Lição 13 - Os Profetas Menores II


Estudos:

- Profetas menores II

- Ageu

- Introdução ao livro de Ageu
- Zacarias
- Introdução ao livro de Zacarias
- Zacarias

- Livro de Zacarias

- Malaquias

- Introdução ao livro de Malaquias

- Malaquias

Livros:

- Ageu, Zacarias e Malaquias - Joyce G. Baldwin - Editora Vida Nova

Complemento:

Questionário Questionário da lição - Colaboração de Moisés Soares da Câmara

Texto Áureo:
“E Ageu, profeta, e Zacarias, filho de Ido, profeta, profetizaram aos judeus que estavam em Judá e em Jerusalém; em nome do Deus de Israel lhes profetizaram” (Ed 5.1).
OS PROFETAS... PROFETIZARAM AOS JUDEUS. O reinício e conclusão da construção do templo só foi possível graças aos ministérios proféticos de Ageu e Zacarias (ver Ag 1.9-11). Suas profecias incluíam: (1) ordens diretas de Deus (Ag 1.8); (2) advertência e repreensão (Ag 1.9-11); (3) exortação (Ag 2.4); e (4) alento mediante a promessa de bênçãos futuras (ver Ag 2.6-9 nota; Zc 8.3 nota). A palavra de Deus através de Jeremias pusera em marcha o início da reconstrução do templo (1.1); da mesma forma, agora, a palavra do Senhor através de Ageu e Zacarias impulsionava a conclusão da obra (6.14).
Veja Tabela Cronológica dos Profetas
 
Verdade Prática:
Os últimos profetas do Antigo Testamento foram os do Período Pós-Exílio de Judá; depois deles seguiu-se o “silêncio profético”, ou Período Interbíblico.
Esse período teve a duração de aproximadamente 450 anos. Normalmente se faz referência a esse tempo como uma época em que Deus esteve em silêncio para com o seu povo. Nenhum profeta de Deus se manifestou ou, pelo menos, nenhum deixou escritos que tenham sido considerados canônicos.
Veja http://www.armazemnadia.com.br/henrique/PeriodoInterbíblico.htm 
 
Leitura Diária:
Segunda Ed 3.10 O lançamento da pedra fundamental da Casa de Deus
Quando, pois, os edificadores lançaram os alicerces do templo do SENHOR, então, apresentaram-se os sacerdotes, já paramentados e com trombetas, e os levitas, filhos de Asafe, com saltérios, para louvarem ao SENHOR, conforme a instituição de Davi, rei de Israel.
CANTAVAM... LOUVANDO E CELEBRANDO AO SENHOR. Os fiéis cantaram hinos de louvor a Deus quando viram lançados os alicerces do templo, pois esse ato representava a resposta de Deus às suas orações, bem como a bondade de Deus, para com eles. O louvor, segundo a Bíblia, exalta a Deus e sua obra, e é um elemento de adoração, do qual todos devem participar 

Terça  Ed 4.23,24 A construção da Casa de Deus é embargada
Então, depois que a cópia da carta do rei Artaxerxes se leu perante Reum, e Sinsai, o escrivão, e seus companheiros, apressadamente foram eles a Jerusalém, aos judeus, e os impediram à força de braço e com violência. Então, cessou a obra da Casa de Deus, que estava em Jerusalém, e cessou até ao ano segundo do reinado de Dario, rei da Pérsia.
E OS IMPEDIRAM À FORÇA DE BRAÇO E COM VIOLÊNCIA. Neemias 1.3 fornece mais detalhes do que fizeram os adversários dos judeus para impedir todo e qualquer progresso na reconstrução dos muros da cidade. Este versículo conclui o relato da perseguição dos samaritanos (ver v. 5).
4.24 ENTÃO, CESSOU A OBRA DA CASA DE DEUS. A construção do templo cessou pouco depois de ter começado, em 538 a.C., e somente recomeçou dezoito anos mais tarde, em 520 a.C.
Quarta Ed 6.12,13 O rei da Pérsia suspende o embargo da construção
O Deus, pois, que fez habitar ali o seu nome derribe a todos os reis e povos que estenderem a sua mão para o mudarem e para destruírem esta Casa de Deus, que está em Jerusalém. Eu, Dario, dei o decreto; apressuradamente se execute.Então, Tatenai, o governador de além do rio, Setar-Bozenai e os seus companheiros assim fizeram apressuradamente, conforme o que decretara o rei Dario.
 
