Wordpress Themes

Aviva, ó Senhor, a tua obra - Pr. Geraldo Carneiro Filho

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLEIA DE DEUS EM ENGENHOCA
NITERÓI - RJ
LIÇÃO Nº 13 - DATA: 26/06/2011
TÍTULO: “AVIVA, Ó SENHOR, A TUA OBRA”
TEXTO ÁUREO – Is 44:3
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE: At 19:1-6, 11-12, 18-19
PASTOR GERALDO CARNEIRO FILHO
e-mail: geluew@yahoo.com.br
blog: http://pastorgeraldocarneirofilho.blogspot.com/


I – INTRODUÇÃO:

Muitos demonstram interesse na questão do avivamento, comentando sobre essa necessidade na Igreja. Mas precisamos saber que tipo de avivamento queremos. Há um grande número de ideias destoantes acerca deste assunto. Para muitos, avivamento: são decisões por Cristo; para outros, dons espirituais; para outros, entusiasmo; e ainda outros pensam que é puramente santidade. Se queremos orar e trabalhar em unidade, precisamos ter um ponto de vista definido, e para isso devemos examinar as Escrituras.

II – EXEMPLO PERFEITO DE AVIVAMENTO:

Leiamos At 2:1-12 - Aqui encontramos o exemplo perfeito de um genuíno avivamento. Não pensamos que todo avivamento seja exatamente igual a esse, o que não é bíblico nem corresponde à realidade. Mas há princípios ou sinais que realmente são comuns aos outros avivamentos. Desse texto podemos extrair:

1) – O PERFEITO AVIVAMENTO NÃO ESTÁ SOB NOSSO CONTROLE; ESTÁ SOB O CONTROLE DE DEUS – “… de repente…” - Não podemos “usar” o Espírito Santo. Não podemos “programar” um avivamento; não podemos datá-lo; ele é um ato soberano de Deus.

2) – O PERFEITO AVIVAMENTO NÃO É PRODUZIDO NA TERRA PELO HOMEM; É PRODUZIDO NO CÉU – “… veio do céu…” - Este é realmente o ponto fundamental. Muitos irmãos ficam preocupados com o evangelismo, com o estado de mornidão e o pequeno número de conversões.

Esta é até uma justa preocupação.

Porém, alguns servos de Deus ficam ansiosos por descobrir o que impede a edificação da Igreja e querem fazer algo a respeito.

Mas a grande pergunta é: O QUE É ESSE ALGO?

Em geral, os crentes pensam que se certos métodos ou estratégias forem aplicados, então virá o avivamento.

Uns pensam que precisamos orar mais alto; outros, que devemos chamar certos pregadores para a Igreja; outros, que devemos iniciar um culto de libertação ou fazer a reunião de oração de um outro jeito; há os que crêem que se tivermos certos dons espirituais, a Igreja será avivada; e há ainda os que pensam que uma série de estudos sobre avivamento é a chave correta!

Ora, não há dúvidas de que cada uma dessas estratégias pode ser usada por Deus para despertar e avivar a Igreja.

A grande falha, porém, está em não percebermos que Deus não está preso a nenhum método.

Deus não depende da aplicação, por nossa parte, de certas técnicas espirituais.

Por causa dessa visão errada, as pessoas são muitas vezes tentadas a produzir um avivamento.

Imitar certas técnicas não traz o avivamento; ele vem diretamente do céu; é algo que está nas mãos de Deus e não pode ser produzido por nossos métodos.

Novos métodos podem até encher templos e deixar os crentes empolgados, mas isso não significa avivamento.

Alguns podem estar pensando: - “Mas não podemos fazer nada?!”

Podemos sim!

Podemos interceder, podemos nos arrepender dos pecados, podemos ter vida de oração, podemos ser fiéis na obra de Deus, podemos parar de acusar os nossos irmãos e tirar a trave que está nos nossos olhos, podemos amar e servir nossos irmãos e podemos nos humilhar até o pó diante da soberania absoluta de Deus.

