eles falam.

- Observem se há alguém necessitando de uma conversa e/ou oração.

- Verifiquem se h√° alunos novatos e/ou visitantes e apresentem cada um.

2 - Este momento não é uma mera formalidade, mas uma necessidade. Ao escutá-los, vocês estão criando vínculo com os alunos, eles entendem que vocês também se importam com eles.

3 - Após a chamada, solicitem ao secretário da classe a relação dos alunos ausentes e procurem manter contato com eles durante a semana, através de telefone ou email.Os alunos se sentirão queridos, cuidados, perceberão que vocês sentem falta deles. Dessa forma, vocês estarão estabelecendo vínculos afetivos com seus alunos.

4 - Escolham um momento da aula, para mencionar os nomes dos alunos aniversariantes, parabenizando-os, dando-lhes um abraço, oferecendo um versículo.

5 - Fazendo o que foi exposto acima, somando-se a um professor motivado, associada a uma boa preparação de aula, com participação dos alunos, vocês terão bons resultados! Experimentem!

6 - ¬†Em seguida, fa√ßam a panor√Ęmica do trimestre. Para tanto, apresentem os seguintes pontos:

- Tema: Dons Espirituais e Ministeriais - Servindo a Deus e aos homens com poder extraordin√°rio

- Capa:O que vemos? Mãos levantadas.O que isto tem a ver com o tema?Sinaliza alguém que recebe algo do alto, isto é, os dons dados por Deus.

- Comentarista: Pastor Elinaldo Renovato de Lima.¬†Apresentem informa√ß√Ķes sobre ele, vejam na intera√ß√£o da li√ß√£o 01.Se poss√≠vel, mostrem uma foto dele.

- Li√ß√Ķes do trimestre - apresentem da seguinte forma:Leiam de forma alternada com os alunos, os t√≠tulos das 13 li√ß√Ķes.

7 - Agora, trabalhem a lição 01: E Deu Dons aos Homens.

- Procurem definir o que seja “Dom”, partindo das ideias dos alunos, depois acrescentem outras informa√ß√Ķes.

- Em seguida, utilizem a din√Ęmica¬†“Tesouros em Vasos de Barro”,que proporcionar√° a reflex√£o de que os dons s√£o ¬†tesouros dados por ¬†Deus.

- Agora trabalhem os pontos levantados na lição. Escrevam os 03 tipos de dons no quadro ou numa cartolina para que haja visualização e mais fixação dos nomes destes dons.

- Para concluir, leiam o texto¬†“A Loja de Deus”.Tenham uma excelente e produtiva aula!

Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

E Deu Dons aos Homens - AD Londrina

Aula ministrada pelo Pr. Eliziel Pacheco para EBD da Asssembléia de Deus em Londrina.

Acesse: www.adlondrina.com.br

Lição 1 - 2T/2014

converter em pdf.

E Deu Dons aos Homens - Ev. Carlos Kleber Maia

Como introdução ao assunto do trimestre, indico mensagem pregada pelo Ev. Carlos Kleber Maia, sobre o tema: Dons Espirituais.

Disponível no blog Doutrinas Bíblicas.

Introdução ao Trimestre

converter em pdf.

TV EBD - Introdu√ß√£o ao 2¬ļ Trimestre de 2014 - Ev. Luiz Henrique

A t√≠tulo de Introdu√ß√£o ao 2¬ļ trimestre de 2014, estamos reproduzindo v√≠deo-aula produzida em 2011, com a tem√°tica dos Dons Espirituais. Para facilitar o download, o v√≠deo √© dividido em 5 partes. Voc√™ pode assistir aqui mesmo, clicando nos v√≠deos, ou clicar nos links, acima dos v√≠deos para salvar; ao abrir a nova p√°gina, clique no bot√£o Download. Os v√≠deos s√£o produzidos pelo Ev. Luiz Henrique e tamb√©m publicados no site Estudos B√≠blicos EBD, ou no blog EBDnaTV.

1ª Parte - Introdução - 2T/2014

2ª Parte - Introdução - 2T/2014

3ª Parte - Introdução - 2T/2014

4ª Parte - Introdução - 2T/2014

5ª Parte - Introdução - 2T/2014

converter em pdf.

