Wordpress Themes

Confiando firmemente em Deus - Pb. José Roberto A. Barbosa

Texto Áureo: I Pe. 5.7 - Leitura Bíblica em Classe: Sl. 37.3-8
Pb. José Roberto A. Barbosa jotaroberto@uol.com.br
Objetivo: Motivar a confiança em Deus e a convicção de que Ele está no comando de todas as coisas.
INTRODUÇÃO
A sociedade contemporânea motiva as pessoas a confiarem em si mesmas. A Palavra, no entanto, diz em Jr. 17.5, “Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor!”. Ciente dessa verdade, na aula de hoje, aprenderemos que a confiança em Deus é uma das disciplinas fundamentais do viver cristão. No início da lição, definiremos o que significa confiar em Deus. Em seguida, mostraremos o fundamento dessa confiança, e por fim, apresentaremos alguns princípios a fim de que vivamos mais confiantes no Senhor.
1. A CONFIANÇA EM DEUS
Uma das palavras hebraicas para “confiança” é “aman” que também significa “acreditar” ou “ter fé”. A outra, mais apropriada e condizente com a lição de hoje, é “batah” que tem a ver com “o senso de depositar confiança completa na segurança de Deus”. Na verdade, a confiança no Senhor é uma das características fundamentais do povo escolhido (Sl. 4.5; 62.8; 115-9-11; 125.1; Is. 26.4). A confiança no homem deva ser comedida (Pv. 31.11), e jamais levada a extremos, pois, conforme ressaltamos na introdução, aquele que põe sua confiança exclusivamente no homem, mais especificamente, em seus próprios méritos, é maldito (Jr. 17.5) ainda que a confiança em si mesmo seja uma tendência normal da natureza pecaminosa. Em relação à salvação, é perigoso acreditar que alguém possa ser salvo pelas suas obras (Ef. 2.8,9).

2. O FUNDAMENTO DA CONFIANÇA
O fundamento da confiança é o reconhecimento de quem Deus é de quem nós somos. Aqueles que têm dinheiro são tentados a confiar em suas riquezas (Pv. 11.28). Aqueles que são politicamente poderosos tendem a confiar em sua influência (Sl. 146.3). Aqueles que são fortes tendem a confiar em seu poderio militar (Dt. 28.52; Jr. 5.17). As pessoas inteligentes podem muito bem ser tentadas a confiar em seu intelecto (Pv. 3.5-6; 28.26). Mas todas essas coisas são insuficientes para nos trazer segurança. Não há qualquer segurança dentro de nós mesmos, pois ela se encontra fora de nós. Confiar em Deus significa reconhecer que o Senhor é Poderoso para nos guardar, que Ele é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia (Sl. 46.1). Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Vivendo em Comunhão

Rev. Fabiano Bueno

Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! Salmos 133:1

A comunhão cristã é a comunhão por meio de Jesus Cristo e em Jesus Cristo. A obra redentora de Deus coloca a devida importância na vida de cada indivíduo que o professa a fim de que haja dependência mutua entre os irmãos. Cada cristão é um proclamador da Palavra de Deus e Ele colocou sua Palavra na boca de pessoas para que ela fosse difundida e compartilhada entre as pessoas, por isso, o cristão necessita de outro cristão que lhe diga a Palavra de Deus e também lhe de conselhos, exortações, admoestações e tudo mais.
Desta forma, a comunhão genuína é promovida por intermédio de Jesus Cristo. Podemos, sem medo, depender do nosso irmão em Cristo Jesus. Somente em Cristo, podemos nos aproximar de outro cristão, pois sem Ele, há apenas discórdias e guerras. É Deus que é a nossa paz (Ef 2.14). Sem Cristo há inimizade entre as pessoas, desta forma, Cristo age como um mediador, não somente entre Deus e os homens, mas também entre os próprios homens.
Cristo desobstruiu o caminho, que outrora estava obstruído, o caminho que nos conduz a Deus e aos nossos irmãos. Nós só mantemos a comunhão com outros cristãos porque temos em nós a nova natureza de Cristo: carregamos o corpo de Cristo. Ele próprio e não nós, assumiu a nossa natureza “para que onde Ele estiver, ali estejamos nós também”. Pertencemos a Ele, porque estamos nele. É por meio desse Deus misericordioso que aprendemos a ter misericórdia para com nosso irmão.
A verdadeira comunhão em Cristo não permite que vivamos uma vida baseada em experiências místicas e eufóricas. Isso, porque Deus quer que vivamos uma comunhão real e verdadeira, e isso só é possível se conhecermos todas as crises e percalços que esse relacionamento proporciona. As fantasias são muito maléficas pois tornam as pessoas orgulhosas e pretensiosas. Quem idealiza uma imagem de comunhão, exige de Deus, das outras pessoas e de si mesmo que ela se torne realidade. E tudo que não acontece do seu jeito é considerado como fracasso e digno de crítica; ela coloca exigências; condições para a comunhão. Não sabe mais agradecer a Deus pelas coisas mais simples da vida. Apenas quem agradece pelas pequenas coisas, recebe também as grandes. Nós impedimos Deus de nos presentear com as grandes dádivas espirituais que ele reserva para nós, porque não lhe agradecemos pelas dádivas cotidianas. Começamos a querer sempre mais e mais, mas nunca satisfeitos com a pequena medida de reconhecimento espiritual, experiência e amor que nos foi proporcionada. Mas como Deus pode confiar coisas grandes a quem não aceita com gratidão as pequenas coisas de sua mão? Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