Se queremos um genuíno avivamento, temos de esperá-lo vir dos céus. Não temos que produzi-lo! Não adianta imitar avivamentos. Temos de ter fé e perseverança para buscar a Deus e crer que o avivamento descerá dos céus.

3) – O PERFEITO AVIVAMENTO É UMA EXPERIÊNCIA COM DEUS – “… Todos ficaram cheios do Espírito” - Esse é o problema com os avivamentos que encontramos por aí.

Os crentes não estão buscando uma experiência pessoal e profunda com o próprio Deus. Eles só querem ver, só querem assistir!

Queremos assistir a estudos bíblicos excelentes, a milagres, a um grupo de louvor ungido, a um pregador que pula, grita e levita diante do púlpito. E assim as Igrejas se parecem com teatro: As pessoas não vão para participar; vão para assistir.

É por isso que muitos “avivamentos” por aí são questionáveis.

Multidões são muitas vezes mobilizadas. Até acontecem milagres.

Mas, as pessoas estão sendo levadas a Deus e realmente sendo cheias do Espírito?

Estão entrando num relacionamento vivo e pessoal com o Pai?

Estão sendo controladas pelo Espírito, estão perdendo suas vidas e vivendo para ele?

Se não, então não temos avivamento. Temos um movimento religioso.

Pode ser um importante esforço evangelístico, mas não é um derramamento do Espírito!

Não adianta simplesmente imitarmos essas coisas.

Se quisermos um avivamento genuíno, devemos esperá-lo vir diretamente dos céus!

4) – O PERFEITO AVIVAMENTO É UMA EXPERIENCIA COMUNITARIA, OU DO CORPO DE CRISTO - As línguas de fogo pousaram “sobre cada um deles” e então “todos ficaram cheios” - Essas expressões, “cada um” e “todos” nos dizem muita coisa sobre a vontade de Deus.

Deus não quer se expressar através de apenas alguns indivíduos; Deus quer o corpo. Ele quer usar toda a Igreja. Todos são sacerdotes. Não há lugar para estrelas na nova aliança.Essa é, no entanto, a tentação de muita gente.

O que os crentes esperam, não raramente, é um derramamento do Espírito no modelo do A.T..

O que eles esperam é que Deus, de repente, irá levantar um “Moisés” ou um “Josué”, um profeta que será cheio do Espírito para conduzi-los à terra prometida.

Nesse modelo, não são todos cheios do Espírito. Só os líderes. Eles devem ser ungidos e santos. Nós não. Nós somos os seguidores. Vamos atrás e recebemos as bênçãos.

Sem dúvida, Deus pode levantar um líder assim, mas isso não é avivamento. Isso não cumpre o propósito de Deus! O propósito dEle é a Igreja, o corpo de Cristo.

O avivamento pessoal, individual é possível e desejável, mas não é o que aconteceu em Atos capítulo 2!

O avivamento da Igreja não é um punhado de líderes ungidos e um monte de seguidores. Não!

O avivamento Bíblico da Igreja é todo o Corpo de Cristo cheio do Espírito Santo. Não poucos, mas cada um. Cada crente cheio, fortalecido e ungido com o Espírito. Não um profeta Moisés que anda com Deus enquanto os outros assistem, mas uma companhia de discípulos cheios do Espírito, tanto líderes como liderados.

5) – O PERFEITO AVIVAMENTO TRAZ A MANIFESTAÇÃO DOS DONS ESPIRITUAIS – “… Vossos Filhos Profetizarão!” - Como se pode verificar em At 2:3-4, no momento do derramamento do Espírito, ocorreu uma distribuição de graça. Sobre cada um repousou uma língua de fogo, e depois eles foram capacitados a falar em línguas. Mais à frente, Pedro cita o profeta Joel.

No antigo testamento, a capacitação para a obra de Deus, e a concessão de dons espirituais se limitava a alguns homens escolhido: profetas, reis, sacerdotes e juízes.