E Deu Dons aos Homens - Luciano de Paula Lourenço

Texto Base: Rm 12:3-8; 1Co 12:4-7
“Pelo que diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens” (Ef 4:8)
INTRODUÇÃO
Estamos iniciando mais um trimestre letivo, com um tema bastante relevante para os nossos dias:os Dons Espirituais e Ministeriais. Nunca foi t√£o necess√°ria √† igreja, nestes √ļltimos tempos de sua perman√™ncia nesta Terra, a manifesta√ß√£o sobrenatural dos Dons Espirituais e Ministeriais!
Muitos que crist√£os dizem ser est√£o passando por crises medonhas de identidade espiritual, o que tem motivado √† frieza espiritual e ao indiferentismo com rela√ß√£o √† busca da manifesta√ß√£o do Espirito Santo atrav√©s dos Dons Espirituais. Pouco se fala hoje em buscar o batismo com Espirito Santo, muito menos em buscar os Dons Espirituais. A frieza tem tomado conta das igrejas de forma g√©lida e assustadora. A mornid√£o espiritual tem invadido a maioria das igrejas locais abalando perigosamente os seus pilares sustentadores: a f√©, a esperan√ßa e o amor. N√£o somos mais aqueles pentecostais que amedrontavam e abalavam os principados e potestades. A maioria das igrejas est√° se conformando com o mundo; a maioria das igrejas est√° mais preocupada em estudar m√©todos e marketings para aumentar o n√ļmero de membros, com vistas a alcan√ßar um alvo hoje t√£o ambicionado: o¬†dinheiro¬†- o deus mamom. Essas igrejas n√£o t√™m nenhuma moral em pregar contra a igreja de Laodic√©ia.
Todavia, Deus nunca deixou a sua Igreja sem remanescentes fi√©is, nunca! Ainda h√° aqueles que n√£o se dobraram a mamom, que n√£o se renderam √† seculariza√ß√£o. Quer saber onde estes est√£o?¬†Muitos est√£o no anonimato, dentro das igrejas. Mas, poder√°s conhecer boa parte de seu contingente na Escola B√≠blia Dominical aos domingos. Junte-se a n√≥s neste trimestre para estudar sobre os Dons Espirituais e Ministeriais. Fa√ßa a sua vida espiritual valer a pena! “Assim, tamb√©m v√≥s, como desejais dons espirituais, procurai sobejar neles, para a edifica√ß√£o da igreja” (1Co 14:12).