Quinta Ed 6.16 A Casa de Deus é inaugurada
E os filhos de Israel, e os sacerdotes, e os levitas, e o resto dos filhos do cativeiro fizeram a consagração desta Casa de Deus com alegria.
ACABOU-SE DE CONSTRUIR ESTA CASA. A construção do templo terminou em 516 a.C., vinte e um anos após lançados os alicerces (3.10). A arca da aliança, contendo as duas tábuas da lei, não fazia parte do templo novo. Ela teria sido destruída numa ocasião anterior desconhecida, da história de Israel.
Sexta Ag 2.9 A glória da última Casa
A glória desta última casa será maior do que a da primeira, diz o SENHOR dos Exércitos, e neste lugar darei a paz, diz o SENHOR dos Exércitos.
FAREI TREMER OS CÉUS, E A TERRA. Estes versículos referem-se ao juízo divino contra o mundo antes e durante a volta de Jesus Cristo (cf. Hb 12.26,27): "Os céus e a terra tremerão" (Jl 3.16; cf. Mt 24.29,30). A glória de Deus, então, encherá o templo como nunca dantes aconteceu. Ele habitará entre o seu povo, em paz, como o Salvador glorioso.
Sábado Ml 2.8 O declínio espiritual de Israel nos dias do profeta Malaquias
Mas vós vos desviastes do caminho, a muitos fizestes tropeçar na lei: corrompestes o concerto de Levi, diz o SENHOR dos Exércitos.
FIZESTES ACEPÇÃO DE PESSOAS NA LEI. Os sacerdotes estavam demonstrando parcialidade quanto aos ricos e influentes, permitindo-lhes continuar nos seus caminhos iníquos e pecaminosos. Não os confrontava com a palavra de Deus. Os pastores devem pregar todo o conselho divino (ver At 20.27), proclamando à congregação as exigências do Deus justo e santo. Pregar as bênçãos de Deus e omitir suas justas reivindicações é abominação diante dEle.2.11-16 ABOMINAÇÃO SE COMETEU. Malaquias repreende os israelitas por causa de sua dupla transgressão da Lei de Deus: divorciavam-se de suas esposas, e casavam-se com mulheres pagãs (ver as duas notas seguintes).2.11 E SE CASOU COM A FILHA DE DEUS ESTRANHO. Os homens casavam-se com mulheres pagãs, prática esta proibida pela Lei de Moisés (ver Êx 34.15,16; Dt 7.3,4; 1 Rs 11.1-6). O NT declara que o crente não pode casar-se com incrédulo, por ser isto jugo desigual (ver 1 Co 7.39). O cristão que se casa com alguém que não se dedica ao Senhor, corre o risco de se apartar de Cristo, o mesmo acontecendo com os filhos do casal.
Leitura Diária: ESDRAS 5.1-11
1E Ageu, profeta, e Zacarias, filho de Ido, profeta, profetizaram aos judeus que estavam em Judá e em Jerusalém; em nome do Deus de Israel lhes profetizaram.2Então, se levantaram Zorobabel, filho de Sealtiel, e Jesua, filho de Jozadaque, e começaram a edificar a Casa de Deus, que está em Jerusalém; e com eles os profetas de Deus, que os ajudavam.3 Naquele tempo, veio a eles Tatenai, governador daquém do rio, e Setar-Bozenai, e os seus companheiros e disseram-lhes assim: Quem vos deu ordem para edificardes esta casa e restaurardes este muro?4Então, assim lhes dissemos: E quais são os nomes dos homens que construíram este edifício?5Porém os olhos de Deus estavam sobre os anciãos dos judeus, e não os impediram, até que o negócio veio a Dario, e, então, responderam por carta sobre isso.6Cópia da carta que Tatenai, o governador daquém do rio, com Setar-Bozenai e os seus companheiros, os afarsaquitas, que estavam daquém do rio, enviaram ao rei Dario.7Enviaram-lhe uma relação; e assim estava escrito nela: Toda a paz ao rei Dario.8Seja notório ao rei que nós fomos à província de Judá, à casa do grande Deus, que se edifica com grandes pedras, e já a madeira se está pondo sobre as paredes; e essa obra apressuradamente se faz e se adianta em suas mãos.9Então, perguntamos aos anciãos e assim lhes dissemos: Quem vos deu ordem para edificardes esta casa e restaurardes este muro?10Demais disto, lhes perguntamos também pelos seus nomes, para tos declararmos, para que te pudéssemos escrever os nomes dos homens que são entre eles os chefes.11E esta resposta nos deram, dizendo: Nós somos servos do Deus dos céus e da terra e reedificamos a casa que foi edificada muitos anos antes; porque um grande rei de Israel a edificou e a aperfeiçoou.
5.1 OS PROFETAS... PROFETIZARAM AOS JUDEUS. O reinício e conclusão da construção do templo só foi possível graças aos ministérios proféticos de Ageu e Zacarias (ver Ag 1.9-11). Suas profecias incluíam: (1) ordens diretas de Deus (Ag 1.8); (2) advertência e repreensão (Ag 1.9-11); (3) exortação (Ag 2.4); e (4) alento mediante a promessa de bênçãos futuras (ver Ag 2.6-9 nota; Zc 8.3 nota). A palavra de Deus através de Jeremias pusera em marcha o início da reconstrução do templo (1.1); da mesma forma, agora, a palavra do Senhor através de Ageu e Zacarias impulsionava a conclusão da obra (6.14).5.2 OS PROFETAS DE DEUS, QUE OS AJUDAVAM. A piedosa liderança de Zorobabel e Jesua, levou a efeito a reconstrução do templo. Porém, Esdras nota dois outros fatores que contribuíram para a vitoriosa restauração da Casa de Deus. (1) O ministério dos profetas Ageu e Zacarias, em muito contribuiu para a conclusão das obras, apesar dos muitos obstáculos e reveses (ver a nota anterior). A obra de Deus sempre requer a participação dos seus profetas, na realização do seu propósito concernente a qualquer geração. (2) Outro elemento-chave na bem-sucedida restauração da Casa de Deus, foi a dedicação dos anciãos e do povo (vv. 5,8; cf. 7.23). Eles não se tornaram apáticos, nem aceitaram o desafio com indiferença, antes, empreenderam a tarefa com grande diligência, e Deus abençoou a obra das suas mãos. O reino de Deus sempre progride através das palavras e ações dos dirigentes e do povo que, ao trabalharem juntos, dedicam-se plenamente ao propósito de Deus para esse mesmo povo. 5.3 QUEM VOS DEU ORDEM PARA EDIFICARDES ESTA CASA? Os fiéis obedeceram à palavra do Senhor, através dos seus profetas (v. 1). Dedicaram-se a trabalhar para a glória de Deus (v. 2), e Deus estava com eles de modo especial (v. 5). Todavia, o inimigo surgiu e se opôs à obra (v. 3). Sempre que houver progresso espiritual, podemos prever que virão oposição e provação da parte de Satanás e dos inimigos de Cristo. O povo de Deus deve enfrentar tal oposição com oração contínua a Deus, confiança nEle e avançando até à conclusão da obra (ver Ef 6.11 nota).5.5 OS OLHOS DE DEUS ESTAVAM SOBRE OS ANCIÃOS. Aqueles que dedicam a sua vida à causa e obra de Deus, são objetos especiais do seu cuidado vigilante. Se você está empenhado em exaltar o reino do Senhor e a sua justiça, Ele sempre estará com o seu olhar sobre você (Jó 36.7; cf. Mt 6.33). Nesse caso, a você pertence a promessa: "Os olhos do SENHOR estão sobre os justos" (Sl 34.15).
Objetivos:
Após esta aula, seu aluno deverá estar apto a:
1- Determinar em que época viveram os profetas estudados nesta lição.
2- Identificar as quatro mensagens do livro de Ageu.
3- Mencionar a referência que cita Zorobabel no Novo Testamento.
 