A União Cristã, o Vínculo da Perfeição - Pr. Osiel Varela

Glossário:

koinós:

A - Geral: A falando de coisas

I comum a todo o povo, público ..;

II comum a todos,

B -  falando de pessoas e de coisas:

I que participa de, que está em comunidade …

II que é da mesma natureza

III que se presta a todos

Koinonia - ????????

Comunhão em sociedade afável e sociável.

Anglinização da palavra grega - comunica íntima participação dentro da Igreja de Jesus Cristo, presente no partir e comer do pão, conforme João 6.48-69, no beber do cálice do Senhor, conforme Paulo descreve em I Co. 10.16.

Mandato: Em direito civil, o mandato (do latim mandatum “encargo, cargo, comissão”) é o contrato por meio do qual uma pessoa, denominada mandatário, recebe poderes de outra, designada mandante, para, em nome e por conta desta última, praticar atos jurídicos ou administrar interesses. Quanto à maneira pela qual é outorgado, o mandato pode ser expresso ou tácito, verbal ou escrito.

Por conseguinte, o mandatário age em nome do mandante, em seu nome praticando atos ou administrando interesses.

Soteria: O verbo salvar (sozo em grego), freqüentemente utilizado no NT significa não apenas “libertar” ou “tirar de um perigo”, mas também “curar”, e a palavra “salvação” (em grego soteria) designa não apenas a libertação, mas também a cura. O próprio nome de Jesus significa “Yahweh salva”, ou seja “cura”;

A salvação significaa “estar em plena saúde física, psíquica e espiritual”, “ser livre”, “respirar amplamente”. Jean-Yves Leloup

I - DISCURSO SOBRE COMUNHÃO NA IGREJA PRIMITIVA:

A Comunhão da Igreja primitiva expressa no partir do pão:

I Co.16.22.ss: Maranatha! A graça do Senhor Jesus Cristo seja convosco. O meu amor seja com todos vós em Cristo Jesus. Amém.

Quando os discípulos dizem em seus escritos “maranatha” - “vem, Senhor”, principalmente, no ato do partir do pão, de certa forma, eles expressam que o anunciado regresso de Jesus acha, sua “antecipação”, à partir, da Comunhão dos presentes, no comer do seu corpo e beber do seu sangue, assim Jesus está no meio deles.

Ele volta “já”, agora, ao seio de sua igreja neste momento de comunhão. Pois o partir do pão, união da Igreja, é um momento que, não mais unicamente se espera a volta de Jesus, mas ela é vivida pelos presentes à comunhão.

Para os crentes da Igreja primitiva, a palavra inferia um duplo entendimento e a esperança. Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

A União Cristã, o Vínculo da Perfeição - Pr. Edevir Peron

 INTRODUÇÃO O titulo da lição de hoje diz que a “união cristã é o vínculo da perfeição”. E está correto porque vínculo é algo que junta e une, tornando um; Elos inseparáveis entre si.

Vamos procurar mediante este estudo fazer uma analise em nossas vidas, e ver como esta a nossa “comunhão”; e procurar melhorar antes que Cristo volte! 

