Wordpress Themes

Tesouro em Vasos de Barro - Orientação Pedagógica

Publicado no YouTube

converter em pdf.

Questionário - Tesouro em Vasos de Barro - Pr. Moisés Soares da Câmara

- Faça o Download do arquivo em Word
ALUNO(A):___________________________________________
CLASSE: ________________________________  NOTA:______

QUESTIONÁRIO DA LIÇÃO 05 DO 1º TRIMESTRE/2010

•01.  A respeito de Paulo ter ser colocado como um “vaso de barro” analise os itens e faça o que se pede:

I.

Paulo fez comparações de seu ministério com o de Moisés.

II.

O conhecimento secular de Paulo o capacitou a Paulo ser digno de guardar o glorioso tesouro.

III.

Paulo não se sentia privilegiado pelo Senhor de trazer à tona o que estava encoberto.

IV.

A misericórdia divina tornou possível o ministério de Paulo revelar a nova aliança como superior à luz do esplendor de Moisés.

     Marque o item CORRETO:

A Apenas um item está correto.
B Apenas I e II estão corretos.
C Apenas I e III estão corretos.
D Apenas III e IV estão corretos.
E Todos os itens estão errados.

•02.  Com relação ao conteúdo genuíno dos vasos de barro, é incoerente afirmar: Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Tesouro em Vasos de Barro - Pr. Geraldo Carneiro Filho

IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA 
NITERÓI - RJ

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

LIÇÃO 05 - DIA 31/01/2010

TÍTULO: “TESOURO EM VASOS DE BARRO”

TEXTO ÁUREO - II Cor 4:7

LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: II Cor 4:7-12

PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO

e.mail: geluew@yahoo.com.br

I - INTRODUÇÃO:

  • II Cor 4:7 - A obra do Senhor é cansativa, exaustiva, algumas vezes difícil e perigosa, até ao ponto da morte. Mas, há vitória: O PODER, A VIDA E A MENSAGEM DE CRISTO se manifestam. Pela graça divina, já possuímos esta preciosidade, porquanto o apóstolo Paulo diz: “TEMOS… ESTE TESOURO…”. No entanto, devemos estar conscientes de que “ESTE TESOURO” está guardado em receptáculos de quem nada se espera: VASOS DE BARRO: não tem valor, são frágeis e não tem querer.
  • Assim, pois, “… PARA QUE A EXCELÊNCIA DO PODER SEJA DE DEUS, E NÃO DA NOSSA PARTE”, para a glória de Deus, exclamemos:
  • - “ESTOU CRUCIFICADO COM CRISTO; LOGO, NÃO SOU EU QUEM VIVE, MAS CRISTO VIVE EM MIM…” - Gl 2:20;
  • - “PORQUANTO, PARA MIM, O VIVER É CRISTO…” - Fp 1:21.

II - O BARRO NAS MÃOS DO OLEIRO:

  • “MAS, AGORA, Ó SENHOR, TU ÉS O NOSSO PAI; NÓS O BARRO, E TU, O NOSSO OLEIRO; E TODOS NÓS, OBRA DAS TUAS MÃOS” - Is 64:8
  • Na definição de Isaías, somos barro nas mãos do Senhor (nosso Pai e Oleiro). Vejamos algumas lições extraídas dessa bela metáfora:

• PRIMEIRA LIÇÃO: - “O BARRO NÃO TEM VALOR”:

  • Destituído de importância, o barro não é objeto de disputas. Não há guerras entre as nações por causa do barro. Por causa do petróleo e do ouro, sim. Mas barro? Barro não é raridade, é comum.

• Alguns pensam que foram feitos de porcelana. Por isso, a obra de Deus muito sofre por causa de nossas vaidades pessoais, quando achamos que somos muita coisa. Mas Deus a todos fez do pó da terra! Somos de barro! Meditemos em alguns versículos da santa Palavra de Deus: Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Tesouro em Vasos de Barro - CPAD

Leitura Bíblica em Classe
2 Coríntios  4.7-12

Introdução
I. Paulo Apresenta o Conteúdo dos Vasos de Barro (4.1-6)

II. Paulo Expõe a Fragilidade dos Vasos de Barro (4.7-12)

III. Paulo Fala da Glorificação Final Desses Vasos de Barro (4.13-18)

Palavras-chave: vaso, fragilidade

I. Paulo Apresenta o Conteúdo dos Vasos de Barro (4.1-6)

“A preciosa mensagem da salvação em Jesus Cristo, que tem um valor supremo, foi confiada por Deus a seres humanos frágeis e falíveis. O enfoque de Paulo, porém, não estava no recipiente perecível, mas em seu conteúdo de valor inestimável - no poder de Deus que habita em nós. Mesmo sendo fracos, Deus nos usa para transmitir suas Boas Novas e nos dá poder para fazer a sua obra. Saber que o poder é de Deus, e não nosso, deve nos afastar do orgulho e nos motivar a manter nosso contato diário com Ele, nossa fonte de poder. Nossa responsabilidade é deixar que as pessoas vejam Deus por nosso intermédio” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, p. 1615).