INTRODUÇÃO

A participação de Ageu e Zacarias foi marcante na construção da Casa de Deus. Essa história está registrada em Esdras e Neemias. O declínio espiritual dos judeus, descrito no final do livro de Neemias, parece coincidir com os dias difíceis de frieza espiritual e de indiferentismo religioso denunciados por Malaquias no seu livro.

I. O LIVRO DO PROFETA AGEU
1. Ageu. 
2. Conteúdo.  a) A primeira mensagem (1.1).  b) A segunda mensagem (2.1).  c) A terceira e a quarta mensagens(1.2).  
3. No Novo Testamento. 

Esboço
I A Primeira Mensagem: Concluir a Construção do Templo (1.1-15)
A.Data: 1º de Elul (29 de agosto) de 520 a.C. (1.1)
B.O Profeta Repreende o Povo por Não Ter Concluído a Construção do Templo(1.2-11)
C.A Reação do Povo (1.12-15)
II.A Segunda Mensagem: A Promessa de Maior Glória (2.1-9) 
A.Data: 21 de Tisri (17 de outubro) de 520 a.C. (2.1)
B.O Último Templo Comparado ao Anterior (2.2-4)
C.A Glória do Último Templo Será Maior (2.5-9)
III.A Terceira Mensagem: A Chamada à Santidade com Bênçãos (2.10-19)
A.Data: 24 de Quisleu (18 de dezembro) de 520 a.C. (2.10)
B.O Efeito Corruptor do Pecado (2.11-14)
C.A Bênção da Obediência (2.15-19)
IV.A Quarta Mensagem: Uma Promessa Profética (2.20-23)
A.Data: 24 de Quisleu (18 de dezembro) de 520 a.C. (2.20)
B.A Ruína Futura das Nações (2.21,22)
C.O Significado Profético de Zorobabel (2.23)