I. O QUE É A COMUNHÃO DOS SANTOS  

Definição

O termo comunhão procede do grego ???????? (koinõnia), significa: tendo em comum, sociedade, companheirismo; pelo latim (communione), conjunto daqueles que comungam os mesmos ideais, comunidade, crenças.

No hebraico bíblico encontramos o termo ????? (hãbar), significa: ser ajuntado, ligado, reunido, ter comunhão com, ser compacto, fazer encanto. Há ainda outros derivados deste termo hebraico que não faremos menção neste estudo.

Num sentido mais direto, comunhão é: o vinculo ou elo espiritual estabelecido pelo Espírito Santo entre os que aceitaram a Cristo como salvador, que faz com que estes estejam unidos em qualquer circunstância, mesmo nas adversas.

“Comunhão” não esta no simples fato de tomar uma hóstia e colocar na boca, mas se trata de um grupo de pessoas vivendo como se fossem um só corpo em Cristo.

“Santo” em nossas Bíblias procede do hebraico ??????? (qãdôsh), e do grego ????? (hagios), com o significado de: separado, puro, dedicado. Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

A União Cristã, o Vínculo da Perfeição - Pr. Adison Guilhermel

 A UNIÃO CRISTÃ, O VÍNCULO DA PERFEIÇÃO - I Jo 3.11-20

Lição 12 - 22/06/2008

Texto Bíblico: At 2.42 E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações.

CARACTERÍSTICAS DOS VERDADEIROS CRISTÃOS

1. PRATICAM A UNIDADE NA DOUTRINA

  • Com reciprocidade amorosa - I Jo 3.11 Esta é a mensagem que vocês ouviram desde o princípio: que nos amemos uns aos outros.
  • Com predisposição benigna - I Jo 3.12 Não sejamos como Caim, que pertencia ao Maligno e matou seu irmão. E por que o matou? Porque suas obras eram más e as de seu irmão eram justas.
  • Com persistência piedosa - I Jo 3.13 Meus irmãos, não se admirem se o mundo os odeia.

2. PRATICAM A UNIDADE NA HARMONIA

  • Tem disposição de repartir - I Jo 3.17 Se alguém tiver recursos materiais e, vendo seu irmão em necessidade, não se compadecer dele, como pode permanecer nele o amor de Deus?
  • Tem disposição de auxiliar - I Jo 3.18 Filhinhos, não amemos de palavra nem de boca, mas em ação e em verdade.
  • Tem disposição de realizar - I Jo 3.19 Assim saberemos que somos da verdade; e tranqüilizaremos o nosso coração diante dele

3. PRATICAM A UNIDADE NO ESPIRITUAL

  • Vivem a conversão verdadeira -  I Jo 3.14 Sabemos que já passamos da morte para a vida porque amamos nossos irmãos. Quem não ama permanece na morte.
  • Vivem a comunhão verdadeira - I Jo 3.15 Quem odeia seu irmão é assassino, e vocês sabem que nenhum assassino tem a vida eterna em si mesmo.
  • Vivem o sacrifício verdadeiro -I Jo 3. 16 Nisto conhecemos o que é o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós, e devemos dar a nossa vida por nossos irmãos.

Elaborado pelo Pr Adilson Guilhermel
http://www.pastorguilhermel.com.br/
 

converter em pdf.

TV EBD - União Cristã, o Vínculo da Perfeição - Ev. Luiz Henrique

Assista os vídeos da TV EBD com a aula da Lição 12 - União Cristã, o Vínculo da Perfeição. Para facilitar o download, o vídeo é dividido em 5 partes. Você pode assistir aqui mesmo, clicando nos vídeos, ou clicar nos links, acima dos vídeos para salvar; ao abrir a nova página, clique no botão Download. Os vídeos são produzidos pelo Ev. Luiz Henrique e também publicados no seu site.

1ª Parte - Lição 12 - 2T/2008 - 1ª parte

2ª Parte - Lição 12 - 2T/2008 - 2ª parte

3ª Parte - Lição 12 - 2T/2008 - 3ª parte

4ª Parte - Lição 12 - 2T/2008 - 4ª parte

5ª Parte - Lição 12 - 2T/2008 - 5ª parte

converter em pdf.

A União Cristã, o Vínculo da Perfeição - Ev. Luiz Henrique

Complementos e Ajuda para professores e alunos: Ev. Luiz Henrique.

TEXTO ÁUREO

“E perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações” (At 2.42).