I.¬†¬†OS DONS NA B√ćBLIA

1. No Antigo Testamento.¬†No Antigo Testamento, os Dons n√£o estavam √† disposi√ß√£o de todo o povo de Deus, como no Novo Testamento. Eles eram concedidos a pessoas especificas, chamadas por Deus para cumprir determinadas miss√Ķes. √Č visto na concess√£o da capacidade para o servi√ßo. Muito parecido com a maneira em que os Dons Espirituais operam no Novo Testamento, o Esp√≠rito capacitava certos indiv√≠duos para o servi√ßo. Considere o exemplo de¬†Bezalel¬†em √äxodo 31:2-5, o qual foi dotado para fazer muito do trabalho de arte relacionado com o Tabern√°culo. Al√©m disso, recordando a habita√ß√£o seletiva e tempor√°ria do Esp√≠rito Santo, vemos que estes indiv√≠duos foram dotados para executar determinadas tarefas, assim como reinar sobre o povo de Israel (por exemplo: Saul, Davi, Sans√£o, etc).
2. No Novo Testamento. Nesta Nova Aliança, os Dons de Deus estão à disposição de todos aqueles que fazem a Igreja do Senhor Jesus, os quais devem ser usados como ferramentas de trabalho com a finalidade de promover graça, poder e unção à Igreja no exercício de sua missão, de forma que Cristo seja glorificado.
Os Dons estão à disposição da Igreja, mas não são dados como presentes. Não são dados como se dá uma jóia para ser usada como adorno, ou enfeite. Não é, também, uma medalha usada como condecoração para ser exibida no peito, e que só serve para chamar a atenção para a pessoa que a usa. Sendo instrumento de trabalho, usar, ou não usar o Dom, não é uma questão de querer; Deus dá para ser usado!
Vemos a comprova√ß√£o do que estamos afirmando nas palavras de Jesus, subjacentes nasPar√°bolas dos Talentos e das Minas(Mt 25:14-30 e Lc 10:11-27).¬†Nem os¬†Talentos,¬†nem as¬†Minasforam dados como¬†presentes¬†aos seus amigos.¬†Foram, na verdade, dados¬†aos servos¬†para que fossem usados de acordo com os interesses do¬†Senhor,¬†o legitimo dono dos¬†Talentos e das Minas.Contudo, um dos servos, ou n√£o entendeu, ou foi negligente, pois, resolveu n√£o¬†trabalhar com o valor recebido -¬†”…¬†cavou na terra, e escondeu o¬†dinheiro do seu senhor“(Mt 25:18).¬†Perceba a express√£o¬†”o¬†dinheiro¬†do seu senhor”.¬†Da mesma forma¬†os Dons de Deus¬†n√£o se tornam propriedade daquele que os recebe. S√£o dados para serem usados na¬†Obra de Deus.¬†A neglig√™ncia, ou dolo pela n√£o utiliza√ß√£o, ou pelo uso indevido por parte de quem os recebe resultar√° em consequ√™ncias negativas¬†quando o Dono voltar,¬†tal como aconteceu nessas duas Par√°bolas referidas:¬†”Lan√ßai o servo in√ļtil nas trevas exteriores; ali haver√° planto e ranger de dentes”(Mt 25:30).
Assim, meu irmão, se você recebeu um, ou mais Dons, eles não lhes foram dados para você exibir sua espiritualidade, mas, para você mostrar serviços na Obra de Deus. Tampouco, você não pode enterrá-los.
II. OS DONS DE SERVIÇO, ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS
1. Dons relacionados ao servi√ßo crist√£o.¬†Os Dons relacionados ao servi√ßo crist√£o, ou seja, os dons chamados de “servi√ßais”, “dons de servi√ßo” ou, ainda, “dons espirituais de minist√©rios pr√°ticos”, constantes da rela√ß√£o de Romanos 12:6-8, n√£o se confundem com os Dons Espirituais. Esses Dons se distinguem dos outros Dons ministeriais porque seriam relacionados mais √†s a√ß√Ķes do crente, √† pr√°tica crist√£, n√£o visando o aperfei√ßoamento espiritual dos crentes, como ocorre com os outros dons, que denominamos de “Dons Ministeriais”, estes elencados em Ef 4:11.
Os Dons de Servi√ßos¬†s√£o d√°divas concedidas para o¬†exerc√≠cio cont√≠nuo dos crentes, mediante a√ß√Ķes que gerem boas obras para a glorifica√ß√£o do nome do Senhor (Mt 5:16). Como eu disse, esses dons est√£o elencados na rela√ß√£o de Romanos 12:6-8, rela√ß√£o, por√©m, que n√£o √© exaustiva de dons desta natureza, vez que, na lista, tamb√©m, se encontra o dom de profecia, que pode ser considerado ali seja como o Dom Ministerial de profecia, seja como o Dom espiritual de profecia.
A relação de Romanos 12:6-8 envolve sete dons, dentre eles estão seis relacionados ao serviço cristão:
a) Ministério (Rm 12:7). Consiste na disposição, capacidade e poder, dados por Deus, para alguém servir e prestar assistência prática aos membros e aos líderes da igreja, a fim de ajudá-los a cumprir suas responsabilidades para com Deus (cf. At.6:2,3).
b) Ensinar (Rm 12:7).¬†√Č o dom espiritual de ensinar, tanto na teoria, como na pr√°tica; ensinar fazendo; ensinar a fazer e a entender. N√£o confundir com o minist√©rio de ensino de Ef√©sios 4:11 e Atos 13:1. Este dom √© a capacidade e poder, dados por Deus para o crente examinar e estudar a Palavra de Deus, e de esclarecer, expor, defender e proclamar suas verdades, de tal maneira que outras pessoas cres√ßam em gra√ßa e em piedade.