Autor:  Ageu  Tema:  Reedificação do Templo   Data:  520 a.C.  
Considerações Preliminares
Ageu é o primeiro de três livros pós-exílicos no AT (os outros dois são Zacarias e Malaquias). É mencionado nominalmente duas vezes em Esdras (5.1; 6.14), e nove neste livro. É chamado “o profeta” (1.1; 2.1,10; Ed 6.14) e “embaixador do Senhor” (1.13). Pode ter sido um daqueles poucos exilados que, ao voltarem para repovoar Jerusalém, ainda se lembravam do templo de Salomão antes que fosse destruído pelos exércitos de Nabucodonosor em 586 a.C. (2.3). Sendo assim, Ageu devia ter entre setenta e oitenta anos de idade ao profetizar. O livro tem uma data exata para sua composição: o segundo ano do rei Dario da Pérsia (520 a.C.; 1.1).O contexto histórico do livro é importante para compreendermos sua mensagem. Em 538 a.C., Ciro, rei da Pérsia, promulgara um decreto, permitindo aos judeus exilados voltarem à pátria para reconstruir Jerusalém e o templo, cumprindo, assim, as profecias de Isaías e Jeremias (Is 45.1-3; Jr 
25.11,12; 29.10-14), e a intercessão de Daniel (Dn 9). O primeiro grupo de judeus a voltar para Jerusalém, havia deitado os alicerces do novo templo em 536 a.C., em meio a muita emoção e expectativa (Ed 3.8-10). No entanto, os samaritanos e outros vizinhos opuseram-se fisicamente ao empreendimento, desanimando os trabalhadores de tal maneira, que a obra acabou por ser interrompida em 534 a.C.. A letargia espiritual generalizou-se, induzindo o povo a voltar à reconstrução de suas próprias casas. Em 520 a.C., Ageu, acompanhado por um profeta mais jovem — Zacarias (ver a introdução de Zacarias), conclama Zorobabel e o povo a retomar a construção da casa de Deus. Quatro anos mais tarde, o templo foi completado e dedicado ao Senhor (cf. Ed 4—6).
Propósito
Durante um período de quatro meses, em 520 a.C., Ageu entregou quatro concisas mensagens registradas neste livro (ver o esboço). As mensagens tinham duplo propósito: (1) exortar Zorobabel (o governador) e Josué (o sumo sacerdote) a mobilizarem o povo para a reedificação do templo; e (2) motivar o povo a reordenar suas vidas e prioridades para que a obra da Casa de Deus fosse recomeçada com as bênçãos divinas.
Visão Panorâmica
O livro contém quatro mensagens, cada uma delas introduzida pela frase: “a palavra do Senhor” (1.1; 2.1; 2.10; 2.20). (1) Primeiro, Ageu repreende os repatriados por estarem tão interessados em suas próprias casas, revestidas de cedro por dentro, enquanto a Casa de Deus permanecia em desolação (1.4). O profeta exorta-os por duas vezes a considerar seus caminhos (1.5,7), revelando-lhes ter o Senhor Deus retirado a bênção sobre eles em conseqüência de seus maus caminhos (1.6,9-11). Zorobabel e Josué, juntamente com o restante do povo, reagindo à palavra do profeta, demonstram reverência a Deus, e recomeçam a obra (1.12-15).(2) Poucas semanas depois, a reação dos repatriados, que haviam visto a glória do primeiro templo e que consideravam como nada o segundo, começava a desanimar o povo (2.3). Ageu, então,  exorta os líderes a se mostrarem corajosos, porque (a) seus esforços faziam parte de um quadro profético mais amplo (2.4-7), e (b) “a glória desta última casa será maior do que a da primeira” (2.9). (3) A terceira mensagem de Ageu, que conclama o povo a viver uma vida de santa obediência (2.10-19), (4) e sua quarta mensagem (2.20-23), foram entregues no mesmo dia. A última mensagem prediz que Zorobabel representaria a continuação da linhagem e da promessa messiânica (2.23).
Características Especiais
Quatro aspectos básicos caracterizam o livro de Ageu. (1) Foi a primeira palavra profética nítida ouvida por Judá depois do exílio babilônico. (2) É o segundo menor livro do AT (apenas trinta e oito versículos); Obadias é o menor. (3) A frase “assim diz o Senhor” (e suas variações) ocorre vinte e nove vezes, ressaltando a urgência de sua mensagem aos repatriados. (4) Contém uma das profecias mais arrojadas do AT a respeito da visitação futura de Deus (2.6-9).
O Livro de Ageu ante o NT
Vários versículos do capítulo 2 falam da vinda do Messias (vv. 6-9, 21-23). O abalo futuro dos céus, da terra, das nações e dos reinos é referido pelo autor de Hebreus (Hb 12.26-28). Além disso, Ageu profetiza que Zorobabel será como o “anel de selar”, ou selo oficial. Em ambas as genealogias de Jesus Cristo, no NT (Mt 1.12,13; Lc 3.27), Zorobabel é o ponto que liga as ramificações da linhagem messiânica: de Salomão (filho de Davi) até Zorobabel, e daí até Maria; e de Natã (filho de Davi) até Zorobabel, e daí até José.
 
II. O LIVRO DO PROFETA ZACARIAS
1. Zacarias. 2. Conteúdo. a) A primeira. b) A segunda. 3. No Novo Testamento.

 

Esboço 
I Primeira Parte: Palavras Proféticas no Contexto da Reedificação do Templo (520—518 a.C.) (1.1—8.23)
A. Introdução (1.1-6)
B. Série de Oito Visões Noturnas (1.7—6.8)
1.Visão do Cavaleiro entre as Murtas (1.7-17)
2.Visão dos Quatro Chifres e dos Quatro Ferreiros (1.18-21)
3.Visão de um Homem Medindo Jerusalém (2.1-13)
4.Visão da Purificação de Josué, o Sumo Sacerdote (3.1-10)
5.Visão do Castiçal de Ouro e das Duas Oliveiras (4.1-14)
6.Visão do Rolo Voante (5.1-4)
7.Visão da Mulher num Efa (5.5-11)
8.Visão dos Quatro Carros (6.1-8)
C. A Coroação de Josué como Sumo Sacerdote e o Seu Significado Profético (6.9-15)
D. Duas Mensagens (7.1—8.23)
1.O Jejum e a Justiça Social (7.1-14)
2.A Restauração de Sião (8.1-23)
II.Segunda Parte: A Palavra Profética a Respeito de Israel e do Messias (sem data) (9.1—14.21)
A.Primeira Profecia do Senhor (9.1—11.17)
1.A Intervenção Triunfal do Senhor (9.1-10)
2.Anunciada a Salvação Messiânica (9.11—10.12)
3.Rejeição do Messias (11.1-17)
B.Segunda Profecia do Senhor (12.1—14.21)
1.Luto e Conversão de Israel (12.1—13.9)
2.A Entronização do Rei Messias (14.1-21)