O povo, em geral, não experimentava o derramamento do Espírito.

Mas a promessa de Deus para a nova aliança é que o Espírito seria dispensado a todos, e os dons espirituais também.

O que Joel diz da nova aliança é que todos devem ter dons. É o que Paulo nos ensina em 1 Co 12:7-11 e 14:26.

Os dons estão distribuídos entre todos, e não para algumas estrelas. A distribuição livre de dons e a manifestação do Espírito são um sinal de avivamento genuíno.

6) – O AVIVAMENTO TRAZ O ARDOR MISSIONÁRIO - Raramente nos damos conta disso, mas a distribuição de línguas em At 2 foi um milagre transcultural.

O Dom de línguas não é, em geral, compreensível. O próprio Paulo ensina que só deve ser usado na Igreja com interpretação.

Mas o que se observa em At 2 é que as línguas faladas eram a dos estrangeiros que estavam em Jerusalém (At 2:5-12).

Isso mostra o desejo de Deus de alcançar as pessoas de outras nações.

Jesus já havia dito a finalidade do poder do Espírito descer sobre nós: sermos transformados em testemunhas, capacitados para falar a Palavra.

É o que aconteceu em At 2: depois da pregação de Pedro, converteram-se 3000.

Mais à frente, vemos os crentes orando e sendo cheios do Espírito, e assim capacitados a pregar (At 4:31).

Por todo o livro de Atos, o Espírito move a Igreja a evangelizar e fazer missões.

O coração do Espírito Santo é missionário, e a Igreja dos primeiros tempos era marcada pelo ardor missionário.

Uma Igreja avivada é uma Igreja que tem sede de evangelizar e tem compaixão pelos que se perdem.

Uma Igreja avivada não está preocupada com banalidades, mas com a missão.

Muitos crentes querem o poder do Espírito para ver milagres, não para salvar almas. Querem receber bênçãos, mas não querem ser uma bênção. Tudo isso apaga o Espírito, porque seu propósito é salvar e edificar almas.

Evangelismo e missões são uma marca indispensável do avivamento genuíno.

III - CARACTERÍSTICAS BÁSICAS PARA REALIZAÇÃO DE UM AVIVAMENTO:

Leiamos Hc 3:1-2 e vejamos:

1) - ORAÇÃO PROFUNDA - “Oração do profeta Habacuque” - Oração pessoal. Todos devemos orar muito por um avivamento poderoso, glorioso e soberano, enviado por Deus.

Todos os avivamentos da Bíblia e da história da Igreja foram marcados e conservados na atmosfera da oração, jejum, arrependimento, confissão espontanea, quebrantamento de espírito, humilhação diante de Deus e santidade.

Precisamos intensificar a nossa oração pessoal intercessória pela obra de Deus, como fez Habacuque.

2) - LOUVOR - “Sobre sigionote” - Trata-se de um termo musical plural, cujo singular é “sigaiom”. Significa CANTAR ANIMADAMENTE.

Uma Igreja reavivada inclui abundante “música de Deus” (1 Cr 16.42).

Em inúmeras Igrejas, a verdadeira música sacra morreu; seu espaço é preenchido com música e canto tipo passatempo, diversão, animação, sem peso, sem mensagem, sem vida, sem unção, sem melodia, sem graça, sem oração, sem endereço, sem nada.

Devemos orar para que tenhamos outra vez no culto a música realmente sacra, santa, bíblica, espiritual. Cânticos que brotam primeiro como fontes, do coração crente, da experiência vivida e encarnada na vida devocional da cada um de nós – Ef 5:19.

3) - A PALAVRA DE DEUS - “Ouvi, Senhor, a tua Palavra” - A Palavra de Deus abundante, fluente, poderosa, revigorante e renovadora é o grande agente divino para o avivamento.

Hoje a Palavra saiu dos púlpitos da maioria das Igrejas e foi substituída ardilosamente e quase sempre por músicas, festas e outros tipos de apresentações.