VERDADE PRÁTICA

O amor é a característica mais forte do verdadeiro cristão. Identifica-o como discípulo de JESUS, realçando ao mundo o vínculo da nossa perfeição.

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: 1 João 3.11-20.

11 Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. 12 Não como Caim, que era do maligno e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más, e as de seu irmão, justas. 13 Meus irmãos, não vos maravilheis, se o mundo vos aborrece. 14 Nós sabemos que passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; quem não ama a seu irmão permanece na morte. 15 Qualquer que aborrece a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem permanente nele a vida eterna. 16 Conhecemos a caridade nisto: que ele deu a sua vida por nós, e nós devemos dar a vida pelos irmãos. 17 Quem, pois, tiver bens do mundo e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar o seu coração, como estará nele a caridade de DEUS? 18 Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade. 19 E nisto conhecemos que somos da verdade e diante dele asseguraremos nosso coração; 20 sabendo que, se o nosso coração nos condena, maior é DEUS do que o nosso coração e conhece todas as coisas. Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

A Comunhão dos Santos

Doutrina: A Comunhão dos Santos

Leitura: At 2.41-47

Comunhão: participação em comum em idéias, crenças, etc. A comunhão consiste em um acordo em que diversas pessoas unem-se e chegam a participarem juntas de uma determinada coisa (2 Co 6.14 e 1 Jo 1.3). Uma união de propósitos e interesses. A grande importância da Igreja reside precisamente nisso: ela atrai pessoas para a atmosfera reconfortante de uma comunhão, pela qual anela o espírito humano.Comunhão é “um compartilhamento íntimo e amoroso de certas bênçãos espirituais por pessoas que estão na mesma condição diante da benção que compartilham” (A.W. Tozer).

Por comunhão dos santos entende-se a união que existe entre todos os santos, desde o Pentecostes até o arrebatamento. “A igreja é a comunidade de todos os cristãos de todos os tempos”. Por “santos”, aqui, entende-se os membros da Igreja, e não os santos canonizados. Não há comunicação com os santos do céu, mas certamente há comunhão (Hb 12.22-24; Jo 17.20,21). Essa é a Igreja Cristã invisível. É considerada invisível porque ninguém pode ver a fé do outro. Ela é invisível para os homens, mas não para Deus, pois “o Senhor conhece os seus” (2 Tm 2.19). A comunhão perfeita entre céu e terra somente ocorrerá na “plenitude dos tempos” (Ef 1.10,23).A palavra grega koinonia (comunhão) significa compartilhar ou participar mutuamente de algum evento comum ou acordo. No AT a idéia de comunhão diz respeito ao relacionamento do homem com o seu próximo (Sl 133.1) e não do homem com Deus. Mesmo o fato de Abraão ser chamado “amigo de Deus” (Tg 2.23) e Moisés ter falado com Deus face a face (Dt 34.10), não significa que hajam eles provado a mesma comunhão com Deus, como os crentes da nova aliança (Jo 15.14). A comunhão no NT envolve tanto o relacionamento entre os irmãos como também com o Pai, com o Filho (1 Jo 1.3) e com o Espírito Santo (2 Co 13.13). A comunhão começa com a Trindade, e amplia-se para os filhos de Deus (Jo 17.3,6,10,11, 14). O termo grego koinonía envolve também as idéias de companheirismo e contribuição, pois essa é uma maneira de compartilharmos com outras pessoas de nossas posses materiais.No grego, a idéia é expressa por um verbo e um substantivo, a saber:1. Omiléo, (comungar com). Esse verbo aparece 3 vezes: (Lc 24.14,15; Atos 20.11 e 24.26).2. Koinonía, (comunhão). Esse substantivo ocorre por 18 vezes: At 2.42; Rm 15.26; 1 Co 1.9; 10.16; 2 Co 6.14; 8.4; 9.13; 13.13; Gl 2.9; Fl 1.5; 2.1; 3.10; Fm 6; Hb 13.16; 1 Jo 1.3,6,7.

Somos participantes da mesma natureza: os redimidos e santificados. Partilhamos da mesma vida (a vida eterna que Cristo nos dá) e da mesma verdade (o testemunho do evangelho de Cristo).