Autor: Zacarias  Tema: A Conclusão do Templo e as Promessas Messiânicas   Data:  520—470 a.C.
Considerações Preliminares
O primeiro versículo identifica o profeta Zacarias, filho de Baraquias e neto de Ido (1.1), como o autor do livro. Neemias informa ainda que Zacarias era cabeça da família sacerdotal de Ido (Ne 12.16). Por esta passagem, ficamos sabendo que ele era da tribo de Levi, e que passou a servir em Jerusalém, depois do exílio, tanto como sacerdote quanto profeta.
Zacarias era um contemporâneo mais jovem do profeta Ageu. Esdras 5.1 declara que ambos animaram os judeus, em Judá e Jerusalém, a persistirem na reedificação do templo nos dias de Zorobabel (o governador) e de Josua (o sumo sacerdote). O contexto histórico para os capítulos 1—8, datados entre 520—518 a.C., é idêntico ao de Ageu (ver a introdução de Ageu). Como resultado do ministério profético de Zacarias e Ageu, o templo foi completado e dedicado em 516—515 a.C.Em sua juventude, Zacarias havia trabalhado lado a lado com Ageu, mas ao escrever os capítulos 9—14 (que a maioria dos estudiosos data entre 480—470 a.C.), já se achava idoso. A totalidade das profecias de Zacarias foi enunciada em Jerusalém diante dos 50.000 judeus que haviam voltado a Judá na primeira etapa da restauração. O NT indica que Zacarias, filho de Baraquias, foi assassinado “entre o santuário e o altar” (i.e., no lugar da intercessão) por oficiais do templo (Mt 23.25). Algo semelhante ocorrera a outro homem de Deus que tinha o mesmo nome (ver 2 Cr 24.20,21).
Propósito
Os dois propósitos que Zacarias tinha em mente ao escrever seu livro correspondem às duas divisões principais da obra. (1) Os capítulos 1—8 foram escritos a fim de encorajar o remanescente judeu, em Judá, a persistir na construção do templo. (2) Os capítulos 9—14 foram escritos para fortalecer os judeus que, tendo concluído o templo, ficaram desanimados por não ter aparecido imediatamente o Messias. Nesta passagem, é revelado também em que importará a vinda do Messias.
Visão Panorâmica
O livro divide-se em duas partes principais. (1) A primeira parte (1—8) começa com uma exortação aos judeus para que voltem ao Senhor, para que também o Senhor se volte a eles (1.1-6). Enquanto encorajava o povo a terminar a reedificação do templo, o profeta Zacarias recebeu uma série de oito visões (1.7—6.8), garantindo à comunidade judaica em Judá e Jerusalém, que Deus cuida de seu povo, governando-lhe o destino. As cinco primeiras visões transmitiam esperança e consolação; as últimas três envolviam juízo. A quarta visão contém uma importante profecia messiânica (3.8,9). A cena da coroação em 6.9-15 é uma profecia messiânica clássica do AT. Duas mensagens (7;8) fornecem perspectivas presentes e futuras aos leitores originais do livro. (2) A segunda parte (9—14) contém dois blocos de profecias apocalípticas. Cada um deles é introduzido pela expressão: “Peso da palavra do Senhor” (9.1;12.1). O primeiro “peso” (9.1—11.17) inclui promessa de salvação messiânica para Israel, e revela que o Pastor-Messias, que levaria a efeito tal salvação, seria primeiramente rejeitado e ferido (11.4-17; cf. 13.7). O “peso” (12.1—14.21) focaliza a restauração e conversão de Israel. Deus prediz que Israel pranteará por causa do próprio Deus “a quem traspassaram” (12.10). Naquele dia, uma fonte será aberta à casa de Davi para a purificação do pecado (13.1); então Israel dirá: “O Senhor é meu Deus” (13.9). E o Messias reinará como Rei sobre Jerusalém (cap. 14).
Características Especiais
Seis aspectos básicos caracterizam o livro de Zacarias. (1) É o mais messiânico dos livros do AT, em virtude de suas muitas referências ao Messias, que ocorrem em seus catorze capítulos. Somente Isaías, com seus sessenta e seis capítulos, contém mais profecias a respeito do Messias do que Zacarias. (2) Entre os profetas menores, possui ele as profecias mais específicas e compreensíveis a respeito dos eventos que marcarão o final dos tempos. (3) Representa a harmonização mais bem sucedida entre os ofícios sacerdotal e profético em toda a história de Israel. (4) Mais do que qualquer outro livro do AT, suas visões e linguagem altamente simbólicas assemelham-se aos livros apocalípticos de Daniel e Apocalipse. (5) Revela um exemplo notável de ironia divina ao prever a traição do Messias por trinta moedas de prata, tratando-as como “esse belo preço em que fui avaliado por eles” (11.13). (6) A profecia de Zacarias a respeito do Messias no capítulo 14, como o grande Rei-guerreiro reinando sobre Jerusalém, é uma das que mais inspiram reverente temor em todo o AT.
O Livro de Zacarias ante o NT 
Há uma aplicação profunda de Zacarias no NT. A harmonização da vida pessoal de Zacarias, entre os aspectos sacerdotal e profético pode ter contribuído para o ensino do NT de que Cristo é tanto sacerdote quanto profeta. Além disso, Zacarias profetizou a respeito da morte expiatória de Cristo pelas mãos dos judeus, que, no fim dos tempos, leva-los-á a prantearem-no, arrependerem-se e serem salvos (12.10—13.9; Rm 11.25-27). Mas a contribuição mais importante de Zacarias diz respeito a suas numerosas profecias concernentes a Cristo. Os escritores do NT citam-nas, declarando que foram cumpridas em Jesus Cristo. Entre elas estão: (1) Ele virá de modo humilde e modesto (9.9; 13.7; Mt 21.5; 26.31, 56); (2) Ele restaurará Israel pelo sangue do seu concerto (9.11; Mc 14.24); (3) será Pastor das ovelhas de Deus que ficaram dispersas e desgarradas (10.2; Mt 9.36); (4) será traído e rejeitado (11.12,13; Mt 26.15; 27.9,10); (5) será traspassado e abatido 
(12.10; 13.7; Mt 24.30; 26.31, 56); (6) voltará em glória para livrar Israel de seus inimigos (14.1-6; Mt 25.31; Ap 19.15); (7) reinará como Rei em paz e retidão (9.9,10; 14.9,16; Rm 14.17; Ap 11.15); e (8) estabelecerá seu reino glorioso para sempre sobre todas as nações (14.6-19; Ap 11.15; 21.24-26; 22.1-5).
III. O LIVRO DO PROFETA MALAQUIAS
1. Malaquias. 2. Seu ministério. 3. Conteúdo. 4. No Novo Testamento. 
Esboço   -  Introdução (1.1)
 