II. Paulo Expõe a Fragilidade dos Vasos de Barro (4.7-12)

“Paulo nos lembra que, embora, às vezes, possa parecer que estamos sendo quase vencidos, nunca devemos perder as esperança. Nosso corpo está sujeito a pecar e sofrer, mas Deus nunca nos abandona. Por Cristo ter vencido a morte, temos a vida eterna. Todos os nossos riscos, humilhações e provas são oportunidades de Cristo demonstrar seu poder e sua presença em nós e por nós” (Bíblia de Estudo Aplicação Pessoal. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, p. 1615).

Professor, explique aos seus alunos que “nossos problemas não devem diminuir a nossa fé ou nos desanimar. Antes, devemos perceber que existe um propósito em nossos sofrimentos. Os problemas e as limitações humanas trazem muitos benefícios:

1.      Ajudam-nos a lembrar o sofrimento de Cristo por nós;

2.      Ajuda a não termos orgulho;

3.      Ajudam-nos a ver além dessa vida tão curta;

4.      Provam a nossa fé;

5.      Dão a Deus a oportunidade de demonstrar seu grande poder. Não se ressinta por seus problemas. ‘Veja-os como oportunidades de adquirir experiências com o Senhor’” (Bíblia do Estudante Aplicação Pessoal. 1.ed. Rio de Janeiro, CPAD, p. 1325). Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.

Tesouro em Vasos de Barro - Pb. José Roberto A. Barbosa

Texto Áureo: II Co. 4.7 - Leitura Bíblica em Classe: II Co. 4.7-12.
Pb. José Roberto A. Barbosa http://www.subsidioebd.blogspot.com/
Objetivo: Mostrar que ainda que sejamos frágeis, Deus nos usa para proclamar as Boas Novas, dando-nos o poder para realizar Sua obra.

INTRODUÇÃO
Conforme estudamos na lição anterior, a glória do ministério cristão não repousa nos atributos pessoais, mas em Deus, que, em Cristo, realiza, em nós, Sua obra em misericórdia. Na aula de hoje atentaremos para a conduta do ministério de Paulo, a fragilidade e o conteúdo dos vasos de barros, e finalmente, da glorificação final desses vasos. Veremos que o Senhor decidiu, soberanamente, concretizar seus propósitos através de vasos frágeis, os quais, paradoxalmente, conduzem um conteúdo precioso.

1. MENSAGEM: TESOURO EM VASOS
Paulo está ciente que o ministério cristão é realizado segundo a misericórdia de Deus (II Co. 4.1). É válido ressaltar que outrora o Apóstolo fora um perseguidor da Igreja de Deus (I Co. 15.9,10; I Tm. 1.12-16). Paulo afirma que não se utiliza de argumentos astuciosos (sutilezas, truques), nem tem a mínima pretensão de adulterar a palavra de Deus (II Co. 4.2) como fez a serpente quando enganou Eva (II Co. 11.3,14,15; 12.6). Sua conduta ministerial é pautada na convicção da presença de Deus, pois é Ele quem julga os atos do obreiro (I Co. 4.3,4). Depreendemos de II Co. 4.3,4 que os opositores de Paulo criticavam-no, dizendo que ele não se fazia compreendido. O Apóstolo defende-se argumentando que o problema não está no encobrimento da mensagem, mas na cegueira promovida por satanás, o deus-deste-século, fazendo com que os incrédulos não compreendam a mensagem (II Co. 2.11; 11.3,14; Jo. 8.44). A cegueira satânica opera a fim de que não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus, a do último Adão (Gn. 1.26; I Co. 15.45-49). A mensagem do apóstolo é simples, ele não trata de si mesmo, mas do Cristo Crucificado (II Co. 4.5), escândalo para os judeus e loucura para os gregos (I Co. 1.20-23). Por meio dessa mensagem, Deus, como no princípio (Gn. 1.2,3), possibilita uma nova criação, retirando os pecadores do império das traves e conduzindo-os ao reino de amor em Seu Filho Jesus Cristo (Cl. 1.13). Clique aqui para ler o texto completo »

converter em pdf.