c) Exortar (Rm 12:8).¬†Exortar aqui √© como dom:¬†ajudar, assistir, encorajar, incentivar, estimular, animar, consolar, unir pessoas separadas, admoestar. Na vida terrena, temos, sempre, afli√ß√Ķes, como nos disse o Senhor Jesus, mas √© necess√°rio que tenhamos sempre bom √Ęnimo. Este √Ęnimo √© dado pelo Senhor e, portanto, √© fundamental que as pessoas a quem o Senhor tem concedido este dom o exercitem, de modo a impedir que os crentes sejam tomados pelo des√Ęnimo, em especial nos instantes de aumento da iniquidade como os vividos pela Igreja neste per√≠odo imediatamente anterior √† vinda do Senhor.
d) Repartir (Rm 12:8). O sentido é doar generosamente, oferecer; distribuir aos necessitados sem esperar recompensa ou reconhecimento, movido pelo Espírito. Este dom ocupa-se da benevolência, beneficência, humanitarismo, filantropia, altruísmo.
e) Presidir (Rm 12:8).¬†Aqui, o ap√≥stolo fala-nos do governo na igreja, mostrando que, apesar de Cristo ser a Cabe√ßa da Igreja, Ele constitui servos Seus para presidirem sobre o Seu povo. Mas, “presidir” n√£o √© dominar sobre o povo, mas estar √† sua frente, ensinando-lhe por onde e para onde deve ir. Por isso, Pedro adverte os presb√≠teros para que n√£o agissem como se tivessem dom√≠nio sobre a heran√ßa do Senhor (1Pe 5:3).
f) Exercitar miseric√≥rdia (Rm 12:8).¬†√Č o dom de transformar em a√ß√Ķes, em atitudes concretas o bem que desejamos a algu√©m. Miseric√≥rdia √© o amor posto em a√ß√£o, √© a bondade tornada em a√ß√£o concreta. Como diz o ap√≥stolo Tiago, como podemos dizer que amamos algu√©m se n√£o suprimos as suas necessidades (Tg 2:14-17), pois o amor n√£o √© amor de palavras, mas amor de obras (1Jo√£o 3:16-18).
2. Conhecendo os Dons Espirituais.¬†”Assim tamb√©m v√≥s, j√° que estais desejosos de dons espirituais, procurai abundar neles para a edifica√ß√£o da igreja“(1Co 14:12).
Os Dons Espirituais s√£o dota√ß√Ķes e capacita√ß√Ķes sobrenaturais que o Senhor Jesus, por interm√©dio do Esp√≠rito Santo, outorga √† sua Igreja, visando a expans√£o universal da sua obra e a edifica√ß√£o dos santos.
Ao contr√°rio do que pensavam certos crentes de Corinto, os Dons Espirituais, embora diversos, s√£o procedentes do √önico e Verdadeiro Deus:¬†“E h√° diversidade de opera√ß√Ķes, mas √© o mesmo Deus que opera tudo em todos”(12:6).
Os Dons Espirituais s√£o chamados, no original grego, de “charismata“, palavra que significa “gra√ßas”, ou seja, os Dons Espirituais s√£o favores imerecidos que Deus concede aos homens que est√£o dispostos a servi-lo.
A verifica√ß√£o do significado da palavra¬†“charismata” √© muito importante, pois demonstra, de forma cabal, que os Dons Espirituais s√£o concess√Ķes divinas, decorrem do exerc√≠cio da Sua infinita miseric√≥rdia, n√£o havendo, portanto, qualquer merecimento, qualquer m√©rito por parte daqueles que s√£o aquinhoados pelo Esp√≠rito Santo com um Dom Espiritual. O Dom Espiritual √© concedido n√£o porque algu√©m seja mais espiritual ou melhor do que outro, mas em virtude da soberana vontade do Senhor. Quem o diz n√£o somos n√≥s, mas a pr√≥pria Palavra de Deus: “Mas um s√≥ mesmo Esp√≠rito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer”(1Co 12:11).
a) Objetivos dos Dons Espirituais.¬†Os Dons Espirituais visam a edifica√ß√£o da igreja - “Assim tamb√©m v√≥s, j√° que estais desejosos de dons espirituais, procurai abundar neles para a edifica√ß√£o da igreja”(1Co 14:12).
b) Quantidade de Dons Espirituais. A B√≠blia registra v√°rios dons. S√≥ em 1Corintios 12:8-10 Paulo relacionou¬†tr√™s grupos¬†de Dons Espirituais, a saber:¬†Tr√™s Dons de saber¬†(Palavra de sabedoria, Palavra de ci√™ncia - ou conhecimento - e do Discernimento de esp√≠ritos);¬†tr√™s Dons de fazer¬†(F√©, Cura e Opera√ß√£o de milagres);¬†tr√™s Dons de falar¬†(Profecia, Variedade de l√≠nguas e Interpreta√ß√£o de l√≠nguas). √Č certo que em nenhuma deles o objetivo de Paulo foi o de quantificar os Dons, ou seja, definir quantos s√£o, mas, o de qualific√°-los, ou seja, discorrer sobre o objetivo e o uso correto de cada um.
c) A distribui√ß√£o dos Dons n√£o √© Uniforme. Quando afirmamos que a distribui√ß√£o dos Dons n√£o √© uniforme, estamos dizendo que n√£o existe um m√©todo, ou uma regra que o Esp√≠rito Santo deva seguir na concess√£o dos mesmos - “Mas um s√≥ e o mesmo Esp√≠rito opera todas essas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer”(1Co 12:11). √Č como Ele quer - ningu√©m pode estabelecer crit√©rios. N√£o existe um n√ļmero m√≠nimo, ou m√°ximo para cada Igreja Local; n√£o existe a obrigatoriedade de cada crente receber pelo menos um, nem um limite m√°ximo para cada pessoa. Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.