I. A Mensagem do Senhor e as Perguntas Israel(1.2—3.18)                

 

Mensagens de DEUS
Perguntas de Israel

A. Primeira Mensagem: Deus Amou Israel (1.2-5) 

“Em que nos amaste?” (1.2)

B. Segunda Mensagem: Israel Tem Desonrado ao Senhor (1.6—2.9)      

“Em que desprezamos nós o teu nome?” (1.6); “Em que te havemos profanado?” (1.7)

C. Terceira Mensagem: Deus Não Aceita as Oferendas de Israel (2.10-16)   

"Por quê?” (2.14)

D. Quarta Mensagem: O Senhor Virá de Repente (2.17—3.6) 

“Em que o enfadamos?” “Onde está o Deus do juízo?” (2.17).

E. Quinta Mensagem: Voltai para o Senhor (3.7-12)  

“Em que havemos de tornar?” (3.7);  “em que te roubamos?” (3.8)

F. Sexta Mensagem: Declarações Injustificáveis de Israel contra Deus (3.13-18) 

“Que temos falado contra ti?” (3.13);   “Que nos aproveitou termos cuidado em guardar os seus preceitos?” (3.14)

 

            II. O Dia do Senhor (4.1-6)
A. Será um Dia de Juízo para o Arrogante e o Malfeitor (4.1)
B. Será um Dia de Triunfo para os Justos (2,3)
C. Será Precedido por uma Restauração Sobrenatural dos Relacionamentos entre Pais e Filhos e entre o Povo de Deus (4.4-6)

Autor: Malaquias

Tema: Acusações de Deus Contra o Judaísmo Pós-Exílico  

Data: Cerca de 430—420 a.C.

Considerações Preliminares
“Malaquias” significa “mensageiro de Jeová”. A opinião de que “Malaquias”, em 1.1, seja um título descritivo, ao invés de um nome pessoal, é altamente improvável. Embora não tenhamos mais informações no restante do AT a respeito do profeta, sua personalidade fica bem patente neste livro. Era um judeu devoto da Judá pós-exílica, e contemporâneo de Neemias. Era, provavelmente, um profeta sacerdotal. Suas firmes convicções a favor da fidelidade ao concerto (2.4,5, 8, 10), e contra a adoração hipócrita e mecânica (1.7—2.9), a idolatria (2.10-12), o divórcio (2.13-16) e o roubo de dízimos e ofertas (3.8-10), revelam um homem de rigorosa integridade e de intensa devoção a Deus. O conteúdo do livro indica que (1) o templo já havia sido reedificado (516/515 a.C.), e que os sacrifícios e festas achavam-se plenamente restaurados; (2) um conhecimento geral da Lei havia sido reintroduzido por Esdras (c. 457—455 a.C.; ver Ed 7.10; 14.25,26); e (3) uma apostasia subseqüente ocorrera entre os sacerdotes e o povo (c. 433 a.C.). Além disso, o ambiente espiritual e a negligência contra as quais Malaquias clamava, assemelhavam-se à situação que Neemias encontrara em Judá depois de ter voltado da Pérsia (c. 433—425 a.C.), para servir como governador em Jerusalém pela segunda vez (cf. Ne 13.4-30); (b) os dízimos e as ofertas eram negligenciados (3.7-12; Ne 13.10-13); e (c) o concerto do casamento era violado, pois os homens judeus divorciavam-se para se casarem com mulheres pagãs, provavelmente mais jovens e bonitas (2.10-16; Ne 13.23-28). É razoável acreditar que Malaquias haja proclamado sua mensagem entre 430—420 a.C.
Propósito
Quando Malaquias escreveu, os judeus repatriados passavam novamente por adversidade e declínio espiritual. Eles se haviam tornado cínicos, e questionavam a justiça de Deus, duvidando do proveito em se obedecer aos seus mandamentos. À medida que a sua fé minguava, iam se tornando mecânicos e insensíveis na sua observância ao culto divino, e indiferentes às exigências da Lei. Eles faziam-se culpados de muitos tipos de transgressões contra o concerto. Malaquias confronta os sacerdotes e o povo com o apelo profético (1) para se arrependerem de seus pecados e da hipocrisia religiosa para que não fossem surpreendidos pelo castigo divino; (2) para removerem a desobediência que bloqueava o fluxo do favor e bênção de Deus; e (3) para voltarem ao Senhor e ao seu concerto com corações sinceros e obedientes.
Visão Panorâmica