Os caps. 8 e 10 de Neemias descrevem um dos maiores avivamentos do A. T.

O avivamento teve início mediante um autêntico retorno à palavra de Deus e um esforço decisivo para a compreensão da sua mensagem (v. 8).

Durante sete dias, seis horas por dia, Esdras leu o livro da lei (vv. 3, 18).

Uma das principais evidências de um avivamento bíblico entre o povo de Deus é a grande fome de ouvir, ler e estudar a palavra do Senhor.

4) - TEMOR DE DEUS - “E temi” - Sem renovação espiritual constante na sua vida, o crente perde aos poucos o repúdio ao pecado, sua sensibilidade espiritual diminui e o temor de Deus também. Isso afeta seriamente as coisas de Deus, os valores espirituais, principalmente a santidade de vida e a retidão no viver cotidiano.

5) - RENOVAÇÃO ESPIRITUAL - “Aviva, ó Senhor, a tua obra” - Precisamente falando, avivar, tem a ver com quem já morreu; reavivar, com quem ainda tem vida.

Vários membros da Igreja de Sardes tinham nome no rol dos vivos, mas estavam mortos, espiritualmente falando (Ap 3.1).

Que é avivar espiritualmente? É uma operação soberana, irresistível e sobrenatural do Espírito Santo na Igreja para trazê-la de volta ao real Cristianismo bíblico, como retratado no livro padrão da Igreja - Atos dos Apóstolos.

Ao avivar e reavivar a Igreja, Deus salva crentes inconversos, liberta os crentes carnais, realiza prodígios e milagres, levanta os caídos, salva multidões, os crentes buscam a vida santificada, os perdidos buscam a salvação e prevalece o espírito de unidade de alma entre os crentes – Jo 6:66-67.

IV - CONSIDERAÇÕES FINAIS:

Lv 6:13 - Avivamento é o estado constante da Igreja, abrasada pelo glorioso fogo do Espírito Santo.

Na Bíblia, alguns símbolos do fogo são:

(A) – A proteção de Deus – Ne 9:16; Zc 2:5

(B) - A palavra de Deus – Jr 5:14; 23:29

(C) - O Espírito de Deus – Is 4:4; At 2:4

Portanto, o avivamento que devemos buscar é aquele que reacenda o pavio fumegante e torne a Igreja numa grande e gigantesca obra amada por Deus, respeitada por satanás e temida pelos adversários.

Fontes de consulta:

Estudo bíblico “Cinco sinais de um genuíno avivamento” – Prof. Guilherme Vilela Carvalho

Estudo Bíblico “Ambiente para o avivamento” - Ashbell Simonton Rédua

Bíblia de Estudo Vida Nova

Publicado no blog Escola Biblica Dominical para Todos

converter em pdf.


  1. Warning: file_get_contents(http://...@HOTMAIL.COM) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    MARIZETE FREITAS
    Escreveu:

    DEUS ABENÇOE ESTE ESTUDO MARAVILHOSO .ELE TEM NOS CAPACITADOS DE UMA MANEIRA GLORIOSO .. AMADOS.O SR ABENÇOEM GRANDEMENTE;


  2. Warning: file_get_contents(http://...@xyahoo.com.br) [function.file-get-contents]: failed to open stream: HTTP request failed! HTTP/1.1 404 Not Found in /home/storage/1/49/c5/ebdweb1/public_html/wp-content/plugins/bbuinfo-blogblogs-user-info-plugin/bbuinfo.php on line 174
    luciano
    Escreveu:

    Um epilogo realmente digno do que foi apresentado durante o transcorrer de todas as liçoes. Começando principalmente por quem pode avivar a Igreja do Senhor.(lição 1,) Como integrantes da herança que o Senhor nos confiou, tudo o que precisamos fazer agora é, ouvir o que o Senhor nos diz em 2 cronicas cap. 7-vs14. Se seguirmos estes quatros principios, se humilhar, orar,buscar a sua face,e se converter ao Senhor, então Ele ouve, perdoa e sara.

Comente.