As metáforas utilizadas para representar a igreja falam de comunhão:

  • Somos uma família. Somos irmãos, da família de Deus (Ef 2.19; 3.15). Deus é representado como um Pai de família e nós, seus filhos e servos (Mt 12.49-50; 13.27; 20.1; 2 Co 6.18; 1 Jo 3.14-18). Devemos tratar uns aos outros como uma família (1 Tm 5.1,2). Clique aqui para ler o texto completo »

    converter em pdf.

Viver em Comunhão

Pr. Fernando Fernandes

No Novo Testamento, a comunhão cristã é expressa pelo termo koinonia, sendo o vínculo que interliga sinergicamente os cristãos uns aos outros, a Cristo e a Deus.

Koinonia é o espírito do compartilhar gracioso em contraste com o espírito egoísta que deseja tudo para si próprio, a pleonexia, que é a cobiça gananciosa comum ao mundo sem Deus, Romanos 1.29, e que avalia a vida apenas pelos valores materiais, Lucas 12.15, sendo comparada a idolatria, Colossenses 3.5.

O termo koinonia ocorre cerca de 18 vezes no Novo Testamento e sempre está relacionada a convivência cristã em sua amplitude, pelo que percebemos que a koinonia deve ser uma característica peculiar da igreja evangélica, bem como um sinalético existencial do cristão autêntico.

Em Atos 2.42 e 2 Coríntios 6.4, koinonia significa “um compartilhar de amizade” e uma permanência no convívio com os outros. Essa amizade baseia-se na mutualidade do cristianismo e somente aqueles que são verdadeiramente amigos de Cristo, que descobriram a fraternidade com o Mestre, podem ser amigos sinceros de seus irmãos, 1 João 1.3.

Em Romanos 15.26, 2 Coríntios 8.4; 9.13 e em Hebreus 13.16 koinonia significa uma “divisão prática” com os menos favorecidos economicamente. Comunhão tem que ser algo prático. Isso se verifica na aplicação do termo por parte do apóstolo Paulo, quando fala da coleta de ofertas para sustento da obra e auxílio aos pobres e necessitados. Crentes que retêm suas mãos nos dízimos e nas ofertas, bem como na ação social ou em qualquer solicitação para o sustento da obra e para as manifestações práticas da comunhão cristã, ainda não desenvolveram verdadeira comunhão com Cristo. Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Unidade Cristã

Autor :  Prof. João Flávio Martinez “…haverá um rebanho e um Pastor” (João 10:16) Fala-se muito atualmente em união de igrejas, aproximação das denominações, cooperação entre cristãos, unidade na diversidade, etc., sem se atentar ao que dispõe a Bíblia sobre a verdadeira união. Antes de nos unirmos a determinadas denominações, devemos ter em mente aquilo que Deus estabeleceu como a verdadeira unidade do corpo de Cristo. A Unidade É Pela Verdade Como exórdio ao presente estudo, devemos ressaltar que a unidade cristã é bíblica e, portanto, deve ser buscada pelos membros do Corpo de Cristo (embora essa unidade não decorra da mera vontade humana). Orando ao Pai, Jesus disse: “Pai santo, guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós. … E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela sua palavra hão de crer em mim; para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós, para que o mundo creia que tu me enviaste” (João 17:11, 20 e 21). Essa idéia de unidade do corpo de Cristo resulta da idéia central da Tri-Unidade de Deus. Por isso que o apóstolo Paulo declarou: “Porque nós, sendo muitos, somos um só pão e um só corpo, porque todos participamos do mesmo pão” (1 Coríntios 10:17). A unidade do Corpo de Cristo permite a união dos desiguais: “Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito. Porque também o corpo não é um só membro, mas muitos. … E, se todos fossem um só membro, onde estaria o corpo? Assim, pois, há muitos membros, mas um corpo” (1 Coríntios 12:13-14 e 19-20). Paulo assim escreve para demonstrar que cada membro do corpo é diferente um do outro, mas forma uma unidade: uns são mãos, outros, pés, outros olhos, assim por diante - não somos todos apenas um membro do corpo, mas vários membros formando um só corpo: “E o olho não pode dizer à mão: Não tenho necessidade de ti; nem ainda a cabeça aos pés: Não tenho necessidade de vós. Antes, os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários; … Para que não haja divisão no corpo, mas antes tenham os membros igual cuidado uns dos outros. De maneira que, se um membro padece, todos os membros padecem com ele; e, se um membro é honrado, todos os membros se regozijam com ele.” (vs. 21-22; 25-26). Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.