O livro, que consiste num sêxtuplo “peso da palavra do SENHOR contra Israel, pelo ministério de Malaquias” (1.1), está entremeado por uma série de dez perguntas retóricas e irônicas feitas por Israel com as respectivas respostas de Deus por intermédio do profeta. Embora o emprego de perguntas e respostas não seja exclusivo de Malaquias, seu uso é distintivo por ser crucial à estrutura literária do livro (ver o esboço). O “peso” (ou “mensagem repressiva”) do Senhor proclamado por Malaquias é assim constituído: (1) Deus reafirma seu fiel amor a Israel segundo o concerto (1.2-5). (2) Deus repreende os profetas por serem vigilantes infiéis do relacionamento entre o Senhor e Israel segundo o concerto (1.6—2.9). (3) Deus repreende Israel por ter rompido o concerto dos pais (2.10-16). (4) Deus relembra a Israel a certeza do castigo divino por causa dos pecados contra o concerto (2.17—3.6). (5) Deus conclama toda a comunidade judaica pós-exílica a arrepender-se, e a voltar-se ao Senhor, para que tornasse a receber as suas bênçãos (3.7-12). (6) A mensagem final refere-se ao “memorial escrito” diante de Deus a respeito daqueles que o temem e lhe estimam o nome (3.13-18). Malaquias encerra seu livro com uma advertência e promessas proféticas a respeito do futuro “dia do Senhor” (4.1-6).
Características Especiais
Cinco aspectos básicos caracterizam o livro de Malaquias. (1) De modo simples, direto e vigoroso, retrata vividamente o debate entre Deus e seu povo. O debate é levado a efeito na primeira pessoa do singular. (2) Dá destaque ao método de perguntas e respostas na apresentação da palavra profética com nada menos que vinte e três perguntas trocadas entre Deus e o povo. Sugere-se que o método adotado por Malaquias pode ter-se originado quando o profeta apresentou, pela primeira vez, sua mensagem nas ruas de Jerusalém ou nos átrios do templo. (3) Malaquias, o último dos profetas do AT, é seguido por 400 anos de silêncio profético. A longa ausência profética terminaria no surgimento de João Batista. Foi este o previsto por Malaquias como o antecessor do Messias (3.1). (4) A expressão “o SENHOR dos Exércitos” ocorre vinte vezes neste breve livro. (5) Destaca-se que a profecia final (que encerra a mensagem profética do AT) prediz que Deus enviaria alguém como Elias para restaurar os pais piedosos em Sião, contrariamente às tendências sociais predominantes que levaram a desintegração da família (4.5,6).
O Livro de Malaquias ante o NT
Três trechos específicos de Malaquias são citados no NT. (1) As frases “amei a Jacó” e “aborreci a Esaú” (1.2,3) são registradas por Paulo em suas considerações sobre a eleição (Rm 9.13; ver o estudo ELEIÇÃO E PREDESTINAÇÃO, p. 1808). (2) A profecia de Malaquias a respeito do “meu anjo, que preparará o caminho diante de mim” (3.1; cf. Is 40.3) é citada por Jesus como referência a João Batista e seu ministério (Mt 11.7-15). (3) Semelhantemente, Jesus entendia que a profecia de Malaquias a respeito do envio do “profeta Elias”, antes do “dia grande e terrível do SENHOR” (4.5), aplicava-se a João Batista (Mt 11.14; 17.10-13; Mc 9.11-13). Além destas três claras referências a Malaquias no NT, a condenação que o profeta faz do divórcio injusto (2.14-16) antevê o ensino do NT sobre o tema (Mt 5.31,32; 19.3-10; Mc 10.2-12; Rm 7.1-3; 1 Co 7.10-16,39). A profecia de Malaquias a respeito do aparecimento do Messias (3.1-6; 4.1-3) abrange tanto a primeira quanto a segunda vinda de Cristo.
 
CONCLUSÃO
O Antigo Testamento anuncia bênçãos para toda a humanidade. Através de Jesus, cada crente pode hoje oferecer a Deus adoração pura e sincera: “Mas, desde o nascente do sol até ao poente, será grande entre as nações o meu nome; e, em todo lugar, se oferecerá ao meu nome incenso e uma oblação pura; porque o meu nome será grande entre as nações, 
diz o SENHOR dos Exércitos” (Ml1.11). É um convite para todos os povos adorarem a Deus em espírito e em verdade (Jo 4.23).
 
Questionário da Lição 13 - Ev.Luiz Henrique - www.henriqueestudos.cjb.net 
 
Texto Áureo:
1- Em nome de quem profetizaram Ageu e Zacarias?
(     ) Em Nome dos reis de Israel      (     ) Em Nome do DEUS de Israel     (      ) Em Nome dos profetas de Israel
Verdade Prática:
2- Que período se seguiu após os últimos profetas do Antigo Testamento?
(      ) Pausa Temporal     (     ) Período Interbíblico     (     ) Período de Paz Bíblica
Introdução:
3- Quais profetas tiveram participação marcante na construção da casa de DEUS?
(     ) Ageu e Zacarias     (     ) Esdras e Ageu     (     ) Malaquias e Neemias
Tópico I - O Livro do Profeta Ageu:
4- O Profeta Ageu foi contemporâneo de quem?
(     ) Zorobabel e Profeta Malaquias      (     ) Zorobabel e Profeta Zacarias     (     ) Zorobabel e Profeta Isaías
5- Qual o significado do nome  Ageu?
(    ) Festivo     (     ) Intempestivo     (     ) Invertido
6- Para que foi levantado o Profeta Ageu pelo ESPÍRITO SANTO?
(     ) Para despertamento do povo para construçaõ da casa de DEUS     (     )  Para despertamento do povo para o Exílio
7- Onde temos uma citação direta do livro do Profeta Ageu no Novo Testamento?
(     ) Ag 2.6 com Hb 12.26,27     (     ) Ag 2.6 com Jo 12.26,27     (     ) Ag 2.6 com Ap 12.26,27
Tópico II - O Livro do Profeta Zacarias:
8- O que significa o nome Zacarias no hebraico?
(     ) Jeová Perdoa     (     ) Jeová se lembrou     (     ) Jeová é Amor
9- Em quantas partes se divide o livro do Profeta Zacarias?
(     ) Tres Partes     (     ) Duas Partes     (     ) Quatro Partes
10- Quais os principais assuntos do livro do Profeta Zacarias?
(      ) Coletânea de oito visões, Exortação à obediência e Mensagens proféticas sobre os últimos dias de Israel e Jerusalém.
(      ) Coletânea de sete visões, Exortação à obediência e Mensagens proféticas sobre os reis de Israel e Jerusalém.
11- Ligue a primeira coluna de acordo com a segunda, tendo em vista as profecias do Profeta Zacarias cumpridas no Novo Testamento:
A- Entrada Triunfal de JESUS em Jerusalém (Zc 9.9)                                   A- Mateus 26.31
B- O Messias traspassado por uma espada (Zc 12.10)                                   B- Jo 19.37; Ap 1.7
C- O Pastor Ferido (Zc 13.7)                                                                         C- Mt 21.5
Tópico III - O Livro Do Profeta Malaquias:
12- O que significa o nome Malaquias no hebraico?
(      ) Melek ou Abençoado     (     ) Milagres de Jeová     (     ) Anjo ou Mensageiro de Jeová
13- O ministério do Profeta Malaquias coincide com qual período?
(      ) Com o período do retorno de Neemias da Babilônia     (     ) Com o período Interbíblico     
(     ) Com o período áureo de Israel
14- Quais eram os grandes problemas com Israel no tempo do Profeta Malaquias?
(     ) A decadência espiritual e o indiferentismo religioso do povo     (     ) A Idolatria do povo e a preguiça 
15- Cite alguns pecados cometidos por Israel nesse período do Profeta Malaquias: Coloque "V" ou "F"
(      ) Casamentos mistos e Divórcio     (     ) Frieza espiritual e desprezo pelos dízimos     
(      ) Todos estão corretos     (     ) Nenhum desses
16- Cite referências ao livro do Profeta Malaquias no Novo Testamento:
(     ) Mc 1.2; Mt 11.10,14; 17.11      (     ) Mc 1.2; Lc 11.10,14; 17.11      (      ) Jo 1.2; Mt 11.10,14; 17.11
Conclusão:
16- Através de quem o Antigo Testamento anuncia bênçãos para toda a humanidade?
(     ) De JESUS que convida todos a adorarem ao PAI em ESPÍRITO e em VERDADE     
(     ) De Profetas, Homens perfeitos e infalíveis
 
Agradecimentos:
Agradeço a DEUS PAI por permitir-me ser usado pelo ESPÍRITO SANTO e a JESUS, meu salvador, por guiar-me pelos ensinos aqui registrados.
Agradeço à CPAD pela revista, pelo CD, pela Bíblia de Estudo Pentecostal.
Agradeço ao Comentarista Pr.Esequias e ao Consultor Antônio Gilberto
Agradeço a todos que estiveram estudando conosco a palavra de DEUS nesse trimestre onde  tivemos um mini curso de Bibliologia.
Agradeço aos irmãos dos Sites www.escoladominical.com.br   www.ebd.com.br  www.biblianet.com/
Agradeço ao pessoal do site www.altavista.com.br
Colaboração do Ev. Luiz Henrique de Almeida Silva
Ajude-nos a promover o evangelho na Internet. Dê o seu voto para o site EBDweb. Você pode votar novamente após 24 horas.
Retorna para lições

Próxima Lição